Topo

Esporte

Presidente do River ataca mandatário do Boca: "Não honrou a palavra"

28/11/2018 15h01

Buenos Aires, 28 nov (EFE).- O presidente do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, elevou o tom nesta quarta-feira e acusou o mandatário do Boca Juniors, Daniel Angelici, de enganar a ele e outros dirigentes, e cobrou que aconteça a segunda partida da final da Taça Libertadores.

"No sábado, assinamos um papel para que jogássemos 24 horas depois, no domingo. Concordamos em adiar, mas, nunca pensei que, naquela noite, estávamos assinando para pedir os pontos do jogo. Angelici não honrou a palavra, o que tinha prometido", disse o represente do 'Millonario', em entrevista coletiva.

O presidente do Boca Juniors, há três dias, protocolou junto a Conmebol um pedido para que a final fosse suspensa e o clube 'xeneize' fosse declarado campeão, por não haver igualdade entre as equipes na disputa pelo título, por causa dos problemas no entorno do Estádio Monumental de Núñez.

A partida estava prevista para sábado, mas, acabou sendo adiada para o dia seguinte, após torcedores do River apedrejarem e lançarem garrafas contra o ônibus que levava a delegação do Boca para o estádio Monumental de Núñez. O volante Pablo Pérez, capitão dos 'Xeneizes', inclusive, acabou ficando com o olho esquerdo ferido.

"Peço encarecidamente, Angelici, vem jogar. Não somos tão bons, joguem, podem nos ganhar. Se o presidente do Boca está me escutando, venha jogar, respeite sua palavra. Pare de apresentar papéis, não invente mais nada. É preciso ter valores", afirmou D'Onofrio.

Ontem, a Conmebol decidiu que a segunda partida não será disputada na Argentina, entre os dias 8 e 9 de dezembro. Doha, no Catar, Miami, nos Estados Unidos, e Assunção, no Paraguai, aparecem como favoritos. O representantes do Mineirão, em Belo Horizonte, e a Arena Condá, em Chapecó, também manifestaram interesse.

O Boca Juniors, no entanto, já se posicionou recusando a possibilidade de entrar em campo novamente pela competição. O clube presidido por Angelici cobra punições esportivas ao River Plate, pelo comportamento dos torcedores.

Mais Esporte