Topo

Esporte

VAR salva, Espanha empata com Marrocos e fica com a liderança do grupo B

25/06/2018 17h18

Kaliningrado (Rússia), 25 jun (EFE).- A Espanha, que flertou durante parte da última rodada do grupo B com a eliminação precoce, empatou nesta segunda-feira com o Marrocos em 2 a 2, graças à interferência do sistema de videoarbitragem (VAR) nos minutos finais, e conseguiu a classificação às oitavas de final da Copa do Mundo, assim como a liderança da chave.

O atacante Khalid Boutaib abriu o marcador no estádio Kaliningrado, após falha conjunta dos experientes Sergio Ramos e Andrés Iniesta. Cinco minutos depois, o meia Isco conseguiu deixar o placar igual pela primeira vez.

Embora dominante, mas com pouco ímpeto, os espanhóis voltaram a ficar em desvantagem aos 36 da etapa final, graças ao atacante Youssef En Nesyri, que havia substituído o autor do primeiro gol do jogo.

Já nos acréscimos, outro jogador que saiu da reserva, o atacante Iago Aspas, balançou as redes em conclusão de letra, em lance anulado inicialmente pelo árbitro Ravshan Irmatov. A equipe do VAR, comandada pelo alemão Felix Zwayer, no entanto, revisou o lance e validou o gol.

O resultado obtido em Kaliningrado permite que a Espanha volte a disputar as oitavas de final de uma Copa do Mundo quatro anos depois da traumática eliminação no Brasil, onde defendia o título e caiu na fase de grupos, depois de derrotas para Holanda e Chile, além de uma vitória sobre a Austrália quando já estava eliminada.

Os campeões mundiais de 2010 terminaram a fase de grupos com cinco pontos, assim como Portugal, que empatou com o Irã em 1 a 1. As duas seleções europeias ficaram empatadas no saldo, e só definiram a liderança no segundo critério de desempate: o número de gols marcados, em que a 'Roja' levou vantagem por 6 a 5.

Nas oitavas, os comandados por Fernando Hierro enfrentarão a Rússia, no próximo domingo, no estádio Luzhniki, em Moscou. Já os portugueses vão encarar o Uruguai em Sochi, um dia antes.

A Espanha, com relação a vitória sobre o Irã, entrou em campo com o meia Thiago Alcântara no lugar de Lucas Vázquez. A mudança fez com que o veterano Andrés Iniesta ganhasse mais liberdade. Eliminado, o Marrocos veio sem o principal jogador, o zagueiro Mehdi Benatia, substituído por Romain Saiss.

Nos primeiros instantes de partida, os campeões mundiais de 2010 se lançaram ao ataque, em busca de abrir o placar. Embora o adversário não tivesse chances de avançar de fase, a 'Roja' não encontrou facilidade e logo se irritou. Aos 6, Piqué deu entrou duro em Boutaib, e chegou a haver empurra-empurra.

A Espanha não demorou a aplicar o futebol de toques curtos e pouca infiltração, que apresentou na partida com os iranianos. Justamente, em uma dessas jogadas de passes, aos 14, Iniesta e Ramos bateram cabeça, Boutaib roubou a bola no centro do campo, disparou e tocou na saída de De Gea para marcar.

Atrás no placar, os favoritos se mostraram bem mais ousados do que vinham sendo. Aos 19, Iniesta tabelou com Isco, recebeu quase na linha de fundo e serviu mais uma vez o companheiro, que bateu firme, sem dar chance para El Kajoui, deixando tudo igual no placar.

Pouco depois de marcar, aos 25, a 'Roja' quase sofreu o segundo gol, quando Achraf foi esperto, bateu lateral rapidamente e achou Boutaib livre. O atacante disparou, ganhando na corrida de Ramos e Piqué, e tocou na saída de De Gea, que, dessa, vez, conseguiu defender.

Como o empate garantia a classificação, independente do resultado da partida entre Irã e Portugal, os espanhóis não demoraram a reduzir o ritmo. Tanto é que só voltaram levar perigo aos 37, em cobrança de escanteio da esquerda, em que Busquets ganhou no alto da zaga, mas testou mal, por cima do gol.

Nos acréscimos, enquanto Cristiano Ronaldo e companhia já estavam na frente do placar, Iniesta fez grande jogada pela esquerda, se livrando de três marcadores e dando leve toque para o centro da área. Diego Costa se esticou todo, mas só conseguiu dar leve toque na bola, sem força suficiente para escorar para as redes.

No segundo tempo, embora tenha estabelecido domínio desde o apito inicial, a Espanha acabou levando susto, antes mesmo de ameaçar de forma efetiva o Marrocos. Aos 10, Nordin Amrabat recebeu na intermediária e soltou uma bomba, acertando o travessão.

Os espanhóis se lançaram com perigo aos 16, em jogada de pé em pé até um cruzamento para o lado esquerdo da área, onde Isco tocou de cabeça, tirando do goleiro El Kajoui. Praticamente em cima da linha, Saiss apareceu para desviar à linha de fundo. Na sequência, Piqué, também de cabeça, ficou perto de marcar, em bola que saiu à esquerda do gol.

Em ritmo lento, acomodados pela vitória de Portugal, os campeões mundiais de 2010 sofreram o segundo gol aos 36, quando dois jogadores que saíram do banco apareceram bem. Fajr cobrou escanteio da direita, En Nesyri - que substituiu Boutaib - subiu mais que Ramos e testou para o fundo da rede.

Nos acréscimos, os espanhóis voltaram a marcar com outro jogador que veio do banco, Iago Aspas, que tocou de letra após cruzamento da direita de Carvajal. O árbitro uzbeque Ravshan Irmatov considerou impedimento do atacante, mas a equipe de vídeo reviu o lance e o validou, para indignação dos marroquinos, que reclamaram muito do VAR, mesmo após o apito final, diante das câmeras.



Ficha técnica:.

Espanha: De Gea; Carvajal, Sergio Ramos, Piqué e Alba; Busquets, Thiago Alcântara (Asensio), David Silva (Rodrigo Moreno), Iniesta e Isco; Diego Costa (Aspas). Técnico: Fernando Hierro.

Marrocos: El Kajoui; Dirar, Da Costa, Saiss e Achraf; El Ahmadi, Boussoufa, Nordin Amrabat, Belhanda (Fajr) e Ziyach (Bouhaddouz); Boutaib (En Nesyri). Técnico: Hervé Renard.

Árbitro: Ravshan Irmatov (Uzbequistão), auxiliado pelos compatriotas Abduxamidullo Rasulov e Jakhongir Saidovl.

Gols: Isco e Aspas (Espanha); Boutaib e En Nesyri (Marrocos).

Cartões amarelos: El Ahmadi, Nordin, Amrabat, Da Costa, Boussoufa, El Kajoui e Achraf (Marrocos).

Estádio Kaliningrado, em Kaliningrado.

Mais Esporte