Topo

Esporte

"Sem querer", Diego Costa garante vitória da Espanha sobre o Irã

20/06/2018 17h10

Kazan (Rússia), 20 jun (EFE).- A seleção da Espanha sofreu muito mais do que o esperado nesta quarta-feira, mas venceu o Irã por um magro 1 a 0, na Kazan Arena, e deu um importante passo para se classificar às oitavas de final da Copa do Mundo pelo grupo B, no qual divide a liderança com Portugal.

A 'Roja' passou os primeiros 45 minutos bloqueada pela retranca do adversário, só conseguindo abrir o placar aos 9 do segundo tempo, em gol "sem querer" do atacante brasileiro naturalizado Diego Costa, que marcou o gol ao levar bolada na perna, em tentativa de corte do zagueiro Ramin Rezaeian.

Seis minutos depois, os espanhóis levaram grande susto, quando o volante Saeid Ezatolahi balançou as redes. O lance, contudo, acabou sendo anulado pelo árbitro uruguaio Andrés Cunha, que precisou consultar o VAR para confirmar a infração sinalizada em campo, de impedimento do volante iraniano.

Com o resultado, a Espanha chegou a quatro pontos, se igualando a Portugal, com quem ficou no empate na primeira rodada - os lusos, mais cedo, derrotaram o eliminado Marrocos, também por 1 a 0. O Irã, por sua vez, vem logo atrás dos favoritos da chave, com três pontos, ainda com chance de classificação.

Nesta segunda-feira, os espanhóis duelarão com os marroquinos em Kaliningrado. Simultaneamente, portugueses e iranianos definirão o destino na competição em jogo que acontecerá em Saransk.

A derrota de hoje derrubou uma série invicta de 23 jogos do Irã em torneios oficiais. O último revés da seleção asiática foi para a Bósnia por 3 a 1, na Fonte Nova, em Salvador, pela Copa de 2014. A Espanha, por sua vez, chegou a 22 partidas sem perder.

Para a partida pela segunda rodada, a Espanha veio com duas mudanças em relação à estreia. Carvajal, recuperado de lesão, entrou na vaga de Nacho, que marcou um dos gols do empate em 3 a 3 com os portugueses. Além disso, Vázquez ganhou a posição de Koke, deixando o meia mais ofensivo.

No Irã, o técnico Carlos Queiroz mudou a formação tática, passando do 3-4-3 da estreia para um 4-5-1. O zagueiro Hosseini, o volante Ezatolahi e o atacante Taremi entraram nos lugares do zaguueiro Cheshmi, do meia Shojaei e do atacante Jahanbakhsh.

Embora dominante territorialmente, os campeões mundiais de 2010 mostraram pouco ímpeto ofensivo, já que criavam chances, mas sem levar perigo a Bereinvard. O representante da Ásia, por sua vez, apostava tudo no contra-ataque e em chutes de longa distância, também sem sucesso.

A primeira finalização efetiva veio apenas aos 25 da etapa inicial, em cobrança de falta de David Silva, que desviou em Azmoun e ficou, tranquilamente, nas mãos do goleiro iraniano. Pouco depois, aos 30, na base do "abafa", o meia do Manchester City apareceu de novo, dessa vez em voleio desajeitado, que saiu por cima do gol.

Sempre ele, David Silva levou perigo aos 47, quando, enfim, uma trama de toque de bola foi o início de uma grande oportunidade de gol. O camisa 21 recebeu na entrada da área, carregou e bateu cruzado, em bola que acabou desviando em Pouraliganji e saindo rente à trave direita.

Depois de apresentar futebol pouco objetivo, a Espanha veio para cima no segundo tempo e, em cinco minutos, conseguiu criar duas chances claras, primeiro em descida pela esquerda, com cruzamento para Piqué - a bola foi travada pela defesa iraniana em cima da linha. Depois, com chute de Busquets defendido por Bereinvard.

A pressão inicial, no entanto, precedeu um susto para a 'Roja'. Aos 8, Ansarifard recebeu na intermediária, após cobrança de lateral, clareou e soltou uma bomba, que saiu à direita, muito perto da trave defendida por De Gea.

A resposta espanhola foi rápida e veio, mais uma vez, em trama de muitas trocas de passe, aos 9. Iniesta recebeu na intermediária, se livrou da marcação e ajeitou para Diego Costa, que se enroscou com Rezaeian na área. O zagueiro tentou chutar para cortar, mas a bola bateu na perna do atacante e morreu no fundo da rede.

O gol não desanimou o Irã, que quase empatou aos 15. Após levantamento da direita, Taremi subiu mais alto que os defensores e testou para fora. Dois minutos depois, em bola alçada na área em falta, Ezatolahi pegou sobra e bateu para marcar, mas o árbitro, consultando o VAR, anulou, por impedimento do volante.

Enquanto a Espanha continuava sofrendo para atacar, os iranianos voltaram a criar uma grande oportunidade aos 37, quando Amiri passou a bola entre as pernas de Piqué e cruzou na medida para Taremi, que cabeceou por cima do gol, ficando a centrímetros de empatar o placar.



Ficha técnica:.

Irã: Bereinvard; Rezaeian, Hosseini, Pouraliganji e Hajsafi (Mohammadi); Ebrahimi, Ezatolahi, Ansarifard (Jahanbakhsh) , Taremi e Amiri (Ghoddos); Azmoun. Técnico: Carlos Queiroz.

Espanha: De Gea; Carvajal, Piqué, Ramos e Alba; Busquets, Iniesta (Koke), David Silva, Isco e Vázquez (Asensio); Diego Costa (Rodrigo Moreno). Técnico: Fernando Hierro.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Nicolás Taran e Mauricio Espinosa.

Gol: Diego Costa (Espanha).

Cartões amarelos: Amiri e Ebrahimi (Irã).

Estádio: Kazan Arena, em Kazan (Rússia).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte