Topo

Esporte


Apesar de 2ª derrota, técnico da Bolívia ainda mira classificação

2019-06-18T22:29:00

18/06/2019 22h29

Rio de Janeiro, 18 jun (EFE).- Após sua seleção ter sofrido nesta terça-feira a segunda derrota nesta Copa América, desta vez para o Peru por 3 a 1 de virada no Maracanã, o técnico da Bolívia, Eduardo Villegas, ainda sonha com a classificação para as quartas de final.

"Temos que pensar nessas desatenções que estamos tendo, nas quedas de rendimento, que vocês percebem e nós também. O gol causou um abalo muito grande. Vamos analisar, conversar com eles e buscar os aspectos positivos. Temos que jogar a próxima partida com a agressividade de hoje, com uma pressão alta, a bola no chão. Vamos buscar a última chance de classificação com toda a nossa força", declarou o treinador em entrevista coletiva.

Villegas, cuja seleção perdeu para o Brasil na abertura da Copa América, na sexta-feira passada, lamentou principalmente o gol de empate do Peru, marcado nos instantes finais do primeiro tempo. Na visão do técnico, 'La Verde' foi castigada pela desatenção.

"Essas desatenções sempre refletem no resultado, e no futebol, como já aprendemos, o que importa é o resultado. Temos uma equipe em formação, e erros e desatenções acontecem. Foi uma pena levar um gol aos 44 minutos do primeiro tempo, mas me dá tranquilidade termos feito um primeiro tempo como o que fizemos, uma pena não termos repetido no segundo", analisou o técnico de 55 anos, que descartou se tratar de um problema psicológico.

"Mais que psicológico, estamos devendo quanto à atenção e à concentração que uma competição exige nos minutos de dificuldade. Em competições de alto nível, já disse muitas vezes que não se pode dar espaço a um jogador como o Guerrero, por exemplo. Estamos sofrendo com a distância na marcação, no futebol não se pode dar tanto espaço. Felizmente, é algo corrigível. Vamos mostrar em imagens, como sempre fazemos, para que haja aprendizado", considerou.

Um dos principais jogadores bolivianos dos últimos anos, o meia Alejandro Chumacero não vem tendo boas atuações, e a imprensa boliviana chegou a divulgar que o ex-jogador do Sport vem sendo obrigado por Villegas a se limitar a marcar.

"Alguém disse que eu havia dito que Chumacero não poderia passar do meio de campo, e isso não é verdade. Alejandro tem toda a liberdade para se movimentar de acordo com as circunstâncias, com velocidade ou prendendo a bola no meio do campo, dependendo da necessidade", esclareceu.

Por fim, no melhor estilo "para não dizer que não falei das flores", o técnico boliviano apontou os principais pontos positivos da Bolívia na derrota, que a mantém na lanterna do grupo A, sem ponto algum.

"Gostei da conexão de Diego Bejarano e Saavedra. Falei que queria vê-los criando jogadas, construindo com Castro, se conectando à frente, dando chances de gol, e foi assim que houve o pênalti. Destaco também a atitude e a valentia dos jogadores de saberem se sobrepor às críticas que temos recebido", destacou. EFE

Mais Esporte