Topo

Esporte

Time masculino ficará com prêmio da Libertadores feminina, diz meia do Huila

04/12/2018 22h11

Bogotá, 4 dez (EFE).- A meia Yoreli Rincón, destaque do Atlético Huila na conquista da Taça Libertadores feminina em final contra o Santos, denunciou nesta terça-feira que o prêmio de US$ 55 mil recebido da Conmebol pelo título ficará com o time masculino do clube colombiano.

"Por sermos campeãs, ganhamos US$ 55 mil, dinheiro que nunca chegará a nós. Ficará com o Atlético Huila masculino, que tem um presidente diferente do nosso, que é Diego Perdomo", declarou a camisa 10 em um vídeo divulgado em suas redes sociais.

A jogadora afirmou o elenco receberá um "reconhecimento", mas que será por iniciativa pessoal do presidente da equipe feminina.

"Sim, temos um reconhecimento, que será dado pelo nosso presidente, mas é do bolso dele, e não o nosso prêmio conquistado por sermos campeãs da Libertadores de 2018. Infelizmente, assim é o futebol feminino", lamentou.

O Atlético Huila sagrou-se campeão no último domingo ao derrotar o Santos na Arena da Amazônia, em Manaus, por 5 a 3 nos pênaltis, após empate em 1 a 1 no tempo normal. Yoreli, de 25 anos, acertou a última cobrança.

A conquista teve um sabor especial para o futebol feminino da Colômbia, cuja liga nacional foi criada há apenas duas temporadas.

Mais Esporte