Topo

Esporte


Furacão vence na Arena da Baixada e fica a empate de título inédito da Recopa

2019-05-22T23:33:00

22/05/2019 23h33

Curitiba, 22 mai (EFE).- Na primeira vez em que disputa a Recopa Sul-Americana, o Athletico Paranaense saiu em vantagem ao vencer o River Plate por 1 a 0 nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, resultado que permite à equipe brasileira jogar pelo empate na volta para ficar com o título inédito.

Classificado para a competição por ter conquistado a Copa Sul-Americana em 2018, o Furacão não se intimidou com o River, atual campeão da Taça Libertadores e que já faturou a Recopa duas vezes em quatro participações anteriores.

O único gol do jogo em Curitiba foi marcado por Marco Ruben, ainda no primeiro tempo. Graças ele, o time dirigido por Tiago Nunes precisará da igualdade na segunda partida, na quinta-feira da semana que vem, no Monumental de Nuñez, para dar a volta olímpica. Como nas finais da Conmebol o gol qualificado não é critério de desempate, qualquer vitória do River por um gol de diferença provocará a realização de prorrogação e, se necessário, de disputa de pênaltis.

O Athletico não pôde contar com o zagueiro Thiago Heleno nem o meia Camacho, afastados após testarem positivo para doping em partidas da atual edição da Libertadores. Os jogadores estão suspensos preventivamente por 60 dias pela Conmebol. Além disso, o meia argentino Tomás Andrade foi emprestado ao Furacão pelo River e não foi liberado.

Nos 'Millonarios', o meia Juan Fernando Quintero se recupera de grave lesão no joelho esquerdo e ainda passará por um longo período de recuperação.

Logo na saída de bola, o time anfitrião quase abriu o placar com direito a "lei do ex". Lucho González, que defendeu a equipe de Buenos Aires de 2002 a 2005 e entre 2015 e 2016, avançou com liberdade e chutou de fora para defesa do goleiro Armani.

O lance não foi isolado. O Furacão teve o controle das ações durante boa parte do tempo e criava mais. Aos 14 minutos, Nikão foi acionado no meio e também bateu de longe, à direita do alvo. Mais tarde, aos 23, Jonathan rolou na medida para Rony, que furou.

Um minuto depois, veio o gol. Bruno Guimarães abriu na esquerda até Renan Lodi, que passou para a área até Rony. O atacante fez o giro e tocou para a pequena área até Ruben, que, bem colocado, teve apenas o trabalho de tirar de Armani e balançar a rede.

O mapa da mina era o lado esquerdo do ataque dos donos da casa. Aos 30, Renan Lodi disparou e cruzou, mas a bola passou por Lucho, e Ruben desviou apenas levemente, o que foi insuficiente para mandar para o gol.

O River pouco criava e, quando conseguia finalizar, o fazia de maneira irregular. Aos 45 minutos, De la Cruz ficou cara a cara com Santos e bateu em cima do goleiro, mas a tentativa já havia sido invalidada por impedimento.

A segunda etapa começou com um susto na torcida local. Logo aos dois minutos, De La Cruz evitou a saída da bola e a fez chegar até Palacios, que chutou rente à trave. A resposta foi dada aos dez, com Renan Lodi, que encheu o pé e obrigou Armani a espalmar para fora. Em seguida, aos 15, Nikão levou da esquerda para o meio e concluiu a centímetros do alvo.

Embora o campeão da Sul-Americana continuasse atacando mais, a partida já não estava sob controle. Aos 20 minutos, Angileri fez o chuveirinho e Suárez desviou de cabeça, mas sem a força necessária para empurrar para a rede.

Com o passar do tempo, o confronto esquentou, e o River ficou com dez homens aos 33 com a expulsão de Casco. Antes de cobrança de falta para a área de ataque do Athletico, ainda com a jogada parada, o lateral-esquerdo agrediu Rony e foi expulso após o árbitro ter revisto o lance no monitor do VAR à beira do gramado. Como a bola não estava em jogo, não foi marcado pênalti.

No 11 contra dez, a equipe anfitriã teve mais duas chances, mas não as converteu. Aos 39 minutos, Rony acelerou e deu para Madson, que havia substituído Jonathan e concluiu mal. Aos 44, Nikão mirou o ângulo ao bater falta, mas errou por pouco.

Ficha técnica:.

Athletico Paranaense: Santos; Jonathan (Madson), Léo Pereira, Paulo André e Renan Lodi; Wellington (Thonny Anderson), Lucho González (Léo Cittadini) e Bruno Guimarães; Nikão, Rony e Ruben. Técnico: Tiago Nunes.

River Plate: Armani; Mayada (Angileri), Martínez Quarta, Pinola e Casco; Pérez, De La Cruz, Palacios (Zuculini) e Fernández; Suárez (Santos Borré) e Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia), auxiliado pelos compatriotas Alexánder Guzmán e John Alexander León.

Cartões amarelos: Paulo André e Léo Pereira (Athletico Paranaense); Martínez Quarta, Suárez e Angileri (River Plate).

Cartão vermelho: Casco (River Plate).

Gol: Ruben (Athletico Paranaense).

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba. EFE

Mais Esporte