Topo

Esporte

Rússia vence Egito de Salah, bate recordes e fica perto da classificação

19/06/2018 17h19

São Petersburgo (Rússia), 19 jun (EFE).- Embalada após a ótima estreia, a Rússia continuou a mostrar força como seleção anfitriã e ficou muito perto da inédita classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo ao vencer nesta terça-feira por 3 a 1 o Egito do badalado atacante Mohamed Salah, que marcou o gol de honra em cobrança de pênalti no duelo disputado no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo.

Esta é a primeira vez desde o desmantelamento da União Soviética que a Rússia vence duas partidas na mesma edição do torneio, o que não havia ocorrido em 1994, 2002 (ambas com resultado positivo) e 2014 (quando foi eliminada sem vencer).

A marca de oito gols também levou a Rússia a ter feito o maior número de gols em duas rodadas entre seleções anfitriãs desde que as Copas do Mundo passaram a ter grupos com quatro integrantes, em 1950. Além disso, os russos estão a um gol de igualarem a maior artilharia em uma fase de grupos entre as seleções que jogaram em casa - a França marcou 9 em 1998.

Depois de um primeiro tempo zerado, o egípcio Ahmed Fathy marcou contra para a Rússia, que ampliou com Denis Cheryshev - que se igualou a Cristiano Ronaldo na artilharia da competição, com três gols - e Artem Dzyuba. O Egito descontou com Salah, que converteu um pênalti marcado com o auxílio do sistema de árbitro de vídeo (VAR).

A seleção russa pode se classificar para a próxima fase amanhã, sem entrar em campo, desde que o Uruguai vença ou empate com a Arábia Saudita em São Petersburgo (às 15h de Brasília), no confronto que fechará a segunda rodada do grupo A. Para se manter vivo, o Egito precisa da vitória dos sauditas nesta quarta, e, na última rodada, além de ter que derrotá-los, torcerá para a Rússia ganhar do Uruguai.

Ao contrário da partida que abriu a competição, o duelo contra o Egito foi mais complicado para a Rússia que a goleada sobre a Arábia Saudita. Apesar de ter apresentado mais volume de jogo e uma certa facilidade para armar jogadas ofensivas, a seleção anfitriã se deparou com um time mais consistente que o rival anterior.

Com o apoio da torcida local, a equipe da casa partiu para cima e levou perigo logo aos cinco minutos. Pouco depois de Mohamed El Shenawy defender um cabeceio de Sergey Ignashevich na área, o ataque russo chegou rápido com Aleksandr Golovin, que arrancou sozinho e chutou no canto, mas viu a bola passar rente à trave.

A resposta egípcia veio aos 15, quando Trezeguet recebeu na intermediária, entrou na área e tentou chutar colocado, mas não colocou o efeito necessário para a bola fazer a curva. Na sequência, o meia Denis Cheryshev, autor de dois golaços na estreia, quase abriu o placar para a Rússia em chute de longe, mas exagerou na altura.

A primeira chance de Salah veio apenas aos 41 minutos de jogo. Após receber bom passe de calcanhar de Marwan Mohsen, o camisa 10 egípcio girou para se livrar da marcação na entrada da área e procurou o ângulo do goleiro Akinfeev, mas a bola saiu por pouco.

Logo no início do segundo tempo, os donos da casa abriram o placar com a ajuda de um rival. Ao aproveitar uma sobra na área, Roman Zobnin chutou e a bola desviou em Fathi, que tentou cortar, mas mandou para dentro da própria meta.

Com o gol sofrido, o Egito se abriu mais e permitiu que a equipe adversária chegasse com mais perigo. Aos 13, Cheryshev completou cruzamento preciso do brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes para ampliar.

Sem freio e diante de um rival desnorteado, a seleção anfitriã voltou a marcar logo em seguida, aos 16 minutos. Mais uma vez com Mario Fernandes como garçom, Dzyuba recebeu longo lançamento, tirou da zaga e chutou colocado para marcar o terceiro.

Após diversos ataques ineficientes, o Egito conseguiu a chance de descontar aos 26 minutos, após o árbitro marcar falta na entrada da área e voltar atrás para marcar pênalti com o auxílio do VAR. Salah deixou sua marca na cobrança, mas o esforço egípcio não foi suficiente para evitar a derrota, que deixa a seleção norte-africana em situação crítica na competição.



Ficha técnica:.

Rússia: Akinfeev; Mário Fernandes, Kutepov, Ignashevich e Zhirkov (Kudryashov); Zobnin, Gazinsky, Samedov, Golovin e Cheryshev (Kuzyaev); Dzyuba (Smolov). Técnico: Stanislav Cherchesov.

Egito: El Shenawy; Fathi, Ali Gabr, Hegazy e Abdel Shafi; Hamed, Elneny (Warda), Salah, Abdalla e Trezeguet (Sobhi); Mohsen (Kahraba). Técnico: Héctor Cúper.

Gols: Fathi (contra), Cheryshev e Dzyuba (Rússia); Salah (Egito).

Cartões amarelos: Smolov (Rússia); Trezeguet (Egito).

Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai), auxiliado pelos compatriotas Eduardo Cardozo e Juan Zorrilla.

Estádio: Krestovsky, em São Petersburgo (Rússia).

Mais Esporte