Topo

Esporte

Coreia vence, e Alemanha torna-se 3ª campeã seguida a cair na fase de grupos

27/06/2018 13h31

Kazan, 27 jun (EFE).- Após a Itália em 2010 e a Espanha em 2014, a Alemanha tornou-se a terceira seleção seguida a chegar a uma Copa do Mundo na condição de atual campeã e ser eliminada logo na fase de grupos, ao perder nesta quarta-feira para a Coreia do Sul por 2 a 0 na Kazan Arena.

A 'Mannschaft' dependia apenas das próprias forças para avançar, já que na outra partida, em Ecaterimburgo, a Suécia derrotou o México por 3 a 0. Entretanto, alemães e sul-coreanos morreram abraçados, com três pontos cada, enquanto os outros dois concorrentes somaram seis.

O placar ficou em branco até os 47 minutos do segundo tempo, quando Kim Young-Gwon abriu o placar para a equipe asiática. Três minutos depois, Son Heung-Min marcou o segundo e "fechou o caixão".

Com os resultados de hoje, a Alemanha, que jamais havia sido eliminada em uma primeira fase de grupos, ainda terminou a campanha na lanterna da chave por levar a pior no saldo de gols. Os suecos ficaram com a liderança por superar os mexicanos no mesmo critério de desempate.

Os tetracampeões só haviam caído em uma fase inicial em 1938, quando ela já começava em um sistema idêntico ao da atual fase de oitavas de final, ao serem derrotados pela Suíça nos pênaltis, e falharam ao tentarem quebrar uma escrita. Desde a Copa de 1998, só o Brasil entrou para defender o título e não deixou a competição ainda nos grupos. Isso aconteceu com a França, em 2002, a Itália, em 2010 e a Espanha, em 2014.

Italianos, em 1934 e 1938, e brasileiros, em 1958 e 1962, ainda podem comemorar o fato de continuarem sendo os únicos a levantarem o troféu em duas edições seguidas da competição.

A derrota, a primeira para a Coreia do Sul em Copas do Mundo, após os triunfos de 1994 e 2002, ainda deixou outra "maldição" vigente, a da Copa das Confederações. Jamais uma equipe que faturou o troféu dessa competição conseguiu ser campeão mundial no ano seguinte.

Na Kazan Arena, a Coreia teve dois desfalques importantes, o lateral-esquerdo Park Joo-ho, que machucou a coxa ainda na estreia, contra a Suécia, e o volante e capitão Ki Sung-yueng, de fora devido a uma lesão de panturrilha.

Na Alemanha, Khedira, que havia sido barrado, recuperou a titularidade porque Rudy fraturou o nariz na vitória sobre a Suécia. Outro desfalque foi Boateng, expulso no último sábado, o que fez com que a dupla de zaga fosse trocada. Süle e Hummels começaram jogando.

Apesar de ser o jogador em atividade com mais gols em Copas, com dez, Müller foi barrado no setor ofensivo, assim como Draxler. Özil ganhou uma nova chance, e Goretzka também entrou.

O jogo começou com um susto para a atual campeã. Logo aos dois minutos de bola rolando, Lee Jae-sung escapou pela direita e levantou procurando Son, que estava pronto para chutar, mas Hummels se antecipou e fez o corte.

A Alemanha levou algum perigo pela primeira vez aos 13, com Goretzka, que aproveitou o erro na saída de bola dos sul-coreanos e foi ao fundo pela direita. O meia que na próxima temporada trocará o Schalke 04 pelo Bayern de Munique tinha a opção do passe para Reus, mas preferiu cruzar para Werner, e a defesa cortou.

Três minutos depois, em cobrança de escanteio ensaiada, Özil levantou, Hummels escorou de cabeça, e Goretzka chegava para completar para a rede, mas o goleiro Jo se esticou e antecipou o arremate.

Melhor goleiro da Copa do Mundo de 2014 e terceiro colocado da Bola de Ouro da Fifa desse ano, Neuer quase colocou a Alemanha em perigo aos 18, ao soltar uma bola fácil em falta batida por Jung. Entretanto, o camisa 1 se recuperou e conseguiu mandar para escanteio.

Quem mais criava era a Coreia do Sul, que incomodou de novo aos 24. Lee cruzou mais uma da direita, a defesa afastou apenas parcialmente, e Son ficou com a sobra, mas encobriu a meta.

