Topo

Esporte

Com Lukaku artilheiro, Bélgica goleia Tunísia e fica muito perto da vaga

23/06/2018 11h26

Moscou, 23 jun (EFE).- Em grande atuação do meia Eden Hazard e do atacante Romelu Lukaku, que se igualou a Cristiano Ronaldo com quatro gols na artilharia da Copa do Mundo, a Bélgica venceu a Tunísia por 5 a 2 neste sábado, em Moscou, e garantirá a classificação antecipada às oitavas de final caso a Inglaterra não seja derrotada pelo Panamá amanhã, em Nizhny Novgorod.

Superior durante toda a partida diante de um adversário que se abriu demais para tentar jogar de igual para igual, a seleção belga atropelou na Otkrytiye Arena com dois gols do meia Eden Hazard, que nunca havia balançado a rede em Copas, dois de Lukaku e um do atacante Michy Batshuayi.

Os tunisianos descontaram com o zagueiro Dylan Bronn ainda no primeiro tempo, quando a partida estava 2 a 0, e com o meia Wahbi Khazri, que fechou o placar.

O jogo que registrou o maior número de gols na Copa até agora poderia ter até mais não fossem as grandes defesas do goleiro Ben Mustapha e o travessão, que impediu um de Batshuayi, outro a ter boa atuação após entrar no lugar de Hazard na segunda etapa.

Com o bom desempenho neste sábado, Lukaku também se igualou ao ex-meia Marc Wilmots como o maior artilheiro da Bélgica em todas as edições do torneio, com cinco gols.

O pênalti que originou o primeiro gol da partida, de Hazard, foi o 13º assinalado na Copa do Mundo da Rússia, número que já se iguala ao total de penalidades máximas marcadas ao longo de toda a edição de 2014, no Brasil, quando ainda não havia o recurso do sistema de árbitro de vídeo (VAR), responsável por cinco marcações até agora.

A vitória deixa a Bélgica isolada na liderança do grupo G, com seis pontos, enquanto a Tunísia, que não pontuou, ocupa a lanterna. Os belgas aguardam agora o resultado da partida entre Inglaterra e Panamá, que se enfrentarão no domingo, às 9h (horário de Brasília), no Estádio Nizhny Novgorod, torcendo pelo triunfo inglês.

Caso vença, o 'English Team' também garante a vaga na próxima fase e fará uma decisão contra a Bélgica pela liderança do grupo na última rodada. Já os tunisianos torcem por uma vitória do Panamá, único resultado que não elimina a seleção do Mundial.

Para quem achou que o ataque belga fez bonito na vitória por 3 a 0 sobre o Panamá na estreia, a partida deste sábado mostrou que a seleção treinada por Roberto Martínez pode ser ainda mais perigosa, fazendo jus à alcunha de "ótima geração".

Logo aos seis minutos de jogo, quando a Bélgica já pressionava, Hazard recebeu de Kevin De Bruyne, tentou driblar o marcador e foi derrubado na linha da área. O árbitro marcou a penalidade máxima e o camisa 10 bateu com perfeição no canto direito do goleiro tunisiano Ben Mustapha para abrir o placar.

Aos 15, Ali Maaloul falhou no domínio e perdeu a bola para Hazard. O meia rapidamente lançou para a arrancada de Lukaku, que bateu cruzado de canhota para ampliar.

Quando menos se esperava, dois minutos depois, em longínqua falta pela esquerda levantada na área, Khazr encontrou Bronn, que resvalou de cabeça para enganar Courtois e descontou para os tunisianos.

Antes do intervalo, Lukaku ainda teria tempo de fazer mais um. Em saída errada da Tunísia aos 48, novamente com falha de Maaloul, Meunier recuperou a bola e passou em profundidade para o centroavante tirar do goleiro com um toque refinado.

Na volta ao gramado, a Tunísia assustou em cruzamento perigoso na área, e a Bélgica não perdoou na resposta. Aos sete minutos, Hazard recebeu longo lançamento de Vertonghen, avançou sozinho e driblou o goleiro para marcar o quarto e dar início à goleada.

Com o resultado bem encaminhado, Martínez resolveu sacar Hazard e Lukaku para poupar os principais jogadores e pôs em campo Fellaini, para proteger o meio, e Batshuayi, como nova opção no ataque.

Aos 30, Batshuayi arrancou, passou pelo goleiro e chutou com o gol livre, mas o zagueiro Meriah chegou a tempo para tirar em cima da linha. Pouco depois, Carrasco chutou, o goleiro defendeu com o peito e Bat acertou o travessão no rebote.

Mas os gols ainda não tinham chegado ao fim. Após muita insistência, aos 44 minutos, a Bélgica chegou ao quinto gol em cruzamento preciso de Tielemans para Batshuayi, que se jogou de carrinho para marcar.

No último lance da partida, em ataque pelo lado direito, Naguez cruzou rasteiro para Khazri descontar mais uma vez para a Tunísia, que respira por aparelhos na Copa do Mundo.



Ficha técnica:.

Bélgica: Courtois; Vertonghen, Boyata, Alderweireld; Meunier, De Bruyne, Witsel, Carrasco; Dries Mertens (Tielemans), Eden Hazard (Batshuayi); Romelu Lukaku (Fellaini). Técnico: Roberto Martínez.

Tunísia: Moustapha; Bronn (Naguez), Ben Youssef (Benalouane), Merieh, Maaloul; Badri, Sliti, Sassi, Khaoui, Skhiri; Khazri. Técnico: Nabil Maaloul.

Árbitro: Jair Marrufo (EUA), auxiliado pelo compatriota Corey Rockwell e o salvadorenho Juan Zumba.

Gols: Hazard (2), Lukaku (2), e Batshuayi (Bélgica); Brown e Khazri (Tunísia).

Cartão amarelo: Sassi (Tunísia).

Estádio: Otkrytiye Arena, em Moscou.

Mais Esporte