Topo

Esporte

Vice-presidente do River lamenta falta de acordo para evitar jogo em Madri

07/12/2018 19h17

Buenos Aires, 7 dez (EFE).- O vice-presidente do River, Jorge Brito, lamentou nesta sexta-feira a falta de acordo com o Boca Juniors para evitar que o jogo de volta da final da Taça Libertadores ocorresse em Madri, não na Argentina.

"Se River e Boca estivessem juntos na decisão e entrassem em acordo, não viríamos para Madri. Mas a realidade é que não estávamos em condições de decidir nada. Depois do sábado, o diálogo entre os clubes acabou", disse Brito em entrevista a uma rádio local.

O dirigente também criticou a Associação do Futebol Argentino (AFA) por não fazer nada para evitar que o jogo fosse no exterior.

"Eles tinham que ter defendido River e Boca para que essa partida fosse jogada na Argentina. Não defenderam o futebol argentino. Que revelem o que fizeram para defendê-lo. A AFA nunca deveria ter permitido que o jogo fosse tirado de lá", ressaltou.

Para o vice-presidente do River, o clube não teve nenhuma responsabilidade na violência protagonizada pelos torcedores contra o ônibus que levava o Boca Juniors ao Monumental Núñez.

"Foram dois tarados que atiraram uma pedra", afirmou.

Após os incidentes que provocaram o adiamento do jogo e posterior decisão de que a final fosse disputada em Madri, o River Plate insistiu que a partida deveria ocorrer no Monumental de Núñez. Já o Boca pediu para ser proclamado campeão do torneio sem jogar.

Mais Esporte