Topo

Esporte

Casillas recusa aposentadoria: "Se você se diverte, por que não continuar?"

David Ramos/Getty Images
Imagem: David Ramos/Getty Images

30/05/2018 16h59

Madri, 30 mai (EFE).- Nesta quarta-feira, o goleiro Iker Casillas, de 37 anos, negou qualquer possibilidade de se aposentar a curto prazo e disse que espera continuar jogando por pelo menos três anos, mas admitiu que terá de provar temporada a temporada que ainda tem condições físicas e mentais de atuar.

"Na minha milésima partida, joguei contra o Belenenses e perdemos. Chegar aos mil é muito. Temos exemplos como Buffon, Palop, Cañizares e Pepe Reina. No fim das contas, se você se diverte e faz as pessoas felizes, por que não continuar? Ainda me vejo como goleiro aos 40 anos", declarou o ex-jogador do Real Madrid em comunicado.

"Vamos ano a ano, vendo como estamos mentalmente e se o corpo acompanha. Só depois disso tomaremos essa decisão", completou o arqueiro campeão mundial pela Espanha em 2010.

Casillas ajudou o Porto a vencer o Campeonato Português após quatro anos, mas nem sempre foi titular. Ele negou que ter que disputar posição seja um problema.

"Às vezes é preciso ter um desafio, algum obstáculo para derrubar. Com 37 anos, passar por essas coisas é bom porque gosto de competir. Coloquei na minha cabeça que queria continuar e no fim das contas fiquei contente porque sou um líder e ajudei minha equipe a conquistar um título que não vinha há quatro anos", argumentou.

O goleiro não teve uma aposentadoria oficial da seleção espanhola e revelou que o atual treinador de 'La Roja', Julen Lopetegui, o procurou quando assumiu a função, em 2016, para dizê-lo que não fazia parte de seus planos.

"Tenho que agradecer a Julen por ter vindo ao Porto para falar comigo. Sentamos em uma mesa, comemos, dialogamos, e ele me disse que tinha a ideia de mudar a seleção. Tinha claro que o seu goleiro seria David de Gea, e eu lhe disse que me parecia ótimo por se tratar de um goleiro que é presente e futuro", elogiou Casillas, que, contudo, fez questão de deixar claro que sempre esteve à disposição.

"Deixei claro que se ele quisesse alguma ajuda, se quisesse me chamar, eu estaria pronto para defender meu país. Agora, se me chamasse poderia não ser bom porque isso significaria que teria que tirar um dos três que estão lá. Ir à Rússia para uma Copa é fantástico. Disputei quatro Copas, e é uma experiência única", enalteceu.

Após ter conquistado dois títulos da Eurocopa, em 2008 e 2012, e o da Copa do Mundo de 2010, a Espanha teve dois resultados ruins, saindo na primeira fase do Mundial de 2014 e nas oitavas da Euro 2016. Na visão de Casillas, a equipe atual lembra a do começo desta década e é a favorita ao título na Rússia.

"É favorita por seus jogadores e me lembra a Espanha de outros anos. Não a do Mundial do Brasil nem a da Eurocopa da França, as outras. Há uma mistura com grandes jogadores como Iniesta, Busquets, David Silva, Sergio Ramos, que transmitem experiência aos mais jovens", exaltou.

"Acho que a Alemanha vem fazendo as coisas muito bem nas fases finais. Sempre cresce. Renovou contrato com Löw, que mereceu. Depois, vem a França, finalista da Eurocopa. Menosprezar a Argentina de Messi e Portugal de Cristiano, campeão da Eurocopa, seria uma falta de respeito. Mas a favorita é a Espanha", completou o goleiro, que não citou a seleção brasileira.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte