Topo

Esporte

Suíça sofre, segura empate com a Costa Rica e enfrentará a Suécia nas oitavas

27/06/2018 17h29

Nizhny Novgorod, 27 jun (EFE).- Com a necessidade de manter o empate para se garantir nas oitavas de final da Copa do Mundo, a Suíça cumpriu rigorosamente a missão ao segurar um complicado 2 a 2 com a já eliminada Costa Rica nesta quarta-feira, em Nizhny Novgorod, e se classificou para enfrentar a Suécia na próxima fase.

Diante de uma aguerrida seleção costa-riquenha, superior ao longo de toda a partida, a equipe suíça abriu o placar com o meia Blerim Dzemaili aos 30 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, o zagueiro Kendall Waston empatou aos dez, mas o atacante Josip Drmic voltou a colocar a Suíça na frente aos 42.

Ainda nos acréscimos, aos 48 e em cobrança de pênalti, Bryan Ruiz acertou o travessão, a bola voltou nas costas do goleiro suíço Yann Sommer e entrou.

Quando a Suíça vencia por 2 a 1, o sistema de árbitro de vídeo precisou ser utilizado aos 44 do segundo tempo para anular um pênalti marcado a favor da Costa Rica. No lance, Ricardo Rodríguez derrubou Ruiz na área, mas havia impedimento na jogada.

Com a vitória por 2 a 0 sobre a Sérvia na Otkrytie Arena, em Moscou, a seleção brasileira avançou no torneio com a primeira posição do grupo E, com sete pontos, e enfrentará o México nas oitavas. Vice-líder, com cinco pontos, a Suíça terá como adversária a Suécia, que terminou na ponta de cima no grupo F.

A Sérvia, que ainda tinha esperanças de se classificar na última rodada, se despediu do torneio na terceira posição do grupo F, com três pontos, à frente apenas da lanterna Costa Rica, com um.

O técnico Vladimir Petkovic fez apenas duas mudanças no time titular para a partida de hoje, ambas no setor ofensivo. Ainda sem balançar as redes, o atacante Seferovic deu lugar a Gavranovic, enquanto o meia Zuber, que marcou contra o Brasil, foi substituído por Embolo, autor da assistência para o gol de Dzemaili.

O lateral-direito Stephan Lichtsteiner e o zagueiro Fabian Schär, que chegaram à partida pendurados por terem recebido um cartão amarelo cada no empate em 1 a 1 com a seleção brasileira, foram novamente punidos e serão desfalques para a Suíça contra a Suécia.

Surpresa da Copa de 2014 ao chegar às quartas de final pela primeira vez na história, a seleção costa-riquenha não repetiu o mesmo desempenho na atual edição e chegou à última rodada da fase de grupos matematicamente eliminada. No entanto, após perder por 1 a 0 para a Sérvia e 2 a 0 para o Brasil, conseguiu marcar dois gols antes de se despedir do torneio.

Nos seis minutos iniciais do duelo em Nizhny Novgorod, Sommer foi facilmente o único suíço notado em campo. Diante de um adversário apagado, a Costa Rica tomou a iniciativa e chegou três vezes com muito perigo ao ataque.

Campbell foi o primeiro a testar o goleiro, com uma bomba de fora da área espalmada para o lado. Em seguida, Celso Borges chutou, Sommer desviou, e a bola foi na trave. Na terceira tentativa, Gamboa arriscou de longe e o rival encaixou.

A sorte também estava a favor da Suíça. Aos nove, Colindres recebeu pela esquerda, puxou para o meio e mirou o ângulo de Sommer, que estava um pouco adiantado, mas a bola explodiu no travessão e quicou antes da linha. O goleiro voltou a ser exigido pouco depois, ao espalmar para escanteio um bom chute de Oviedo.

Contrariando o domínio costa-riquenho, a Suíça chegou ao gol em rápida ofensiva aos 30 minutos. Pelo meio, Shaqiri esticou na direita para Lichtsteiner, que cruzou no segundo poste para Embolo. O atacante escorou de cabeça para o meio da área, e Dzemaili pegou de primeira. A zaga ainda desviou a finalização, mas não evitou o gol.

A partir do gol, o jogo a Suíça freou o ímpeto da Costa Rica, e o jogo ficou mais equilibrado, embora sem nenhuma chance para nenhum dos lados até o intervalo.

Melhor na volta para o segundo tempo, a equipe europeia assustou aos sete minutos, com jogada individual de Embolo pela direita, mas Navas cortou o cruzamento a tempo de evitar o gol de empate. A Costa Rica respondeu no ataque seguinte, mas Colindres exagerou na força e isolou, desperdiçando boa chance dentro da área.

Não demoraria muito para a seleção costa-riquenha ser recompensada pela insistência. Em cobrança de escanteio aos dez, Bryan Ruiz mandou no meio da área e Waston ganhou da zaga adversária para cabecear e deixar tudo igual, marcando o primeiro gol do país na atual edição do torneio.

Os goleiros só voltaram a participar do jogo meia-hora depois. Após cruzamento de Embolo na área, Drmic pulou com estilo e cabeceou no travessão de Navas. Logo depois, Celso Borges recebeu na entrada da área e fuzilou, mas Sommer fez a defesa.

Aos 42, Drmic, que havia entrado no lugar de Gavranovic, mostrou ter estrela e colocou a Suíça mais uma vez à frente do placar ao chutar no canto de Navas. Na sequência, o árbitro francês Clement Turpin marcou pênalti para a Costa Rica, mas anulou logo em seguida por haver impedimento no lance.

Os 'Ticos' não desistiram e encontraram mais um pênalti antes do apito final, quando Zakaria derrubou Campbell na linha da área. Nos acréscimos, Bryan Ruiz foi para a cobrança e acertou o travessão, ma a bola voltou nas costas de Sommer e entrou para voltar a igualar a partida.



Ficha técnica:.

Suíça: Sommer; Lichtsteiner, Schär, Akanji e Ricardo Rodríguez; Behrami (Zakaria), Xhaka, Shaqiri (Lang), Dzemaili e Embolo; Gavranovic (Drmic). Técnico: Vladimir Petkovic.

Costa Rica: Navas; Gamboa (Smith), Acosta, González, Waston e Oviedo; Borges, Guzmán (Azofeifa), Colindres (Wallace) e Bryan Ruiz; Campbell. Técnico: Óscar Ramírez.

Árbitro: Clement Turpin (França), auxiliado pelos compatriotas Nicolas Danos e Cyril Gringore.

Gols: Dzemaili e Drmic (Suíça); Waston e Sommer (contra) (Costa Rica).

Cartões amarelos: Lichtsteiner e Schär (Suíça); Gamboa, Waston e Campbell (Costa Rica).

Estádio: Nizhny Novgorod, em Nizhny Novgorod.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte