Topo

Esporte

Alemanha sai atrás, mas bate Suécia de virada e mantém grupo F aberto

23/06/2018 17h12

Sochi (Rússia), 23 jun (EFE).- A Alemanha flertou neste sábado com a "maldição do campeão" e a eliminação precoce na Copa do Mundo, mas, em jogo marcado pela redenção do meia Toni Kroos, venceu a Suécia de virada por 2 a 1, mesmo com um homem a menos em campo, e manteve aberto o grupo F.

O placar da partida, disputada no Estádio Olímpico Fisht, em Sochi, foi aberto pelo atacante Ola Toivonen, aos 32 minutos do primeiro tempo, depois de um improvável erro de passe do camisa 8, que originou o lance do gol.

Encurralados pela derrota na estreia diante dos mexicanos, os alemães vieram para a etapa final em ritmo acelerado e marcaram logo aos 3, com o meia-atacante Marco Reus. Depois, criaram inúmeras oportunidades, mas esbarraram no goleiro Robin Olsen e na própria falta de pontaria.

A partir dos 37 do segundo tempo, os vencedores da edição da Copa disputada há quatro anos, no Brasil, ainda ficaram com um homem a menos, devido a expulsão do zagueiro Jérome Boateng, que recebeu segundo amarelo após falta dura no atacante Marcus Berg.

Incansável, a equipe alemã conseguiu a virada aos 50 da etapa final, com Kroos, cobrando falta em dois toques, com extrema categoria, para superar o goleiro adversário.

Com a vitória, os tetracampeões chegaram aos três pontos, igualando os suecos, um empate que também se estende ao saldo de gols e aos gols marcados pelas duas seleções, os dois primeiros critérios de desempate da competição.

A Alemanha enfrentará na próxima quarta-feira a Coreia do Sul, que está zerada na chave, em Ecaterimburgo. Os nórdicos, por sua vez, terão que duelar com o México, que está na liderança isolada, com seis pontos.

O resultado evitou, ao menos por uma rodada, a terceira eliminação consecutiva do detentor de título na fase de grupos, algo que aconteceu com a Itália, em 2010, na África do Sul, e com a Espanha, há quatro anos, no Brasil.

Os alemães vieram para o jogo deste sábado com quatro alterações, com relação a estreia. Hummels, lesionado, deu lugar a Rüdiger, enquanto Hector, que se recuperou de uma gripe, substituiu Plattenhardt. Além disso, o técnico Joachim Löw cedeu aos críticos e barrou Khedira e Özil, para lançar Rudy e Reus na equipe.

Na Suécia, três jogadores sofreram intoxicação alimentar, os zagueiros Jansson - titular contra os sul-coreanos - e Helander, além do meia Rohden, que ficaram no banco. Além disso, o atacante Thelin chegou a ser dúvida, por causa da lesão em um dos tornozelos, mas foi relacionado e até acabou entrando no jogo.

Acuada pelo revés na estreia, a campeã mundial se lançou com tudo ao ataque. Aos 3, Werner recebeu na direita, quase na linha de fundo e bateu cruzado, para defesa de Olsen, que deu rebote, para Reus concluir em cima da zaga. Quatro minutos depois, em lance parecido, o meia do Borussia Dortmund foi quem levou ao extremo do campo e jogou para o meio, uma bola que ninguém conseguiu concluir.

A 'blitz' da Alemanha foi interrompida aos 13, em bobeada do sistema defensivo, que permitiu que Berg fosse lançado nas costas da zaga. O atacante disparou e finalizou para a defesa de Neuer. Os jogadores da Suécia reclamaram muito de falta cometida dentro da área por Boateng no momento do chute, em lance ignorado pelo árbitro polonês Szymon Marciniak e pela equipe de vídeo.

A Alemanha começou a ter o drama ampliado aos 26, quando Löw perdeu uma das apostas para a partida. Rudy se chocou com Toivonen, após cair no chão e, devido ao intenso sangramento no nariz, precisou ser substituído por Gundogan.

Seis minutos depois, Kroos errou um passe bobo no meio, deu a bola nos pés de Berg, que passou para Claesson na direita. O meia-atacante acionou Toivonen, que matou no peito e deu um leve toque por cima de Neuer para abrir o marcador da partida.

