Topo

Esporte

Tite reconhece nervosismo, mas destaca: "Jogamos bela segunda etapa"

22/06/2018 13h47

São Petersburgo, 22 jun (EFE).- Aliviado com a primeira vitória da seleção brasileira nesta Copa do Mundo, com um 2 a 0 sobre a Costa Rica neste sábado em São Petersburgo, o técnico Tite admitiu que sua equipe sentiu a pressão de ter empatado com a Suíça na estreia, mas elogiou a atuação.

"É possível que tenhamos começado nervosos, porque obviamente existe um alto componente emocional, mas jogamos uma bela segunda etapa", opinou Tite em entrevista coletiva no Estádio Olímpico Fisht, palco do triunfo deste sábado.

Perguntado sobre a baixa média de gol no Mundial, Tite considerou que a parte psicológica pode estar pesando contra as seleções de maior tradição.

"Fica difícil eu falar sobre os outros jogos, porque assisti a poucos. O que tenho visto é uma grande tensão e uma grande responsabilidade de algumas equipes. O impacto da necessidade de vencer é grande", opinou o treinador, que minimizou o choro de Neymar após o apito final, ainda no centro do gramado.

"Ele é humano, e por isso a sua reação. Ele deve recuperar o seu nível máximo, mas à frente disso está a equipe. Mas certamente ele vai chegar aos 100%, vocês verão", previu.

Quando o placar ainda era de 0 a 0, o árbitro holandês Bjorn Kuipers marcou pênalti sobre Neymar, mas, aconselhado pelos responsáveis pelo VAR, reviu o lance no monitor à beira do gramado e voltou atrás. No domingo, contra a Suíça, os brasileiros reclamaram de pênalti e Gabriel Jesus e a jogada não foi revista.

"Se sou eu o árbitro, aponto a marca da cal. Se sou eu, não volto atrás. Mas respeito a escolha dele, é passível de interpretação. Não precisamos de arbitragem para vencer jogo, queremos que ela seja justa. E como foi revisto agora, poderia ter sido olhado no domingo. E que interpretem como for, mas sejam iguais em todos os jogos. De qualquer forma, pra mim, hoje foi pênalti, e aquele do Jesus eu não teria dado", declarou.

Precisando da vitória, Tite usou pela primeira vez os centroavantes Gabriel Jesus e Roberto Firmino juntos. O técnico fez uma avaliação positiva da parceria. "Quando mostrei para o Firmino no quadro o posicionamento que gostaria que ele tivesse, ele sorriu e disse que gosta de jogar ali. Estamos descobrindo as características dos atletas", revelou.

Quando Philippe Coutinho marcou o primeiro gol da seleção, Tite correu para comemorar e acabou caindo. Ele contou que se machucou na fatalidade e ainda "culpou" os goleiros reservas.

"Não estou conseguindo andar direito. Quando o gol aconteceu, o Ederson me bateu, e depois o Cássio me bateu também, e aí já era. Eu iria lá comemorar junto, mas não consegui", afirmou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte