Topo

Esporte

Boris Becker retira alegação de imunidade diplomática em caso de falência

03/12/2018 17h30

Londres, 3 dez (EFE).- O ex-tenista alemão Boris Becker, vencedor de seis títulos de Grand Slam, retirou nesta segunda-feira a sua alegação que conta com imunidade diplomática no processo judicial em que está envolvido por inadimplência, segundo informações divulgadas pela imprensa britânica.

Em uma audiência realizada hoje em um tribunal de Londres, na qual Becker não esteve presente, seus advogados comunicaram a intenção do ex-tenista de deixar a apelação através de um e-mail no qual argumentava: "Não tenho mais remédio a não ser deixar a alegação de imunidade diplomática".

Em abril, o tricampeão de Wimbledon foi nomeado adido cultural, esportivo e humanitário da República Centro-Africana na União Europeia, um cargo que usou frente à justiça britânica para apresentar o argumento da imunidade e evitar, assim, ser processado por inadimplência em relação a dívidas de 2015.

Em 2017, um tribunal de Londres declarou falência do ex-tenista por uma dívida com o banco privado Arbuthnot Latham & Co, calculada em torno de 6 milhões de euros, pelo refinanciamento da hipoteca de uma propriedade em Mallorca, na Espanha.

No momento, as contas de Becker estão em quebra, o que lhe obrigou a vender troféus e diversas outras recordações da carreira, como tênis e camisas, que serão colocados em leilão na casa Wyles, Hardy & Co.

O alemão pendurou as raquetes em 1999. Nos últimos anos, trabalhou como treinador do tenista sérvio Novak Djokovic e foi comentarista na emissora britânica "BBC" para o torneio de Wimbledon.

Mais Esporte