Topo

Esporte

Japão perde para Polônia, mas vai às oitavas pelo critério dos cartões

28/06/2018 13h21

Redação Central, 28 jun (EFE).- O Japão perdeu nesta quinta-feira para a Polônia por 1 a 0, em Volgogrado, mas mesmo assim conseguiu a segunda das duas vagas do grupo H nas oitavas de final da Copa do Mundo pelo critério de desempate disciplinar, por ter recebido menos cartões que o Senegal.

O único gol do jogo na Volgogrado Arena foi marcado por Bednarek, no segundo tempo, o que deixou os japoneses empatados com os senegaleses em pontos (4), saldo de gols (0) e gols marcados (4). Como as duas seleções empataram no confronto entre elas (2 a 2), o desempate foi na pontuação de advertências, e os asiáticos garantiram vaga por terem acumulado dois cartões amarelos a menos.

Os africanos teriam se classificado com um empate com a Colômbia na partida disputada simultâneamente, em Samara, mas perderam por 1 a 0.

Com a classificação, o Japão enfrentará na próxima fase o primeiro colocado do grupo G, que será definido (a partir das 15h de Brasília) no duelo entre Inglaterra e Bélgica. A Colômbia, primeira do grupo H, com seis pontos, vai encarar o líder da outra chave. A Polônia terminou na lanterna, com três pontos.

O triunfo polonês repetiu uma situação ocorrida nas duas últimas participações da seleção em Mundiais (2002 e 2006), quando a equipe chegou eliminada à última rodada da primeira fase e conseguiu se despedir com vitória. Já o Japão mantém a alternância de desempenhos desde a sua estreia em Copas: caiu na primeira fase em 1998, 2006 e 2014 e se classificou às oitavas em 2002, 2010 e em 2018.

Tentando garantir a vaga logo no início do jogo, o Japão pressionou na metade do primeiro tempo e teve três boas chances de abrir o placar entre os 12 e 15 minutos.

Primeiro, Nagatomo fez bom cruzamento e Okazaki cabeceou com muito perigo. Logo depois, o goleiro Fabianski fez grande defesa ao buscar no canto direito o forte chute de Muto. Por fim, Sakai bateu da entrada da área e o camisa 22 encaixou no centro do gol.

A seleção polonesa equilibrou as ações depois deste início arrasador e segurou o ímpeto japonês, se arriscando eventualmente no ataque. Em uma dessas subidas, aos 30, conseguiu a melhor chance da etapa inicial. Grosicki aproveitou cruzamento vindo da direita e cabeceou no cantinho. Kawashima se esticou todo e tirou em cima da linha, em uma das melhores defesas desta Copa.

Quatro minutos depois, a equipe de Akira Nishino teve a última grande chance antes do intervalo, quando Usami entrou na área e tentou um cruzamento forte, que quase saiu como um chute a gol, mas a zaga polonesa afastou após defesa do goleiro.

No início da segunda etapa, o Japão teve uma notícia ruim: Okasaki, que chegou ao torneio se recuperando de uma lesão e só conseguiu atuar como titular nesta rodada, voltou a sentir dores e acabou saindo de campo.

A situação japonesa piorou aos 14 minutos. Em cobrança de falta levantada na área, Bednarek entrou para desviar para o fundo do gol, fazendo 1 a 0 para os poloneses.

Sem conseguir atacar com eficiência os poloneses, a torcida nipônica finalmente pode comemorar aos 29 minutos, quando a Colômbia marcou gol sobre Senegal na partida Samara, o que então classificava o time asiático pelo critério disciplinar.

Aos 35, quase a Polônia ampliou o marcador, mas Kawashima fez defesa espetacular salvando seu time da eliminação após desvio do zagueiro Makino, que tinha endereço certo.

Os últimos minutos da partida foram marcados pela vaia da torcida aos jogadores em campo, já que poloneses e japoneses estavam confortáveis com o resultado e só tocaram bola de lado.



Ficha técnica:.

Japão: Kawashima; H. Sakai, Yoshida, Makino e Nagatomo; Yamaguchi, Shibasaki; G. Sakai, Okasaki (Osako), Usami (Inui); e Muto (Hasebe). Técnico: Akira Nishino.

Polônia: Fabianski; Bereszynski, Glik, Bednarek e Jedrzejczyk; Góralski, Krychowiak; Grosicki, Zielinski (Teodorczyk), Kurzawa (Peszko); e Lewandowski. Técnico: Adam Nawalka.

Cartão amarelo: Makino (Japão).

Gol: Bednarek (Polônia)

Árbitro: Janny Sikazwe (Zâmbia), auxiliado por Jerson dos Santos (Angola) e Zakhele Siwela (África do Sul).

Estádio: Volgogrado Arena, em Volgogrado.

Mais Esporte