Topo

Esporte

Técnico do Senegal diz que não sabe se critério de cartões é justo

28/06/2018 15h16

Samara (Rússia), 28 jun (EFE).- O técnico de Senegal, Aliou Cissé, evitou comentar o critério de cartões que tirou a equipe comandada por ele da Copa do Mundo em benefício do Japão, que ficou com a segunda vaga do grupo H nas oitavas de final.

"Não sei dizer se é justo ou não. É preciso respeitar a regra do jogo limpo", se limitou a dizer Cissé sobre o critério.

Senegal perdeu para a Colômbia nesta quinta-feira, por 1 a 0, e ficou com quatro pontos na chave, empatado com o Japão, que perdeu para a Polônia, por 1 a 0, também em número de gols marcados e saldo. Como o jogo entre as duas equipes terminou igual, 2 a 2, o quarto critério de desempate foi utilizado: a regra do fair play.

Os senegaleses, que receberam seis cartões amarelos nas três partidas disputadas na fase de grupos, foram eliminados. Com quatro cartões, o Japão ficou com a segunda vaga do grupo.

"Estou muito orgulhoso da equipe e do trabalho que fizemos. Senegal não se classificou porque não mereceu. A vida é assim. O fair play é uma das regras do torneio e é preciso respeitá-la. Gostaríamos de ser eliminados de outra forma, mas as coisas são assim. Sabíamos como era a regra", disse Cissé em entrevista coletiva depois da queda de sua seleção no grupo H.

"Não sei se (a regra) é justa ou não. Somos uma equipe muito comprometida e pode ser por isso que recebemos mais cartões amarelos que outras equipes. Meus jogadores conhecia as regras, mas repito: é difícil jogar sem compromisso, sem paixão. Não sei se é justa, mas não posso dizer aos meus jogadores que entrem em campo e não recebam amarelos", ressaltou o treinador.

O técnico senegalês, capitão da histórica seleção que encantou o mundo em 2002, elogiou o compromisso dos seus atletas e lamentou as oportunidades perdidas na etapa inicial contra a Colômbia.

"Acredito que poderíamos ter marcado no primeiro tempo, mas não marcamos. Há também o pênalti, que o árbitro decidiu não apitar. É uma pena. Na segunda parte, no entanto, nossa equipe jogou melhor e controlamos bem a partida", analisou.

"Estou decepcionado pela minha equipe, que luta e briga a cada dia por seu país. Mas vou seguir ao lado deles porque espero coisas boas no futuro", completou o técnico.

Cissé lamentou o fato de nenhuma seleção africana ter se classificado para as oitavas de final na Rússia, mas destacou que as equipes do continente mostraram evolução no Mundial e jogaram de igual para igual contra adversários de outras regiões.

"Existe esse sistema de grupos, no qual os africanos têm que enfrentar seleções europeias, e isso não é fácil. No entanto, o futebol africano está avançando muito, está progredindo, e sei que veremos grandes coisas no futuro. Vendo como outras equipes jogaram, não acho que devemos nos sentir inferiores. A distância está cada vez menor", afirmou Cissé.

"Agora devemos seguir trabalhando. Acredito que a equipe do Senegal avançou muito, e, não devemos pensar na eliminação. De fato, há muitas equipes importantes eliminadas na primeira rodada, como a Alemanha", concluiu o treinador.

Mais Esporte