Sempre fria e calculista, a atual campeã mundial se mostrava impaciente e nervosa em campo. Para piorar, aos 39, Olsen se agigantou e fez grande defesa, em conclusão de Kroos. No rebote, Müller ficaria livre para concluir, se não fosse desarmado por Augustinson.

Já nos acréscimos da etapa inicial, a Suécia ficou muito perto de ampliar, o que só não aconteceu graças a Neuer. Berg foi lançado na área e testou firme, obrigando o goleiro a fazer uma defesa espetacular, para manter a vantagem miníma do adversário.

Para o segundo tempo, a Alemanha voltou com Gomez no lugar de Draxler, o que fez com que Werner passasse a atuar pelo lado esquerdo. Aos 3, o jovem atacante do RB Leipzig levou a bola até a linha de fundo e cruzou, encontrando Reus na área, para tocar para o fundo das redes.

O gol empolgou os alemães, que foram com tudo para cima em busca da virada ainda nos primeiros minutos. Antes das cinco primeiras voltas do relógio, Kroos e Müller criaram duas boas oportunidades, mas não conseguiram virar o placar. Aos 11, Hector recebeu na área e bateu firme, parando em mais uma boa defesa de Olsen.

A mil por hora no jogo, a seleção da Alemanha tirou o fôlego da torcida aos 15, quando Kimmich cruzou da direita e Reus tentou concluir de letra, errando por pouco a bola, que não tocou em ninguém na área e saiu muito perto da trave direita da Suécia.

Aos 27, a seleção azul e amarela quase foi atingida pelo fogo amigo, quando Werner levou mais uma vez até a linha de fundo e cruzou para o meio da área. Granqvist se esforçou para cortar, mas, graças a defesa de Olsen, não jogou a bola contra as próprias redes.

Com as duas seleções, nitidamente desgastadas fisicamente, o ritmo do jogo caiu. Os alemães conseguiram levar perigo mais uma vez aos 35, em descida pela direita, que terminou com um cruzamento para Werner na área. O atacante pegou mal na bola e finalizou por cima.

Dois minutos depois do lance, Boateng, que havia recebido cartão amarelo aos 16 ao tentar matar um contra-ataque, fez falta dura em Berg e acabou expulso, em um lance que o polonês Szymon Marciniak só aplicou o segundo cartão depois de muita reclamação dos suecos.

Mesmo com um a menos, os alemães seguiram pressionando muito em busca do segundo gol. Aos 43, após cruzamento da esquerda de Brandt, que havia acabado de substituir Hector, Gomez ganhou da zaga pelo alto e testou, parando em mais uma grande intervenção de Olsen.

O bombardeio dos campeões mundiais seguiu intenso contra o acuado adversário. Aos 47, Brandt pegou sobra de bola na entrada da área e bateu com muita categoria, no cantinho, acertando a trave esquerda. No rebote, Werner pegou a bola e isolou, mas o segundo lance foi invalidado pela posição irregular do atacante.

A insistência alemã foi premiada aos 50 do segundo tempo, quando Durmaz derrubou Werner no lado esquerdo da área. Na cobrança da falta, Kroos rolou para Reus, que parou para o companheiro bater firme, sem dar chances para Olsen, e virar o placar.



Ficha técnica:.

Alemanha: Neuer; Kimmich, Boateng, Rüdiger e Hector (Brandt); Rudy (Gundogan), Kroos, Müller, Draxler (Gomez) e Reus; Werner. Técnico: Joachim Löw.

Suécia: Olsen; Lustig, Granqvist, Lindelof e Augustinson; Claesson (Durmaz), Larsson, Ekdal e Forsberg; Toivonen (Guidetti) e Berg (Thelin). Técnico: Janne Andersson.

Árbitro: Szymon Marciniak (Polônia), auxiliado pelos compatriotas Pawel Sokolnicki e Tomasz Listkiewicz.

Gols: Reus e Kroos (Alemanha); e Toivonen (Suécia)

Cartões amarelos: Boateng (Alemanha); Ekdal e Larsson (Suécia).

Cartão vermelho: Boateng (Alemanha).

Estádio Olímpico Fisht, em Sochi (Rússia).

Mais Esporte