Topo

Esporte

De virada, Tunísia bate Panamá e volta a vencer em uma Copa após 40 anos

28/06/2018 17h23

Saransk (Rússia), 28 jun (EFE).- Depois de 40 anos, a Tunísia voltou a vencer em uma Copa do Mundo, ao bater o Panamá por 2 a 1, de virada nesta quinta-feira, no jogo que marcou a despedida das duas equipes do torneio.

A seleção centro-americana abriu o placar aos 32 minutos do primeiro tempo da Mordovia Arena com um gol contra. Depois de um bate e rebate no ataque, a sobra ficou com o meia José Rodríguez, que chutou de fora da área, mas a bola desviou em Meriah e enganou o goleiro Mathlouthi.

Após o intervalo, os tunisianos voltaram para o segundo tempo pressionando e conseguiram empatar aos 5, quando Khazri tocou para Fakhreddine Ben Youssef, que estava livre na pequena área e concluiu para o fundo da rede. A virada veio aos 20 da etapa final, com gol de Khazri.

Esta foi a quinta participação da Tunísia em Copas. A seleção norte-africana só tinha vencido um jogo em uma Copa - em 1978, na Argentina, por 3 a 1 sobre o México. Na França, em 1998, na Coreia do Sul e no Japão, em 2002, e na Alemanha, em 2006, o melhor que conseguiu foi um empate em cada edição.

Com o resultado, a Tunísia terminou a fase de grupos no terceiro lugar do grupo G, com três pontos, e o Panamá ficou na lanterna, sem pontuar, de quebra, com a pior campanha do Mundial, já que teve saldo de gols negativo de nove, contra quatro do Egito, que também saiu da competição com três derrotas.

A Bélgica, com nove, e a Inglaterra, com seis, já tinham conquistado vaga nas oitavas e terminaram a primeira fase na liderança e na segunda colocação, respectivamente.

Para a última partida na Copa do Mundo, as duas seleções entraram em campo com algumas alterações. A Tunísia teve problemas com seus dois goleiros, Mouez Hassen e Farouk Ben Mustapha, machucados, e teve que escalar Aymen Mathlouthi, terceiro goleiro de 33 anos, que atua no Étoile du Sahel. O técnico Nabil Maaloul ficou sem um goleiro reserva no banco, pois a Fifa não autorizou a vinda de um quarto após as lesões, assim, o atacante Fakhreddine Ben Youssef ficou de sobreaviso para atuar no gol, caso fosse necessário.

O Panamá, por sua vez, não pode contar com o atacante Ismael Díaz, que machucou a perna direita no treinamento durante a semana.

O jogo começou muito disputado, com os jogadores brigando por cada lance, até mesmo pelas cobranças de lateral. Aos 5 minutos, a Tunísia perdeu uma ótima chance, depois que Sliti subiu pela esquerda, se livrou da marcação e cruzou rasteiro para Ben Youssef na pequena área. O atacante não conseguiu dominar a bola, e acabou batendo fraco para a defesa de Penedo.

Três minutos depois, o Panamá respondeu com Torres, que recebeu na entrada da área, mas se enrolou ao finalizar e perdeu uma das melhores chances dos panamenhos no início do jogo.

Apesar de movimentado, os primeiros minutos de partida foram marcados por muitos erros das duas equipes. Aos 10, Torres subiu com Naguez, o zagueiro perdeu o tempo da bola, mas o panamenho também furou e não conseguiu aproveitar a oportunidade.

Alternando a posse de bola, Tunísia e Panamá tentavam encontrar brechas no setor defensivo do adversário. Aos 18, após uma cobrança de escanteio, Bedoui conseguiu subir mais que a defesa panamenha e cabeceou com perigo, mas Penedo conseguiu fazer a defesa.

Apesar das duas equipes mostrarem muita vontade, faltava qualidade técnica. Aos 22, quando o Panamá conseguia uma boa jogada com Avila recebendo na intermediária, o volante se atrapalhou sozinho e a zaga da Tunísia conseguiu fazer o corte.

