Topo

Esporte

Brasil vence Sérvia, fica em 1º no grupo e vai encarar México nas oitavas

27/06/2018 17h21

Moscou, 27 jun (EFE).- A seleção brasileira superou nesta quarta-feira a Sérvia por 2 a 0 em Moscou, espantou qualquer fantasma de eliminação precoce e garantiu a primeira colocação do grupo E da Copa do Mundo, o que a fará enfrentar o México nas oitavas de final.

O primeiro gol da partida nasceu com um belíssimo lançamento de Philippe Coutinho que achou Paulinho - em sua melhor versão "elemento surpresa" - entre a zaga sérvia. O volante tocou na saída do goleiro e marcou aos 36 minutos do primeiro tempo.

Na segunda etapa, aos 23, os sérvios provaram de seu principal veneno: a bola aérea. Até então apagado, o atacante Neymar cobrou escanteio da esquerda, o zagueiro Thiago Silva se agigantou e cabeceou firme para o fundo da rede.

A nota negativa para Tite e a comissão técnica foi a perda de Marcelo, ainda nos minutos iniciais, por causa de um espasmo na coluna, segundo a CBF. Ainda com o jogo em andamento, a entidade divulgou no Twitter que o lateral "foi medicado e passa bem". Este é o terceiro problema físico de um jogador na campanha da seleção, depois dos sofridos pelo lateral-direito Danilo e o meia-atacante Douglas Costa.

Com a vitória, a seleção garantiu a primeira colocação do grupo E, com sete pontos, seguida pela Suíça, que chegou a cinco com o empate com a eliminada Costa Rica em 2 a 2, em partida disputada também nesta quarta-feira, em Nizhny Novgorod. A Sérvia, que chegou a liderar isoladamente a chave, após a primeira rodada, se despediu da Copa com três pontos.

O Brasil voltará a campo na próxima segunda-feira (às 11h de Brasília) para enfrentar o México, vice-líder do grupo F, na Cosmos Arena, em Samara. A primeira colocada desta chave foi a Suécia, que nas oitavas vai encarar a Suíça. Já a atual campeã Alemanha acabou surpreendentemente eliminada e na lanterna.

Com o resultado obtido hoje, o Brasil passa a ter a maior sequência vigente de classificações na fase de grupos da Copa, algo que se repete desde 1970. A Alemanha, que vinha avançando consecutivamente desde 1954, teve a marca quebrada hoje.

Para a terceira partida pelo grupo E, a seleção brasileira entrou em campo com a mesma formação da vitória sobre a Costa Rica por 2 a 0. As dúvidas sobre possíveis entradas de Fernandinho e Renato Augusto foram eliminadas com as manutenções de Paulinho e Willian.

A Sérvia, por sua vez, foi para o jogo com três alterações com relação à derrota para a Suíça por 2 a 1. Os pendurados Ivanovic e Milivojevic deram lugares, respectivamente, a Rukavina e Ljalic. Além disso, o zagueiro Tosic foi substituído por Veljkovic.

A seleção brasielira começou o jogo a mil por hora, se lançando ao ataque, mas se mostrando atabalhoada. Logo no primeiro minuto, Coutinho recebeu na intermediária e encheu o pé, mas carimbou Gabriel Jesus. Pouco depois, em lance semelhante, o meia voltou a acertar o mesmo companheiro.

Aos 10 minutos, um novo problema físico surgiu para Tite quando Marcelo deixou o gramado com dores fortes na região lombar e chorando, para lugar a Filipe Luís. Este foi o terceiro jogador a se lesionar na seleção durante uma partida da Copa, como ocorreu com o lateral-direito Danilo e o meia-atacante Douglas Costa.

No decorrer do primeiro tempo, como diz a gíria, a seleção sérvia passou a "gostar do jogo", apostando sempre na temida bola aérea, com cruzamentos nas costas dos laterais brasileiros. Apesar disso, Alisson não chegou a ser exigido pelo adversário.

A seleção voltou a levar perigo aos 28, quando Neymar descolou belo lançamento e deixou Gabriel Jesus livre. O atacante disparou e se livrou de Milenkovic, mas acabou tendo o chute bloqueado por Veljkovic, que apareceu bem na cobertura.

O Brasil conseguiu demolir a forte marcação sérvia aos 36, quando Coutinho buscou a bola perto da linha do meio de campo, a protegeu da marcação e fez um lançamento primoroso, deixando Paulinho frente a frente com o goleiro. O volante, artilheiro da seleção no ano passado, deu um leve toque, que "matou" Stojkovic.

Depois do gol, os pentacampões diminuiram o ritmo, minimizando os riscos. Na etapa complementar, o panorama foi o mesmo, quebrado apenas aos 12 minutos, em contra-ataque veloz que teve Coutinho recebendo na intermediária defensiva, arrancando e servindo Neymar. O camisa 10 ajeitou e bateu cruzado, parando em defesa de Stojkovic.

A Sérvia, que pouco agredia, deu um susto aos 16, após falha de Alisson. Tadic cruzou da direita, o goleiro se esticou todo para espalmar, mas acabou desviando em direção a Mitrovic, que cabeceou em direção ao gol, parando em corte providencial de Thiago Silva.

O camisa 9 dos sérvios levou perigo mais uma vez aos 20 minutos, em nova bola alçada da direita, em direção a Mitrovic, que ganhou no alto do baixinho Fagner e testou firme, para uma defesa segura de Alisson.

A resposta veio aos 23, quando Neymar cobrou escanteio da esquerda no primeiro pau, Thiago Silva se antecipou aos marcadores e cabecou à queima-roupa, sem dar chances para Stojkovic, que, imóvel, viu a bola estufar a rede.

O segundo gol desnorteou os sérvios, que assim se despediam da Copa. Aos 26, por pouco, os comandados de Mladen Krstajic não levaram mais um, quando Filipe Luís pegou sobra na intermediária e soltou uma bomba, para boa defesa do goleiro.

A reta final foi de total controle de jogo por parte dos brasileiros, que não eram ameaçados, mas também pouco agrediam. Em rara descida, aos 37, Willian carregou pela direita e cruzou para o meio da área, onde Neymar apareceu livre, mas finalizou por cima do gol. O camisa 10, tentou de novo aos 41, ao aparecer na área e dar leve toque por cima do goleiro, que foi ágil e fez o corte.



Ficha técnica:.

Sérvia: Stojkovic; Rukavina, Milenkovic, Veljkovic e Kolarov; Matic, Milinkovic-Savic, Tadic, Ljalic (Zivkovic) e Kostic (Radonjic); Mitrovic (Jovic). Técnico: Mladen Krstajic.

Brasil: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo (Filipe Luís); Casemiro, Paulinho (Fernandinho), Philippe Coutinho (Renato Augusto); Willian, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite

Árbitro: Alireza Faghani (Irã), auxiliado pelos compatriotas Reza Sokhandan e Mohammadreza Mansouri.

Gols: Paulinho e Thiago Silva (Brasil).

Cartões amarelos: Ljalic, Matic e Mitrovic (Sérvia).

Estádio: Otkrytiye Arena, em Moscou (Rússia).

Mais Esporte