Topo

Esporte

Com 1 a menos desde os 3 minutos, Colômbia perde para o Japão na estreia

19/06/2018 11h10

Saransk, 19 jun (EFE).- O Japão contrariou o favoritismo da Colômbia e estreou na Copa do Mundo com uma vitória por 2 a 1 nesta terça-feira na Mordovia Arena, em Saransk, em jogo no qual a equipe sul-americana teve um homem a menos desde os três minutos de bola rolando devido à expulsão do volante Carlos Sánchez.

A equipe dirigida por José Pékerman teve pouco tempo para colocar em prática o que foi definido pelo técnico argentino, que se viu obrigado a mexer no esquema devido à falta de uma peça. Carlos Sánchez cortou com a mão, dentro da área, uma bola que ia em direção ao gol, cometeu pênalti e recebeu cartão vermelho. Kagawa abriu o placar convertendo a cobrança.

Sem se entregarem, os colombianos chegaram ao empate ainda na primeira etapa, em cobrança de falta de Quintero. Entretanto, de cabeça, aos 27 minutos da etapa final, Osako marcou o segundo do Japão e selou a primeira vitória de uma equipe da Ásia sobre uma da América do Sul na história das Copas.

Dessa forma, os 'Samurais Azuis' largam na frente no grupo H, que tem ainda Senegal e Polônia, seleções que se enfrentarão mais tarde na Otkrytiye Arena, em Moscou.

Na busca pela terceira classificação para mata-matas de Mundiais de sua história, o Japão voltará a campo no próximo domingo, em Ecaterimburgo, para enfrentar os senegaleses. A Colômbia buscará a recuperação no mesmo dia medindo forças com os suíços em Kazan.

Pékerman surpreendeu ao deixar o meia James Rodríguez no banco e escalar Quintero em seu lugar, colocando o artilheiro da última Copa apenas no segundo tempo. Outro que começou entre os reservas foi o zagueiro Mina, ex-Palmeiras, assim como o atacante Borja, que segue atuando pelo Alviverde.

No Japão, a principal baixa foi o atacante Okazaki, grande nome do ataque dos 'Samurais', mas que, devido a dores musculares, deu lugar a Osako e só foi aproveitado na parte final do duelo. Outro que não apareceu na formação inicial e também entrou no segundo tempo foi o meia Honda, ex-Milan e que atualmente defende o Pachuca, atual vencedor da Liga dos Campeões da Concacaf.

Logo com três minutos de bola rolando, a equipe sul-americana ficou com um homem a menos e em desvantagem no placar. Após uma bola mal recuada, Osako saiu na cara do gol, e o goleiro Ospina operou um milagre. Entretanto, o rebote ficou para Osaki, cujo chute foi bloqueado pelo volante Carlos Sánchez com a mão.

O árbitro esloveno Damir Skomina marcou pênalti e mostrou para Sánchez o primeiro cartão vermelho desta Copa e o primeiro para colombianos na história do torneio. Kagawa cobrou sem muita força, deslocando Ospina, no meio do gol, e fez 1 a 0.

Mesmo em desvantagem numérica, a Colômbia atacava mais. Aos 11 minutos, Quintero cobrou falta para a área, Falcao esticou o pé esquerdo e desviou para defesa de Kawashima. Dois minutos, na resposta da equipe asiática, Kagawa preparou para Inui, que não pegou bem na bola e mandou à esquerda do alvo.

Tamanho era o ímpeto dos colombianos que alguns erros eram cometidos por afobação. Aos 17, Cuadrado encarou a marcação na ponta direita e olhou para a área buscando Falcao, mas se embolou e saiu com bola e tudo. O jogador da Juventus, minutos depois, acabou sendo o escolhido para sair para a entrada de Barrios, em uma tentativa de Pékerman de ganhar o meio de campo.

Os japoneses exploravam os espaços deixados pelos 'Cafeteros' para contra-atacar e tiveram nova oportunidade aos 31, com Osako, que encarou a marcação pela esquerda e limpou, mas deu na orelha da bola e isolou.

Na bola parada, em um lance de criatividade por parte de Quintero, a Colômbia empatou aos 38. Falcao foi derrubado, o meia do River Plate fez a cobrança por baixo da barreira e deixou tudo igual. Kawashima ainda tentou convencer a arbitragem de que a bola não entrou, mas com a tecnologia da linha do gol atuando ficou difícil para o camisa 1.

Na tentativa de se aproveitar da vantagem numérica, o Japão foi para o abafa nos primeiros minutos do segundo tempo. Aos oito, Osako fez o giro para cima de Davinson Sánchez e acertou uma bonita finalização, mas Ospina espalmou. Logo em seguida, aos 11, Inui levou da esquerda para o meio e encheu o pé para mais uma bonita intervenção do arqueiro do Arsenal.

Com Kagawa discreto, Akira Nishino mandou Honda a campo, e o camisa 4 deu qualidade aos asiáticos. Em sua primeira aparição, aos 24, o jogador do Pachuca arriscou de fora, e Ospina segurou. Na sequência, aos 27, o meia bateu escanteio da esquerda, Osako desviou de cabeça, a bola beijou a trave e entrou.

O desempate mudou a dinâmica da partida, e a partir de então foi a Colômbia quem pressionou. Aos 32, James Rodríguez invadiu e encheu o pé, mas a tentativa saiu desviada e foi para escanteio.

Ao mesmo tempo, os 'Cafeteros' se expunham a contra-ataques, como aos 36 minutos, quando Sakai disparou pela direita e fez o chuveirinho até Osako, que desviou em tiro de meta.

A partir de então, o que se viu foi a Colômbia com muita garra e vigor físico, mas pouca organização para levar perigo. Em uma última tentativa mais bem trabalhada, aos 44, Arias levantou e Falcao foi flagrado em posição irregular.



Ficha técnica:.

Colômbia: Ospina; Arias, Zapata, Davinson Sánchez e Mojica; Carlos Sánchez, Lerma, Cuadrado (Barrios), Quintero (James Rodríguez) e Izquierdo (Bacca); Falcao. Técnico: José Pekerman.

Japão: Kawashima; Sakai, Yoshida, Shoju e Nagatomo; Hasebe, Shibasaki (Yamaguchi), Inui, Kagawa (Honda) e Haraguchi; Osako (Okazaki). Técnico: Akira Nishino.

Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado pelos compatriotas Jure Praprotnik e Robert Vukan.

Cartões amarelos: Barrios e James Rodríguez (Colômbia); Kawashima (Japão).

Cartão vermelho: Carlos Sánchez (Colômbia).

Gols: Quintero (Colômbia); Kagawa e Osako (Japão).

Estádio: Mordovia Arena, em Saransk.

Mais Esporte