Topo

Esporte


Gareca espera jogo difícil contra Brasil e diz que Neymar é insubstituível

2019-06-19T00:43:00

19/06/2019 00h43

Rio de Janeiro, 18 jun (EFE).- Logo após a vitória sobre a Bolívia por 3 a 1 de virada no Maracanã nesta terça-feira, o técnico da seleção peruana, Ricardo Gareca, já voltou a atenção para o Brasil, adversário do próximo sábado na Arena Corinthians, pela terceira rodada do grupo A.

O treinador argentino destacou o talento dos jogadores comandados por Tite e comentou a ausência do atacante Neymar, cortado antes da competição devido a uma entorse no tornozelo direito.

"É difícil dizer como vamos nos programar, porque vai ser um jogo muito difícil. A gente sabe as características de Brasil. Joga bem, tem muito volume de jogo, e todo mundo conhece os seus jogadores. Sobre a ausência de Neymar, é um dos melhores jogadores do mundo, mas o Brasil pode suprir. Ele é insubstituível por ser um dos melhores do mundo, mas o Brasil pode manter a produção", analisou o técnico da 'Blanquirroja'.

Em comparação com o empate com a Venezuela em 0 a 0 na estreia, no último sábado, na Arena do Grêmio, Gareca viu uma evolução de sua equipe, mas acredita que ainda há margem para melhoras.

"Estamos nos soltando, apresentando um bom ritmo novamente. Isso leva um tempo. Hoje, demoramos para nos acomodar em campo. Tentávamos, mas a Bolívia se fechava, e depois foi se animando até marcar o gol. Nos pressionaram no primeiro tempo, mas o mais importante, e foi o que transmitimos aos garotos no intervalo, era manter a calma, tentar ter mais precisão, caprichar nos passes e nos chutes", comentou o argentino, que destacou o entrosamento entre Paolo Guerrero e Jefferson Farfán.

"Eu os vejo melhorando, se conectando mais. Eles ainda podem muito mais, mas o mais importante é que os vejo muito envolvidos na partida. As coisas podem dar certo ou não, mas estão mais conectados e envolvendo mais o Cueva e os jogadores das pontas. A bola que o Cueva meteu foi sensacional, só um jogador com o talento dele pode fazer coisas assim", enalteceu.

Alguns estádios desta Copa América receberam críticas por causa do estado do gramado. O maior destaque foi a Argentina, que falou mal da Fonte Nova após a derrota para a Colômbia por 2 a 0, também no sábado. Perguntado se tinha críticas a fazer a respeito, Gareca disse que não.

"Em momento algum me passaram algo de gramado ruim. Nem em Porto Alegre nem aqui. O do Maracanã estava melhor, ao menos foi o que me pareceu da minha perspectiva, mas nenhum jogador reclamou comigo", garantiu. EFE

Mais Esporte