Topo

Esporte

Brasil foi campeão mundial pela 1ª vez com camisas fabricadas na Suécia

27/06/2018 13h14

Moscou, 27 jun (EFE).- Como o Brasil e a anfitriã Suécia jogavam com camisas amarelas, foi necessário um sorteio para determinar a equipe que jogaria com um uniforme alternativo na final da Copa do Mundo de 1958.

Desapontados, os representantes da delegação brasileira não compareceram ao sorteio por considerarem um gesto de descortesia impedir que os visitantes mantivessem o seu uniforme principal. Sem eles, o sorteio aconteceu e a Suécia ganhou.

Restava aos brasileiros definirem que cor de uniforme usariam naquele dia 28 de junho: branco, verde ou azul. O branco foi reprovado por maioria absoluta por ter sido a cor da camiseta símbolo do desastre ocorrido oito anos atrás, na derrota por 2 a 1 para o Uruguai na final disputada no Maracanã.

O azul foi aprovado por todos porque, entre outras coisas, é a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, mas havia um problema. As camisas azuis já tinham sido utilizadas em treinos e não parecia digno utilizá-las em uma final que poderia significar o primeiro título mundial do país.

A solução foi encontrada em uma loja de roupas sueca situada nos arredores do hotel onde os brasileiros estavam hospedados. Sem muito cuidado estético, os integrantes da delegação destroçaram as camisas originais para retirar os escudos e os números para em seguida costurá-los nas peças 'made in Sweden'.

Se o público que compareceu ao Estádio Rasunda não notou a manobra, no campo os primeiros minutos foram de confusão para os brasileiros que, acostumados a vestirem amarelo, erraram alguns passes por confundirem companheiros de equipe com os suecos.

Liedholm abriu o placar para a seleção anfitriã logo aos quatro minutos de jogo, mas Vavá e Pelé, com dois gols cada, e Zagallo balançaram as redes e sacramentaram a goleada brasileira de 5 a 2. Simonsson marcou o segundo da Suécia.

Mais Esporte