Depois disso, a 'Mannschaft' reagiu e exerceu certa pressão a partir dos 35 minutos. Aos 38, Werner tabelou com Özil e teve o chute travado por Kim. Logo em seguida, aos 39, houve bate-rebate na esquerda da área após o escanteio, Hummels limpou um, mas foi desarmado enquanto armava a batida. Aos 42, Werner acertou a trave, mas a jogada já havia sido paralisada por falta de Hector em Jo.

A Coreia ainda teve uma última oportunidade para ir para o intervalo em vantagem, mas Son foi fominha. O meia do Tottenham deu um chapéu em Süle e poderia ter rolado para Ki, mas tentou resolver sozinho e concluiu à direita do alvo.

Logo nos primeiros instantes do segundo tempo, aos dois minutos, Jo operou um milagre para manter o placar em branco. Kimmich tocou por elevação, Goretzka cabeceou com força e o arqueiro sul-coreano espalmou. Em seguida, aos cinco, Reus tocou por baixo, Werner chegou chutando e tirou tinta da trave.

O jogo era lá e cá e ficava cada vez mais nervoso. Aos 17, Moon puxou contra-ataque pela esquerda e serviu Son, que deu um bonito drible, mas pegou mal na bola e a isolou. Na resposta alemã, aos 19, Werner recebeu na esquerda da área e concluiu em tiro de meta.

As chances mais claras eram da equipe asiática, mas faltava caprichar na finalização. Aos 21, Moon puxou mais um contragolpe, a bola foi de pé em pé até voltar para ele, que fez um bonito drible em um primeiro momento, mas demorou a definir e foi desarmado.

Os alemães insistiam, mas batiam na "parede" montada na defesa da Coreia do Sul, que abusava dos erros na linha de frente. Em mais uma escapada rápida, aos 33, Son cortou o defensor e bateu a centímetros do poste direito. Mais tarde, aos 35, Lee Jae-sung partiu no três contra dois pela direita, mas foi desarmado antes do passe para o meio.

O sufoco alemão era cada vez mais intenso, e a tetracampeã assustou em dois chutes de fora, com Reus, aos 37, e Kroos, aos 38, mas ambos foram para fora. Na sequência, aos 41, Hummels apareceu completamente livre para cabecear, mas acertou a bola com o ombro e errou o alvo.

Vieram então os acréscimos e a esperança dos alemães de repetirem o que fizeram contra a Suécia no último sábado, quando obtiveram a vitória balançando a rede aos 49 minutos da etapa final, com Kroos. Desta vez, porém, quem marcou no tempo adicional foi o adversário.

Aos 47, depois do escanteio pela esquerda, houve confusão na área, e Kim marcou. O árbitro deu a entender que viu impedimento, mas, aconselhado pelos responsáveis pelo VAR, o americano Mark Geiger reviu a jogada no monitor à beira do gramado e o validou por perceber que o passe foi feito por Kroos.

Ainda coube mais. No desespero para reverter a situação, Neuer abandonou a meta e curtiu uma de ponta esquerda, mas foi desarmado. Son foi lançado e, partindo do campo de defesa, aumentou a vantagem com a meta vazia, aos 50.



Ficha técnica:.

Coreia do Sul: Jo Hyeon-woo; Lee Yong, Yun Young-sun, Kim Young-gwon e Hong Chul; Jung Woo-young, Jang Hyun-soo, Lee Jae-sung e Moon Seon-min (Ju Se-Jong); Son Heung-min e Koo Ja-cheol (Hwang Hee-chan). Técnico: Shin Tae-Yong.

Alemanha: Neuer; Kimmich, Süle, Hummels e Hector (Brandt); Khedira (Gómez), Kroos, Goretzka (Müller), Özil e Reus; Timo Werner. Técnico: Joachim Löw.

Árbitro: Mark Geiger (EUA), auxiliado pelo compatriota Frank Anderson e por Joe Fletcher (Canadá).

Cartões amarelos: Jung Woo-Young, Lee Jae-Sung, Moon Seon-Min e Son Heung-Min (Coreia do Sul).

Gols: Kim Young-Gwon e Son Heung-min (Coreia do Sul).

Estádio: Kazan Arena, em Kazan.

Mais Esporte