Topo

Esporte

Maioria de torcedores chineses que viajam para a Copa são mulheres

22/06/2018 06h50

Pequim, 22 jun (EFE).- Cerca de 57% dos torcedores chineses que compraram entradas para partidas da Copa do Mundo da Rússia são mulheres, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela operadora turística chinesa Ctrip, que estima que os cidadãos da China gastarão mais de 3 bilhões de iuanes (US$ 461 milhões) no país anfitrião.

Cerca de 100 mil torcedores viajarão da China para a Rússia para a Copa, sendo o terceiro país do mundo que mais espectadores enviará para o evento, e desembolsarão a quantidade de dinheiro citada em entradas, serviços de consumo e viagens entre cidades.

Cinquenta e sete por cento deles são mulheres e, segundo a agência, muitas delas admitiram que o motivo de sua viagem à Rússia é ver os jogadores de perto.

"Há 20 voos da China para a Rússia todo dia, levando 4.000 pessoas diariamente. O número médio de ocupação de voos para as cidades russas mais populares é de mais de 90%", afirmou Xiao Yinyuan, diretor de turismo para o estrangeiro de Ctrip, em declarações ao jornal oficial "Global Times".

Segundo os dados do operador turístico chinês, coletados do tráfego de seu site, um total de 5.000 pessoas reservaram serviços de viagem para a Copa, dez vezes mais que na edição anterior do torneio no Brasil.

Os torcedores chineses gastaram mais de 30 mil iuanes (US$ 4.600) por pessoa nos pacotes turísticos projetados pela Ctrip, que subiu os preços em 50% neste período em relação a outras épocas do ano, de modo que o preço médio de suas viagens individuais e em grupo é de 14 mil iuanes (US$ 2.150).

A agência informou que o preço da viagem para ver a semifinal e o final da Copa ronda os 180 mil iuanes (US$ 28 mil) por pessoa, e que apesar do alto custo, "os torcedores disputam as vagas disponíveis".

As companhias chinesas investiram US$ 835 milhões em publicidade da Copa, o dobro de americanas e mais que as russas - que destinou cerca de US$ 64 milhões -, segundo dados da empresa de consultoria e análise de mercado Zenith.

Mais Esporte