Topo

Esporte

Gareca afirma que Peru vai melhorar após voltar a disputar uma Copa

21/06/2018 15h58

Ecaterimburgo (Rússia), 21 jun (EFE).- O técnico do Peru, Ricardo Gareca, lamentou nesta quinta-feira a eliminação do país na Copa do Mundo, "principalmente pelos torcedores", mas disse acreditar que a experiência de voltar a disputar a competição após 36 anos permitirá que a seleção melhore.

"Tínhamos outras expectativas, a equipe deu tudo o que tinha nas duas partidas. Resta seguir em frente e terminar da melhor maneira possível pelas pessoas que vieram nos assistir. Não tenho nada a reprovar sobre os jogadores, a imagem do Peru foi positiva", comentou o treinador após a derrota por 1 a 0 para a França.

De acordo com Gareca, o Peru foi a campo para ganhar as duas partidas e a França mereceu vencer, sobretudo pela solidez defensiva apresentada.

"Esta experiência vai servir muito para nós. Poder competir neste nível é muito importante. A nossa intenção era vir para competir, ver onde estamos. Queremos coisas melhores, mas acho que com tempo e crescimento vamos chegar lá", considerou.

Gareca apelou às autoridades peruanas para que continuem a se esforçar para promover o esporte e afirmou que os jovens jogadores que foram levados à Rússia sairão do país com mais experiência.

"É preciso perceber que eles têm um potencial enorme. Isto é uma experiência incrível. Em relação ao futuro, o Peru é uma seleção que, se receber o apoio, pode melhorar muito", disse.

Sobre o fato do Peru não ter conseguido fazer gols em nenhuma das duas primeiras rodadas, o técnico preferiu ressaltar o esforço e a capacidade de criação da equipe.

"Em dois jogos, o Peru teve mais de dez chances de gol. Hoje não teve a profundidade que teve contra a Dinamarca, mas buscou por todos os lados. Em uma Copa não há muitas oportunidades, alguns aproveitam e nós, não. A equipe tentou, e o rival fez um bom trabalho", comentou.

A respeito de Paolo Guerrero, que foi titular nesta quinta-feira, Gareca considerou que o atacante "fez o que pôde" e lamentou que os problemas com o doping o tenham deixado oito meses sem atuar.

"Deu tudo o que podia e não há nada a ser dito, quero desejar o melhor para o seu futuro, que se resolva o mais rápido possível. Ele se envolveu em uma situação que todo o mundo sabe que foi um acidente", declarou.

Mais Esporte