Topo

Esporte

Brasil volta a sofrer no ataque, mas marca 2 vezes no fim e vence Costa Rica

22/06/2018 11h18

São Petersburgo, 22 jun (EFE).- A seleção brasileira esteve muito perto do segundo tropeço nesta Copa do Mundo, mas com gols salvadores de Philippe Coutinho e Neymar nos acréscimos da etapa final, conseguiu uma vitória sobre a Costa Rica nesta sexta-feira, por 2 a 0, no Estádio Olímpico Fisht, na cidade de São Petersburgo.

O Brasil teve 69% de posse de bola, mas demorou a dar trabalho ao goleiro Keylor Navas, que, quando exigido, se saía bem. Na melhor chance dos comandados pelo técnico Tite em quase 90 minutos, logo no começo do segundo tempo, Gabriel Jesus acertou um cabeceio no travessão.

Apagado mais uma vez, Neymar poderia ter aberto o placar em um pênalti no qual o árbitro holandês Bjorn Kuipers viu falta em cima dele. Porém, alertado pela arbitragem de vídeo e após rever a jogada, anulou a própria marcação.

Quem fez 1 a 0 então foi Coutinho, que já havia sido o autor do gol do empate com a Suíça em 1 a 1 na estreia. Aos 46 minutos, o meia do Barcelona pegou sobra dentro da área e fuzilou Navas, de bico. Mais tarde, aos 51, Neymar enfim balançou a rede e selou o triunfo.

Com o resultado, a seleção assumiu, ao menos provisoriamente, a liderança do grupo E, com quatro pontos, ainda à espera do confronto entre Sérvia, que tem três, e Suíça, com dois, que acontecerá ainda hoje em Kaliningrado. A Costa Rica, que ainda não pontuou, está eliminada.

Na última rodada da chave, marcada para a próxima quarta-feira, o Brasil vai encarar a Sérvia na Otkrytiye Arena, em Moscou, enquanto os 'Ticos', quadrifinalistas em 2014, cumprirão tabela enfrentando os suíços em Nizhny Novgorod.

Cada técnico fez para o jogo deste sábado apenas uma alteração em relação às estreias. Tite perdeu Danilo, com uma lesão no lado direito do quadril, e escalou Fagner, seu homem de confiança desde os tempos de Corinthians. E pela mesma faixa do campo, na lateral esquerda da Costa Rica, Oviedo entrou em lugar de Calvo, que havia começado jogando na derrota para a Sérvia por 1 a 0.

O Brasil deu um susto no adversário logo aos dois minutos de partida, com Philippe Coutinho. O meia recebeu na direita, perto da área, e arriscou, mas encobriu a meta.

No entanto, a primeira chance real de gol foi dos 'Ticos'. Aos 12 minutos. Gamboa avançou pela ponta direita, nas costas de Marcelo, e rolou para a chegada de Borges. O filho do brasileiro naturalizado costa-riquenho Alexandre Guimarães, ex-jogador e ex-técnico da seleção da América Central teve espaço, mas pegou mal e mandou pela linha de fundo.

Neymar continuava sendo caçado. Aos 17 minutos, depois de um lençol no adversário, sofreu a terceira falta até então. Faltava, porém, uma grande finalização, que até aconteceu aos 24, mas o lance foi anulado. O camisa 10 encarou a marcação, Marcelo pegou a sobra e chutou. Gabriel Jesus dominou e completou para o fundo da rede, mas foi flagrado em posição irregular.

Aos 28, mais uma vez pela esquerda, Marcelo tentou o arremate cruzado para cima de Navas, seu companheiro de equipe no Real Madrid, mas a bola saiu à esquerda. Um minuto depois, foi Coutinho quem tentou de fora, mas encobriu o alvo.

O que se esperava de Neymar, Coutinho e Willian, quem fez foi Marcelo, aos 39 minutos. O lateral pedalou para cima da marcação, levou para o pé direito e bateu por baixo para defesa firme do goleiro.

A seleção brasileira voltou a campo do vestiário com Douglas Costa na vaga de Willian, e logo aos dois minutos o jogador da Juventus deu as caras. Ele iniciou a jogada pela direita, a zaga se enrolou no corte e Neymar quase marcou, mas Navas segurou.

A pressão aumentou, e aos quatro Gabriel Jesus cabeceou no travessão. Paulinho ficou com a sobra e rolou para Coutinho, que arrematou por baixo, mas a defesa tirou em escanteio.

Douglas Costa partiu para o drible novamente aos dez, mas foi desarmado. Paulinho ficou com a sobra e devolveu para o meio da área até Neymar, que pegou firme para grande defesa de Navas. Logo na sequência, aos 12, Paulinho preparou como um pivô para Coutinho, que encheu o pé, mas o arqueiro do Real Madrid encaixou.

A equipe pentacampeã então ficou ainda mais ofensiva a partir dos 20 minutos, com a entrada de Roberto Firmino em lugar de Paulinho. Aos 24, após cobrança de escanteio de Neymar, Casemiro cabeceou para baixo e Navas pegou.

Com poucas chances para aparecer, Neymar enfim poderia ter quebrado o jejum aos 26. Em corte errado da defesa costa-riquenha depois do lançamento, o camisa 10 ficou com a sobra limpa e poderia ter progredido, mas preferiu bater de fora e errou o alvo. Aos 30, Douglas Costa fez boa inversão para o jogador do Paris Saint-Germain, que carimbou a zaga e ficou com o escanteio.

O Brasil, enfim, acertou uma linha de passe aos 34 até a bola chegar a Neymar, que poderia ter chutado, mas preferiu mais um drible e caiu na área. O árbitro marcou pênalti, mas reviu o lance no monitor à beira do gramado e voltou atrás na decisão.

Parecia que a equipe pentacampeã tropeçaria novamente, mas as emoções estavam reservadas para os instantes finais. Aos 45, Marcelo levantou, Firmino preparou de cabeça e Jesus errou o domínio, mas Coutinho apareceu e bateu de bico para fazer 1 a 0.

Roberto Firmino poderia ter ampliado a vantagem aos 48 após tabela com o próprio Coutinho, lembrando os tempos de parceria no Liverpool, mas errou uma finalização fácil, de frente para Keylor Navas, e isolou.

Só que ainda houve tempo para o segundo. Aos 51, mesmo com o tempo adicional já encerrado, Casemiro puxou um contra-ataque, Douglas Costa colocou para o meio da área, e Neymar se antecipou ao goleiro para empurrar para a rede e enfim sair do zero nesta Copa.



Ficha técnica:.

Brasil: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho (Roberto Firmino) e Philippe Coutinho; Willian (Douglas Costa), Neymar e Gabriel Jesus (Fernandinho). Técnico: Tite.

Costa Rica: Navas; Gamboa (Calvo), Acosta, González, Duarte e Oviedo; Guzmán (Tejeda), Borges, Ruiz e Venegas; Ureña (Bolaños). Técnico: Óscar Ramírez.

Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda), auxiliado pelos compatriotas Sander van Roekel e Erwin Zeinstra.

Cartões amarelos: Neymar e Philippe Coutinho (Brasil); Acosta (Costa Rica).

Gols: Philippe Coutinho e Neymar (Brasil).

Estádio: Krestovsky, em São Petersburgo.

Mais Esporte