Aos 32, depois de um bate e rebate do ataque panamenho na área da Tunísia, Rodríguez chutou de fora da área, a bola desviou em Meriah e enganou o goleiro Mathlouthi, abrindo o placar para o Panamá.

A Tunísia saiu em busca do gol de empate e passou a pressionar mais os panamenhos. Ben Youssef subiu para cabecear dentro da área aos 38, após um cruzamento da esquerda. A bola passou muito perto do gol de Penedo, mas saiu pela linha de fundo.

No início do segundo tempo, os tunisianos voltaram determinados a conseguir o gol de empate e pressionaram muito. Aos 5 minutos, Khazri viu Ben Youssef entrando livre na pequena área e deu um passe preciso para o atacante, que deixou tudo igual: 1 a 1. O gol de Ben Youssef foi o de número 2.500 da história das Copas.

Depois de igualar o placar, os tunisianos passaram a dominar o jogo, buscando a virada. Três minutos depois, Ben Youssef, de novo, invadiu a área e chutou forte, mas a bola explodiu na perna de do goleiro panamenho.

Aos 17, o Panamá teve uma boa chance: Mathlouthi saiu mal do gol e dividiu no alto com Tejada. O goleiro conseguiu afastar, mas a bola sobrou para Bárcenas, que chutou de primeira e acertou o rosto do goleiro tunisiano.

Depois de muito insistir, a Tunísia conseguiu a virada aos 20 da etapa final, com Khazri, que recebeu de Haddadi dentro da pequena área e só empurrou a bola para o gol vazio.

Aos 27, o Panamá conseguiu marcar um golaço com Bárcenas, mas o juiz anulou porque Tejada cometeu uma falta na jogada anterior.

Quatro minutos depois, a seleção panamenha tentou de novo com dois jogadores dentro da área, mas Bárcenas cruzou rasteiro e Mathlouthi saiu do gol para ficar com a bola.

Os tunisianos aproveitavam a vantagem para tocar a bola com calma, enquanto os panamenhos cometiam faltas duras, tentando retomar a posse de bola.

O nervosismo se estendia ao lado de fora do campo. O técnico panamenho Hernán Gomez se desentendeu com o lateral tunisiano Naguez e o quarto árbitro e o juiz precisaram intervir, aos 38, para acabar com a discussão.

O Panamá não desistia do empate, tocando bola no campo de ataque e tentando criar novas oportunidades de gol, principalmente com cruzamentos. Aos 44, Arroyo furou um arremate dentro da área, mas o juiz marcou o impedimento.

Três minutos depois, Godoy pegou uma bola de primeira, mas não conseguiu dominar e desperdiçou uma grande chance. A seleção panamenha ainda teve uma última oportunidade no último minuto de jogo, aos 50, quando Tejada tentou um toque e Kalil colocou a mão na bola. Bárcenas cobrou no meio do gol, e o goleiro tunisiano fez uma defesa fácil.

Na sequência, Tejada pisou nas mãos do goleiro, já caído. Houve uma pequena discussão dentro de campo, mas o juiz encerrou a partida.



Ficha técnica:.

Panamá: Penedo; Adolfo Machado, Román Torres (Tejada), Escobar e Ovalle; Gómez, Godoy e Ávila (Arroyo); Bárcenas, Rodríguez e Gabriel Torres (Cummings). Técnico: Hernán Darío Gómez.

Túnisia: Mathlouthi; Naguez, Bedoui, Meriah e Haddadi; Sassi (Badri), Skhiri,e Chaaleli; Sliti (Khalil), Ben Youssef e Khazri (Srarfi). Técnico: Nabil Maaloul.

Árbitro: Nawaf Shukralla (Bahrein), auxiliado pelo compatriota Yaser Tulefat e Taleb Al Marri (Catar)

Gols: Meriah (contra) (Panamá); Ben Youssef e Kazhri (Tunísia).

Cartões amarelos: Ávila, Gómez e Tejada (Panamá); Sassi, Badri e Chaaleli (Tunísia).

Estádio: Mordovia Arena, em Saransk (Rússia).

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte