Topo

Esporte

Croácia vira na prorrogação, bate Inglaterra e fará final de Copa pela 1ª vez

11/07/2018 18h34

Moscou, 11 jul (EFE).- A Croácia encarou nesta quarta-feira sua terceira prorrogação nesta Copa do Mundo, superou o cansaço e venceu a Inglaterra por 2 a 1, de virada, no estádio Luzhniki, e com isso vai disputar pela primeira vez na história a final da competição.

Se a Bélgica chegou à Copa badalada por sua "ótima geração" e esbarrou nas semifinais, como em 1986, o que dizer então do elenco que conta com nomes como Luka Modric, Ivan Rakitic, Ivan Perisic, Mario Mandzukic e outros? O resultado de hoje fez com que estes croatas se imortalizassem, superando a campanha da chamada "Geração de Ouro" do país, de Davor Suker e Zvonimir Boban, que conseguiu o terceiro lugar na edição de 1998.

A vaga na decisão foi conquistada com contornos dramáticos. A Inglaterra largou na frente no placar com apenas cinco minutos de partida, quando o lateral-direito Kieran Trippier acertou uma bela cobrança de falta. No segundo tempo, o meia-atacante Ivan Perisic deixou tudo igual aos 23.

Em todas as quatro prorrogações anteriores da Copa disputada na Rússia o empate persistiu com bola rolando, e o vencedor só saiu nos pênaltis. Nesta quarta-feira, o desfecho foi diferente. Os croatas encerraram a sequência ao marcarem aos 4 minutos do segundo tempo extra, com o atacante Mario Mandzukic, que se aproveitou de um cochilo da defesa inglesa, e não sofreram gols até o apito final.

Esta foi a primeira vez que uma seleção chegou a uma final de Copa do Mundo passando por prorrogações nas oitavas, quartas e semifinais - a Croácia vinha de vitórias nos pênaltis sobre Dinamarca e Rússia. Desde 1986, quando foi adotado o atual sistema de divisão de fases, só uma seleção tinha disputado 30 minutos adicionais nas etapas eliminatórias de uma mesma competição: a própria Inglaterra, em 1990, quando superou Bélgica e Camarões na prorrogação e perdeu para a Alemanha, nas penalidades.

O adversário da Croácia na decisão será a França, no domingo, às 12h (de Brasília), também no estádio Luzhniki. O jogo reeditará a semifinal da Copa de 98 na qual os croatas perderam para os então anfitriões por 2 a 1. Na decisão do terceiro lugar, Suker e cia. venceram a Holanda por 2 a 1.

No sábado, em São Petersburgo, os ingleses enfrentarão a Bélgica tentando superar a melhor campanha recente, o quarto lugar obtido em 1990. Os belgas também buscarão uma terceira colocação que marque seu melhor resultado em Copas, já que em 86 os 'Diabos Vermelhos' e sua primeira brilhante geração, com Jean-Marie Pfaff, Jan Ceulemans e Enzo Scifo, perderam o jogo de consolação para a França por 4 a 2 na prorrogação.

Nesta quarta-feira, a grande surpresa nas escalações foi o lateral-direito Vrsaljko, apontado como provável desfalque, mas que apareceu como titular na Croácia, depois de se recuperar de dores no joelho esquerdo. A única mudança na seleção foi a volta do volante Brozovic no lugar do meia-atacante Kramaric.

A Inglaterra, por sua vez, repetiu pela terceira vez consecutiva a escalação. Sem qualquer problema com lesões ou suspensões, o técnico Gareth Southgate confiou na formação que despachou Colômbia e Suécia nas oitavas e quartas de final, respectivamente.

Após o apito inicial, no entanto, a estrela que brilhou para os campeões de 66 foi a de Trippier, que acertou uma cobrança de falta da entrada da área ao melhor estilo David Beckham, aos 5 do primeiro tempo, em lance originado por falta de Modric em Dele Alli.

Logo depois do gol, os croatas tentaram reagir rápido, mas encontraram um adversário bem armado. Aos 12, foi Maguire que quase mexeu no placar, ampliando para os ingleses, em cabeçada à esquerda do gol defendido pos Subasic, após escanteio da direita.

Aos poucos, a seleção do Leste Europeu se soltou mais em campo, embora sem agredir. O 'English Team', por sua vez, assustou aos 22, quando Strinic saiu jogando errado, entregando a bola nos pés de Sterling, que serviu Kane. O centroavante, livre, acabou batendo para fora, instantes antes de ser flagrado em impedimento.

O goleador da Copa teve outra grande oportunidade aos 30, quando foi acionado por Dele Alli na área e, frente a frente com o Subasic, bateu fraco, em cima do goleiro. O camisa 9 foi buscar a bola quase em cima da linha, e tentou bater sem ângulo, mas acertou a trave. Mais uma vez, no entanto, o atacante estava em posição irregular.

A Croácia chegou ao ataque pela primeira vez aos 33, quando Rebic pegou sobra na entrada da área e bateu para a defesa de Pickford. A resposta veio dois minutos depois, quando Lingard recebeu, depois de boa trama que também envolveu Kane e Dele Alli, e concluiu à esquerda do gol.

Na última jogada, Modric cobrou falta da direita. Após se enroscar com Maguire, Lovren caiu na área, o que gerou reclamação dos croatas. O lance, considerado normal pelo árbitro turco Cuneyt Çakir, foi revisado pela equipe do VAR, com a decisão de campo sendo mantida. A curiosidade é que a análise aconteceu já com parte dos jogadores estando no túnel de acesso ao vestiário.

O segundo tempo teve início com a Croácia mais ofensiva, dando poucos espaços e apertando a saída de bola dos ingleses. Apesar disso, a primeira chance de gol depois do intervalo foi dos campeões de 66, com chute de Lingard por cima do gol de Subasic.

Em grande jogada de Modric, que iniciou a jogada no próprio campo, se movimentou bem e depois recebeu na direita para cruzar, em bola que Stones conseguiu cortar da área. Perisic pegou a sobra e soltou uma bomba, mas acabou carimbando Walker.

O camisa 4 croata persistiu e conseguiu deixar tudo igual aos 23. Após cruzamento da direita feita por Vrsaljko, o meia-atacante se antecipou a Trippier e Walker, esticou a perna esquerda e tocou para o fundo da rede, sem dar chances para Pickford.

Endiabrado, Perisic esteve a centímetros de marcar aos 27, quando a zaga inglesa bateu cabeça. O meia-atacante recuperou a bola na área, se livrou da marcação e bateu na trave esquerda. A resposta veio só aos 32, quando Lingard recebeu livre nas costas da zaga, mas concluiu mal, à direita de Subasic.

A seleção croata teve mais duas grandes chances quase seguidas de marcar. Aos 38, Modric levantou na área e achou Mandzukic, que bateu para ótima defesa de Pickford. Um minuto depois, o goleiro cortou mal uma bola e a jogou nos pés de Perisic, que deu leve toque, errando o alvo por alguns centímetros.

Na prorrogação, as duas seleções não chegaram a se esforçar muito atrás do gol. Na sempre bem executada bola parada, a Inglaterra ameaçou aos 9 do primeiro tempo, quando Trippier cobrou escanteio e Stones testou firme. Vrsaljko salvou, também de cabeça, em cima da linha.

Os croatas foram ter oportunidade somente aos 17, quando Perisic recebeu bola na esquerda e cruzou na medida para o meio da área, procurando Mandzukic. O atacante chegou a dar leve toque na bola, mas parou em corte de Pickford, que saiu de forma corajosa do gol.

Na segunda etapa, a defesa inglesa cochilou e, logo aos 3 minutos, Rakitic cobrou escanteio rápido da esquerda e deixou Brozovic frente a frente com o goleiro. O volante, encheu o pé, mas acabou isolando por cima do travessão.

A zaga voltou a bobear logo no minuto seguinte, depois que Perisic brigou pelo alto e desviou de cabeça em direção a área. Stones ficou olhando e permitiu que Mandzukic aparecesse nas costas e batesse cruzado para vencer Pickford e virar o placar.

Os ingleses tentaram se lançar ao ataque contra uma seleção que vinha de outras duas prorrogações, mas se abriram e quase permitiram o gol croata em duas oportunidades: aos 10, com Kramaric, que concluiu para defesa de Pickford, em dois tempos, e aos 14, com Perisic finalizando para fora.

O árbitro deu quatro minutos de acréscimo, mas o 'English Team' não conseguiu emplacar chances, e o sonho de levar o futebol "de volta para casa", como dizia a música embalada pela torcida inglesa nesta Copa do Mundo, foi mais uma vez frustrado - como vem sendo desde a conquista da edição de 1966.



Ficha técnica:.

Croácia: Subasic; Vrsaljko, Lovren, Vida e Strinic (Pivaric); Brozovic, Rakitic e Modric (Badelj); Rebic (Kramaric), Perisic e Mandzukic (Corluka). Técnico: Zlatko Dalic.

Inglaterra: Pickford; Walker (Vardy), Stones e Maguire; Trippier, Lingard, Henderson (Dier), Dele Alli e Young (Rose); Sterling (Rashford) e Kane. Técnico: Gareth Southgate.

Árbitro: Cuneyt Çakir (Turquia), auxiliado pelos compatriotas Bahattin Duran e Tariq Ongun.

Gols: Perisic e Mandzukic (Croácia); e Trippier (Inglaterra).

Cartões amarelos: Mandzukic e Rebic (Croácia); e Walker (Inglaterra).

Estádio Luzhniki, em Moscou.

Mais Esporte