Topo

Esporte

"Não importa que seja o último Mundial de Messi", diz técnico da Nigéria

25/06/2018 12h44

São Petersburgo (Rússia), 25 jun (EFE).- O técnico da Nigéria, o alemão Gernot Röhr, afirmou que a Nigéria buscará a vitória e a classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo contra a Argentina, não se importando com o fato de este ser possivelmente o último Mundial disputado pelo craque Lionel Messi.

"Adoramos Messi, todo mundo o adora, eu pessoalmente e meus jogadores também. Mas, para nós, a questão não é essa, não importa que este é seu último Mundial, e sim nos classificar. Não estamos aqui para ver Messi jogar, mas para conseguir um resultado. Somos profissionais, defendemos as cores da Nigéria, no futebol não há piedade nem compaixão", disse o treinador em entrevista coletiva.

Para Röhr, o jogo é a "final do grupo D". A Nigéria, vice-líder com três pontos, leva a vantagem do empate sobre a Argentina, que fez apenas um ponto. A 'Albiceleste' também precisa que a Islândia não vença a Croácia no outro jogo do grupo. Em caso de vitória islandesa, o desempate iria para o saldo de gols, critério no qual os comandados de Jorge Sampaoli também levam a pior.

"Estamos na 'pole position' da final do nosso grupo, temos três pontos e a Argentina um. Somos profissionais, sinto que meus jogadores têm fome. O único problema é que tivemos um dia a menos de recuperação", ressaltou Röhr.

O técnico disse que a Argentina tem dúvidas para a partida e que sua equipe tentará explorá-las para vencer.

"Sei que a experiência e a qualidade da Argentina são tão grandes que não será fácil para minha equipe, que é muito jovem. Eles estão entre os dez melhores do ranking da Fifa, nós somos o 49º", afirmou.

"A juventude em jogos tão importantes pode ser uma desvantagem. Já cometemos pênaltis tolos, faltas que não deveriam acontecer. Espero que tenhamos aprendido com esses erros", comentou.

Sobre Ahmed Musa, autor dos dois gols da vitória diante da Islândia por 2 a 0, Röhr disse que as jogadas que originaram as oportunidades para o artilheiro foram resultado do trabalho da equipe. O trabalho do atacante, porém, foi elogiado pelo técnico.

"O último ano foi complicado para ele no Leicester. Pedi que ele fosse jogar outra competição antes de vir para o Mundial. Vim a Moscou vê-lo no CSKA Moscou. Ele lutou muito para conseguir ritmo, trabalhou duro e me parece que merecia voltar aos 11 titulares da seleção nacional", disse o técnico.

Röhr afirmou que o capitão da Nigéria, John Obi Mikel, tem uma fratura pequena em um dos dedos da mão esquerda, problema que não o impedirá de jogar normalmente. Outro que está confirmado pelo técnico para o jogo é Victor Moses.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte