Topo

Esporte

Miranda exalta dificuldade da Copa e comenta situação da Argentina: "Dá pena"

23/06/2018 05h58

São Petersburgo (Rússia), 23 jun (EFE).- O zagueiro Miranda, que contribuiu para aliviar a pressão sobre a seleção brasileira com a vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica na sexta-feira, ressaltou o alto nível de dificuldade da Copa do Mundo e analisou a difícil situação da Argentina, que ocupa a lanterna do grupo D.

"Foi uma partida difícil, mas a nossa seleção sabe ser mentalmente forte e suportar a pressão, então temos que nos parabenizar porque a vitória nos deixa mais perto do nosso objetivo", comentou.

Brasil e Costa Rica empatavam sem gols até os 46 minutos do segundo tempo, quando Philippe Coutinho abriu o placar e, depois, Neymar ampliou. De acordo com o camisa 3, "o empate não era tão ruim", mas os jogadores precisam se sentir orgulhosos com o esforço demonstrado.

"Nós, defensores, só pensávamos em não sofrer gol porque o empate não era tão ruim. Não era o que queríamos, mas não era tão ruim. Depois, tivemos a felicidade de encontrar o gol. (A vitória) é importante para nós em nível mental, as pessoas sabem que todas as partidas vão ser complicadas. A seleção tem que ficar feliz porque lutou até o final", analisou.

Sobre o pênalti marcado em Neymar, que posteriormente foi anulado pelo árbitro holandês Björn Kuipers com o auxílio do sistema de árbitro de vídeo (VAR), Miranda disse não ter acompanhado o lance em campo, mas depositou confiança na tecnologia.

"Não vi o pênalti, não vi a jogada, mas o VAR dificilmente vai se equivocar", opinou.

Apesar de liderar o grupo E, com quatro pontos, assim como a Suíça, o Brasil ainda precisará garantir na terceira rodada a classificação para as oitavas de final. No entanto, a situação é bem mais cômoda que a da arquirrival Argentina, que ocupa a lanterna de seu grupo e não depende apenas de si para avançar no torneio.

"Dá pena que uma grande seleção como a Argentina esteja passando um momento como este. É uma pena para o futebol, mas isso mostra o grande nível desta competição", avaliou.

Mais Esporte