Topo

Esporte

Dirigente espanhol confia que final da Libertadores será mantida em Madri

Pierre Phillipe Marcou/AFP
Luis Rubiales, presidente da federação espanhola de futebol Imagem: Pierre Phillipe Marcou/AFP

Dublin, Irlanda

02/12/2018 14h27

O presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, disse neste domingo que confia que o segundo jogo da final da Taça Libertadores entre River Plate e Boca Juniors será realizado em Madri, no próximo dia 9 de dezembro.

No último sábado (1º), o River Plate enviou uma carta ao presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, condenando a decisão de mudar a partida para o Estádio Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid. Para o clube argentino, a alteração é prejudicial porque tira do time a condição de mandante e ainda permite a presença da torcida do Boca no local.

"Estão ocorrendo reuniões na Espanha das quais não pude participar por estar aqui em Dublin, mas não tenho nenhuma notícia negativa sobre isso", disse Rubiales, que acompanhava o técnico da Espanha, Luis Enrique, no sorteio dos grupos da Eurocopa 2020.

O dirigente espanhol disse que a federação do país estendeu a mão para ajudar a solucionar uma situação difícil depois da decisão da Conmebol que abriu o caminho para que o jogo fosse realizado em um campo neutro fora da Argentina.

"O resto não depende de nós, mas vamos ajudar para que tudo se organize", afirmou Rubiales.

O jogo de volta da final da Libertadores foi adiado depois de torcedores do River Plate atacarem, com pedras e garrafas, o ônibus que levava os jogadores do Boca Juniors ao Estádio Monumental de Núñez. Alguns dos atletas, como o capitão do time, o volante Pablo Pérez, se feriram na ação. 
 

Mais Esporte