Topo

Esporte


Balbuena destaca carinho de brasileiros e diz levar Corinthians no coração

2019-06-16T21:08:00

16/06/2019 21h08

Rio de Janeiro, 16 jun (EFE).- Pouco menos de um ano depois de ter trocado o Corinthians pelo West Ham, o zagueiro Fabián Balbuena voltou a jogar em gramados brasileiros neste domingo, no Maracanã, no empate entre Paraguai e Catar em 2 a 2, pela primeira rodada da Copa América, e agradeceu o carinho que recebe da torcida local.

"Sempre encontro brasileiros, corintianos e também não corintianos, que me tratam com respeito e com carinho. Nós, estrangeiros que passamos pelo Brasil, sentimos esse carinho dos brasileiros. Nós do Paraguai, mais ainda. Somos sempre bem-vindos aqui, e é um orgulho. E é recíproco, a parceria Brasil-Paraguai é muito grande. Quanto aos corintianos, levo no coração todas as alegrias que vivemos lá", disse Balbuena na zona mista do Maracanã.

Os paraguaios abriram 2 a 0 no placar, com gols de Óscar Cardozo, logo nos instantes iniciais da partida no Rio de Janeiro, e Derlis González, já no segundo tempo. Entretanto, o atual campeão da Copa da Ásia buscou o empate, com Almoez Ali Abdulla e Khoukhi.

"Para nós, é um resultado amargo. A gente estava com dois gols de diferença, mas parou de ter pressão e intensidade. Não tendo a bola, a gente deixou muito espaço, e eles aproveitaram isso para ter mais posse de bola. Ganharam confiança, acharam o primeiro gol, e depois, com controle de bola e os espaços que a gente deixou, eles conseguiram empatar", comentou o defensor, que pediu mais atenção do time como um todo.

"Precisa ter atenção sempre, no 0 a 0, no 1 a 0 e no 2 a 0, precisa estar sempre ligado. Neste tipo de jogo, neste nível de competição, não pode dar esses moles porque qualquer adversário vai causar dano", destacou.

O próximo adversário da 'Albirroja' será a Argentina, que estreou com derrota para a Colômbia neste sábado, em Salvador. Balbuena acredita que não é necessário mudar a preparação e negou que o Paraguai tenha tropeçado no concorrente mais fraco do grupo B.

"É o mais fraco para vocês. A gente vai se preparar da mesma forma, independentemente dos resultados. Ainda tem dois jogos, e tudo pode acontecer. A Argentina vai encarar da mesma forma, vai querer vencer, e o que temos que fazer é nos recuperar, descansar, pensar nas coisas positivas que fizemos hoje e tentar corrigir as negativas", finalizou. EFE

Mais Esporte