Topo

Esporte

Xavi elogia e diz que Messi poderia ser melhor zagueiro do mundo

31/05/2018 17h18

Buenos Aires, 31 mai (EFE).- O meia Xavi, que foi companheiro de equipe de Lionel Messi por 11 anos no Barcelona e atualmente defende o Al Sadd, do Catar, fez muitos elogios aos camisa 10 'blaugrana' em entrevista ao jornal argentino "La Nación" nesta quinta-feira e disse que o craque poderia se destacar na posição quisesse por ser muito versátil.

"Messi pode fazer o papel de Xavi, de Rakitic, de Busquets, de Iniesta, de Suárez... Ele faz tudo muito bem. Se fosse escalado de zagueiro, também seria o melhor zagueiro do mundo. Se ele quiser roubar a bola de você, ele a rouba. Se ele se propõe a driblá-lo, ele vai driblar. Se quer dar um passe, dá a melhor assistência do mundo. Se bate falta, acerta o ângulo", enalteceu o meia.

Xavi e Messi jogaram juntos de 2004 a 2015 e conquistaram, entre outros títulos, três edições da Liga dos Campeões e sete do Campeonato Espanhol.

"É um jogador incomparável. É como Maradona na sua época, como Pelé na sua época. No momento, já é o melhor jogador da história. Messi é o melhor. Melhor que Iniesta, que Xavi, que Busquets. Por quê? Porque domina todas as facetas do jogo. Messi pode fazer as vezes de Xavi, mas Xavi não pode fazer as de Messi. E assim com o restante dos jogadores", analisou.

Na visão de Xavi, não é necessário que o craque argentino conquiste o título da Copa do Mundo para que ele se firme como o melhor de todos os tempos.

"Isso não faz falta. Não vi ninguém melhor que ele. Entendo a consideração por (Diego) Maradona, foi e é o ídolo de todos. O que fez pela Argentina ainda supera a geração atual de jogadores, por isso há gente que diz que Messi não fez o que Maradona fez. Eu entendo, mas em nível futebolístico Messi faz o que Maradona fazia 30 anos atrás. Em 2018 custa o dobro, desde a parte tática, o físico, o técnico e o mental", comparou.

O jogador do Al Sadd contou que para Messi é uma frustração terrível não ter sido campeão pela equipe principal da Argentina até hoje porque ele é muito patriota.

"Ele teve muita má sorte em momentos cruciais. Perder duas Copas Américas nos pênaltis, a final de uma Copa na prorrogação. Se o futebol for justo, deve algo à Argentina nesse sentido. Esta geração de jogadores merecia já ter conquistado alguma coisa. Vamos ver na Copa. A Argentina, sem dúvidas, é uma das favoritas", considerou o espanhol, que apontou os seus outros candidatos ao título.

"Os outros são os de sempre, o Brasil, a Alemanha e depois, em quarto lugar, a Espanha. Se houver alguma surpresa, pode ser Bélgica, Inglaterra ou França, embora nem sejam tão surpresas assim porque têm jogadores impressionantes. Mas será algo nessa linha, e vejo Argentina e Brasil acima do restante", opinou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte