Topo

Esporte

Löw se diz em "choque", mas reconhece que Alemanha não mereceu ir às oitavas

27/06/2018 14h50

Kazan (Rússia), 27 jun (EFE).- O técnico da Alemanha, Joachim Löw, classificou como "enormemente decepcionante" a eliminação de sua seleção na fase de grupos da Copa do Mundo, selada com a derrota por 2 a 0 para a Coreia do Sul nesta quarta-feira, mas reconheceu que ela não mereceu chegar às oitavas de final.

Löw, de 58 anos, disse estar "em choque" e não quis dar uma resposta sobre seu futuro ao comando da seleção alemã.

"Dizer algo agora seria prematuro, preciso de pelo menos umas duas horas. Teremos que falar com calma (com a Federação), mas tudo o que disser agora é prematuro. Somente posso dizer que estou decepcionado", afirmou o treinador em entrevista coletiva após a partida, disputada na Kazan Arena.

"Estou em choque. Sem dúvida, é uma grande decepção. Acho que nos preparamos bem para a Copa e viemos com a intenção de defender o título e quebrar essa maldição do campeão. No entanto, não conseguimos fazer nosso futebol brilhar. Por quê? Não sei, teremos que analisar. Estamos rendendo bem desde 2006 mas desta vez não fomos capazes, e temos que aceitar", disse.

A Alemanha despediu-se do Mundial da Rússia pela porta de trás, com derrotas para México (1 a 0) e Coreia do Sul (2 a 0) e uma vitória dramática sobre a Suécia (2 a 1).

"Temos que parabenizar nossos adversários. Não merecíamos ganhar o título, nem mesmo merecemos ir às oitavas. Estamos eliminados não porque queríamos perder, mas porque não aproveitamos as nossas chances de marcar. Depois dos 15 a 20 minutos, quando vimos que a Suécia estava ganhando e que tínhamos que marcar, nos deu uma certa pressão", declarou o técnico.

"Sabíamos como (a Coreia do Sul) iria jogar e que a ideia era defender bem e sair rápido no contra-ataque com seus jogadores rápidos. Não nos surpreenderam, já que era esse futebol que esperávamos. Mas é certo que nossa atuação os ajudou, as nossas perdas de bola os ajudaram", afirmou um decepcionado Löw.

Perguntado sobre o futuro da seleção alemã após a inesperada eliminação precoce, o treinador disse não acreditar que entrará em um período de declínio.

"Não acho que virá agora uma época ruim para o futebol alemão. Até muito pouco tempo atrás éramos os mais regulares, acabando sempre entre os quatro primeiros ou levantando os títulos, como o da Copa de 2014 e o da Copa das Confederações de 2017. Temos jogadores jovens com muito talento e muito potencial. Isso é algo que aconteceu com muitas outras seleções", comentou.

A 'Mannschaft' retorna ainda hoje a Moscou e, amanhã à tarde, voltará à Alemanha em um voo fretado rumo a Frankfurt.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte