Topo

Esporte

Japão e Senegal empatam e mantêm viva a briga pela classificação no grupo H

24/06/2018 14h36

Ecaterimburgo, 24 jun (EFE).- Japão e Senegal empataram em 2 a 2 neste domingo, no segundo jogo das duas equipes na Copa do Mundo, e deixaram embolada a busca pela vaga nas oitavas de final entre as seleções do grupo H.

Com esse resultado, senegaleses e japoneses lideram a chave com quatro pontos, dando chances para que Polônia e Colômbia, que se enfrentarão ainda hoje (às 15h de Brasília) na Kazan Arena, e ainda não pontuaram na competição, possam sonhar com uma vaga na próxima fase.

Senegal abriu o placar do duelo disputado no Estádio Central, em Ecaterimburgo, aos 10 minutos de jogo, após uma falha do goleiro Eiji Kawashima, que espalmou a bola pra frente, em cima de Sadio Mané, que marcou seu primeiro gol na Copa do Mundo. O Japão partiu em busca do empate e, aos 33, conseguiu com um belo gol de Takashi Inui, após uma entrada de Yuto Nagatomo pela esquerda na grande área.

Aos 25 da etapa final, o jovem atacante Wagué, de 19 anos, acertou um forte chute pela esquerda após uma jogada que começou pela esquerda com Mané tocando para Youssouf Sabaly. Niang passou da bola, mas Wagué não desperdiçou e ampliou o placar. Só que, aos 32, o experiente Keisuke Honda, que tinha entrado seis minutos antes na partida, aproveitou uma trapalhada da zaga senegalesa dentro da área durante um cruzamento e descontou para o Japão, deixando mais uma vez tudo igual.

Depois de 16 anos de espera, os senegaleses voltaram a uma Copa com a difícil missão de superar o ótimo desempenho que teve na sua primeira e única participação em um Mundial antes da classificação para a edição da Rússia. Em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, a seleção africana chegou às quartas de final, fase na qual foi eliminada pela Turquia, com derrota por 1 a 0.

Já o Japão só conseguiu passar de fase em um Mundial em duas edições: também em 2002, quando era anfitrião e foi eliminado pela Turquia nas oitavas; e em 2010, quando perdeu para o Paraguai nos pênaltis, também nas oitavas, na África do Sul.

Para a partida em Ecaterimburgo, a seleção de Senegal veio com uma mudança entre os titulares: Pape Alioune N'Diaye no lugar de Diouf no início do jogo. Enquanto o Japão começou o jogo com o meia Honda, que era dúvida por problemas físicos, no banco de reservas.

Os senegaleses começaram o jogo pressionando a saída de bola dos japoneses e criando mais oportunidades. Aos 5 minutos, M'Baye Niang entrou pela direita com velocidade, mas a zaga japonesa colocou a bola pra fora. O próprio atacante cobrou o escanteio, a defesa tirou, mas deixou a sobra para Youssouf Sabaly, que errou a finalização.

O Senegal dominava a partida, mas encontrava dificuldades para encontrar espaço na defesa japonesa, até que, aos 10 minutos, Sabaly recebeu dentro da grande área e chutou. O goleiro Kawashima espalmou em cima de Mané, a bola bateu nele e entrou, abrindo o placar para a seleção senegalesa. O primeiro gol do atacante do Liverpool na Copa.

Três minutos depois, Niang arriscou um chute forte tentando surpreender Kawashima, mas o goleiro japonês conseguiu fazer a defesa sem dar rebote.

O Japão respondeu com Yuya Osako, aos 15, que mandou uma bomba de fora área, mas a bola acabou desviada pela defesa de Senegal.

A seleção japonesa passou a pressionar mais os senegaleses. Inui recebeu lançamento na esquerda e foi derrubado por Ismaila Sarr, aos 19. Gaku Shibazaki cobrou na área, mas a zaga senegalesa afastou o perigo.

Na busca pelo empate, os japoneses acabavam se desorganizando um pouco em campo, enquanto Senegal se fechava em um paredão defensivo, depois do primeiro gol.

Aos 24, Nagatomo tentou um cruzamento pela esquerda na área, mas acabou impedido pelos zagueiros senegaleses, bem mais altos que os atacantes da seleção japonesa.

O Japão insistiu e, aos 33, após a entrada com velocidade mais uma vez com Nagatomo na grande área pela esquerda, e uma rápida troca de passes, Inui marcou o gol de empate para a seleção japonesa, acertando um belo chute no lado esquerdo do goleiro N'Diaye para o placar de 1 a 1.

Com tudo igual, as duas seleções passaram a alternar os ataques, até que Niang, mais uma vez, recebeu um ótimo lançamento e ficou frente à frente com Kawashima, aos 38, mas o goleiro japonês se antecipou e fez uma boa defesa.

No segundo tempo, o Japão teve a primeira boa chance de finalização aos três minutos, com Nagatomo tocando na área para Haraguchi, que escorou para cabeçada de Osako, mas o goleiro N'Diaye conseguiu a defesa.

Aos 11, o atacante senegalês levou cartão amarelo após uma nova falta, dessa vez em cima de Shoji, que foi atingido pelo braço de Niang.

A seleção japonesa teve uma ótima chance de virar a partida aos 15 minutos da etapa final, com Osako, que recebeu de Shibazaki na área, mas errou a finalização na cara do gol.

O Japão voltou a pressionar e, quatro minutos depois, Inui recebeu de calcanhar de Osako pela esquerda e acertou o travessão do goleiro N'Diaye.

Mas aos 22, Inui derrubou Sarr na entrada da grande área pelo lado direito, levando cartão amarelo. O próprio Sarr cobrou mal e curto, em uma jogada ensaiada que não funcionou, desperdiçando uma boa chance para os senegaleses.

O Senegal insistiu e conseguiu, aos 25, chegar ao segundo gol com Wagué, em uma jogada que começou com Mané tocando para Sabaly, que girou e tocou rasteiro pela esquerda. Niang passou da bola, mas o jovem atacante chutou forte e marcou para os senegaleses.

O técnico Akira Nishino colocou Honda em campo, no lugar de Kagawa, e o experiente atacante mostrou que tem estrela: seis minutos depois, aos 32, marcou o gol de empate da seleção japonesa, após a zaga de Senegal se enrolar em um cruzamento na área. Inui cruzou rasteiro e a bola passou pelo goleiro N'Diaye, sobrando para o atacante completar para o 2 a 2.



Ficha técnica:.

Senegal: N'Diaye; Sabaly, Koulibaly, Sané e Wagué; Pape Alioune N'Diaye (N'Doye), Alfred N'Diaye (Kouyaté) e Gueye; Sarr, Niang (Diouf) e Mané. Técnico: Aliou Cissé.

Japão: Kawashima; Sakai, Yoshida, Shoji e Nagatomo; Hasebe, Shibasaki, Haraguchi (Okazaki), Inui (Usami) e Kagawa (Honda); Osako. Técnico: Akira Nishino.

Árbitro: Gianluca Rocchi, auxiliado por Elenito Di Liberatore e Mauro Tonolini (todos da Itália)

Cartões amarelos: Inui, Hasebe (Japão); Niang, Sabaly, N'Doye (Senegal).

Gols: Inui, Honda (Japão); Mané, Wagué (Senegal).

Estádio: Central, em Ecaterimburgo (Rússia).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte