Topo

Esporte

Atlético-PR empata na Colômbia e garantirá título com vitória simples em casa

06/12/2018 00h40

Barranquilla (Colômbia), 6 dez (EFE).- O Atlético Paranaense voltará da Colômbia com empate com o Junior Barranquilla em 1 a 1 na bagagem, em jogo concluído já na madrugada desta quinta-feira, pela ida da final da Copa Sul-Americana, que deixa o clube brasileiro a uma vitória simples do título inédito.

Todos os gols do duelo disputado no Estádio Metropolitano Roberto Meléndez foram marcados no segundo tempo. Aos 6, em contra-ataque fulminante, o atacante Pablo colocou o time brasileiro na frente. Dois minutos depois, o atacante Yony González deixou tudo igual.

Os anfitriões tiveram uma grande chance aos 28, quando o zagueiro Rafael Pérez acertou o travessão em cobrança de pênalti. A falta na área foi cometida pelo atacante Roni, que havia entrado em campo minutos antes, no lugar do autor do único gol do Furacão, que deixou o gramado sentindo dores.

Com o resultado, as duas equipes precisam apenas da vitória na próxima quarta-feira para erguer a taça, no entanto, a equipe de Curitiba jogará dentro de casa, na Arena da Baixada. Em seus domínios, o Furacão não perde desde o dia 9 de junho, quando caiu diante o São Paulo por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro.

Para o jogo desta quarta-feira, em Barranquilla, em que iniciaria a busca por inédito título continental o Atlético Paranaense contou com força máxima e entrou em campo com a escalação considerada a mais habitual pelo técnico Tiago Nunes. Figuras como Santos, Renan Lodi, Lucho González, Nikão e Pablo começaram jogando.

O Junior, por sua vez, veio sem o atacante Teo Gutiérrez, nome mais badalado do elenco, e o lateral-esquerdo Gabriel Fuentes, ambos expulsos no segundo encontro das semifinais com o Independiente Santa Fé. Além disso, o zagueiro Willer Dita e o meia Leonardo Pico, por causa de lesões, ficaram fora da partida.

Mesmo com muitos desfalques, os anfitriões buscaram se impôr a partir do apito inicial, mantendo a posse de bola e mostrando postura muito ofensiva. Logo aos 2 minutos, Díaz recebeu no lado esquerdo da área, ajeitou e bateu para a defesa segura de Santos.

Aos poucos, o Furacão conseguiu controlar o ímpeto do adversário, embora tenha seguido com dificuldades para agredir. Aos 19, a torcida da casa se empolgou, quando Barreira cruzou da direita, González subiu alto para testar, mas cabeceou por cima, em bola que tocou em Thiago Heleno, que estava junto ao atacante, na marcação.

O Junior Barranquilla até tentaram uma blitz no fim do primeiro tempo, mas, encontraram dificuldades em furar a defesa do Atlético. Aos 45, após boa jogada pela direita, Bruno Guimarães cortou após bate e rebate, e o time da casa pediu domínio com a mão do volante, dentro da área, o que árbitro peruano Diego Haro ignorou.

Inofensivo no ataque durante o primeiro tempo, o Atlético quase marcou logo aos 2 minutos da etapa complementar. Após cobrança de escanteio da esquerda ofensiva, Léo Pereira subiu mais que todos os jogadores do Junior e testou muito perto do gol defendido por Viera.

No melhor estilo Furacão, aos 6, o time paranaense encaixou um contra-ataque fulminante e abriu o placar. Após bola recuperada no campo defensivo, Nikão foi acionado na direita, disparou, ganhou no corpo da marcação e acionou Pablo, que encheu o pé para estufar a rede.

O jogo ficou eletrizante e, dois minutos depois, o Junior deixou tudo igual. Após bate e rebate na área, Jonathan cortou mal de cabeça e deixou a bola pipocando, Sánchez testou para ajeitar e encontrou González, que emendou finalização acrobática para marcar.

Os momentos seguintes aos gols foram até animadores, mas, aos poucos, os dois times reduziram o ritmo e as chances ficaram mais escassas. Aos 25, os jogadores do Furacão reclamaram de pênalti, quanto Nikão tentou concluir cruzamento da direita de Lucho González, mas, acabou bloqueado por adversários.

No minuto seguinte, a marca fatal acabou sendo apontada por Diego Haro, mas, do outro lado do campo, depois de Roni - que havia acabado de substituir Pablo -, derrubar Gutiérrez na área. Pérez foi para a cobrança, soltou uma bomba, mas, acabou acertando o travessão.

Nos acréscimos, o Junior ainda tentou queimar um último cartucho, aos 48, quando Barreira recebeu na esquerda, conduziu a bola e bateu com muita força. Santos se esticou todo, fez defesa excepcional e evitou a derrota do Atlético Paranaense na Colômbia.



Ficha técnica:.

Junior Barranquilla: Viera; Piedrahita, Gómez, Pérez e Gutiérrez; Narváez (Hernández), Sánchez (Moreno), Cantillo e Barreira; González (Ruíz) e Díaz. Técnico: Julio Comesaña.

Atlético Paranaense: Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Bruno Guimarães, Lucho González (Marcinho) e Raphael Veiga (Wellington); Nikão, Marcelo Cirino e Pablo (Roni). Técnico: Tiago Nunes.

Árbitros: Diego Haro (Peru), auxiliado pelos compatriotas Jonny Bossio e Víctor Raez.

Gols: González (Junior Barranquilla); e Pablo (Atlético Paranaense)

Cartões amarelos: Pérez (Junior Barranquilla); Léo Pereira, Bruno Guimarães e Thiago Heleno (Atlético Paranaense)

Estádio Metropolitano Roberto Meléndez, em Barranquilla (Colômbia).

Mais Esporte