Topo

Esporte

Larsson aposta em título da Espanha sobre a Alemanha e Brasil em 3º na Copa

17/06/2018 15h24

Jorge Peris.

Kazan (Rússia), 17 jun (EFE).- Principal nome da Suécia antes da era Zlatan Ibrahimovic, o ex-atacante Henrik Larsson vê a Espanha como principal favorita a conquistar a Copa do Mundo em uma eventual final contra a Alemanha e com o Brasil na terceira posição.

Conhecido pelas passagens por Celtic e Barcelona, Larsson jogou três Mundiais. Em 1994, nos Estados Unidos, estava na equipe que perdeu nas semifinais para o Brasil e depois ficou com o terceiro lugar após vencer a Bulgária. O craque sueco também disputou as Copas de 2002, no Japão e Coreia do Sul, e 2006, na Alemanha.

Em entrevista à Agência Efe, Larsson, hoje comentarista de uma emissora sueca, coloca a Espanha como favorita ao título na Rússia e alerta para o potencial do México, para ele o maior rival da Suécia, que volta a disputar o torneio após 12 anos de ausência, na briga por uma vaga no grupo F, antes mesmo da vitória sobre a Alemanha na estreia das duas seleções no Mundial.

"Todos na Suécia estão felizes em poder ver de novo a seleção no Mundial. A última participação foi há muito tempo e todos estavam com essa vontade. Acredito que se superarmos a fase de grupos, teremos feito um grande papel. Se passarmos, as expectativas crescerão muito. Dependeria do rival nas oitavas", afirmou.

Com uma geração sem a qualidade de Larsson, a Suécia está fora dos favoritos da Copa do Mundo. Para ele, que jogou na Espanha, a 'La Roja' será a campeã em uma final contra a Alemanha.

"Acredito que a Espanha vá ganhar, com a Alemanha em segundo e que o Brasil vai acabar na terceira posição. A Espanha está há anos jogando bem, com jogadores que jogam em clubes com sistemas similares, com técnica e velocidade para fazer as coisas em espaços reduzidos e a coragem de fazer jogadas que ninguém espera", avaliou.

"Eles têm, além disso, diferentes tipos de atacantes: Diego Costa, por exemplo, é um pesadelo para qualquer defesa", completou.

Larsson também fez previsões mais conservadoras sobre quem serão as principais estrelas da Copa do Mundo.

"É difícil dizer, há muitos. Lionel Messi está no meu 'top-3' e sempre preciso colocar Cristiano Ronaldo. Provou durante muitos anos que segue tendo fome. Acredito que os de sempre brilharão, e alguns outros também. Precisaremos de mais estrelas quando os dois se aposentarem", afirmou o ídolo sueco.

Por falar em craque, a classificação da Súecia para Mundial veio sem Ibrahimovic, que cogitou participar do torneio depois da vaga. Para Larsson, que chegou a jogar ao lado do craque pela seleção, a presença do craque poderia ser um grande ativo se não tivesse sofrido uma recente lesão, ainda quando estava no Manchester United.

"Essa é uma pergunta muito difícil. De que Ibrahimovic falamos: antes ou depois da lesão? Acredito que a forma pela qual a Suécia se classificou foi muito boa. Ele não esteve no seu melhor nível depois de se machucar. Falamos pouco disso na Suécia. Perguntamos se ele queria jogar, ele disse que não. Portanto, agora temos que apoiar os meninos na Rússia. Todos queremos que joguem bem", analisou.

Para Larsson, o coletivo é o ponto mais forte do grupo da Suécia. O comentarista, porém, deixa o nacionalismo florescer quando precisa falar das debilidades da equipe que está na Rússia.

"Não há nenhuma", disse Larsson aos risos. "O bom é que não temos medo de ninguém, mas sim respeito. Tudo é possível. Enfrentamos a Alemanha, que é o principal favorito para se classificar como primeiro do grupo, mas fizemos uma boa partida contra eles, perdíamos por 4 a 0 e empatamos em 4 a 4. Isso é algo que os jogadores se lembrarão", afirmou.

Além disso, para Larsson, conseguir um bom resultado na estreia da Copa do Mundo, contra a Coreia do Sul, é essencial para as pretensões da Suécia no torneio.

"O México é o nosso maior rival para esse segundo lugar, e o jogo contra eles vai ser muito decisivo. Ainda não vi muito deles. Sei que podem atacar e defender muito bem. Vai ser uma partida difícil, mas confio nos meus compatriotas", disse o ex-atacante.

Principal nome da Suécia por muitos anos, Larsson também escolheu o jogador que será essencial para a equipe na Rússia: Emil Fosberg.

"Ele é determinante. Um grande jogador, bom entre as linhas defensivas, bom com a bola. Mas há outros jogadores que têm que dar um passo à frente e assumir responsabilidades", ressaltou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte