Topo

Esporte


Após classificação, Scaloni critica pressão da imprensa e gramado

2019-06-23T20:47:00

23/06/2019 20h47

Porto Alegre, 23 jun (EFE).- Depois da vitória de 2 a 0 sobre o Catar, resultado que classificou a Argentina para as quartas de final da Copa América, o técnico Lionel Scaloni afirmou neste domingo que a pressão da imprensa é prejudicial aos jogadores e que o gramado da Arena do Grêmio estava em más condições.

De acordo com o treinador, a seleção argentina está em uma etapa de transição, então conta com jovens que podem não ter conseguido jogar tão bem pelo receio de uma possível eliminação ainda na fase de grupos.

"Parece que os jogadores têm que ir à guerra a cada partida, mas com essa pressão é complicado. A mensagem tem que ser que estamos do mesmo lado durante a Copa América. Tem que haver unanimidade. É a mensagem que quero passar, humildemente, porque sou eu quem comanda o navio. Não é por mim, mas pelos meninos. Quando eles tiram essa pressão das costas é outro futebol, outra sensação", pediu.

Scaloni, que já havia reclamado do estado do campo na Arena Fonte Nova, em Salvador, onde a Argentina perdeu de 2 a 0 da Colômbia na primeira rodada, voltou a criticar o gramado, desta vez no estádio de Porto Alegre.

"Enfatizo sobre o gramado. Quando falei, me criticaram. Não, não se pode jogar neste campo. Estou falando agora, que ganhamos", desabafou.

Sobre o desempenho da equipe na vitória sobre o Catar, Scaloni disse que os argentinos começaram a partida com muita personalidade, o que contribuiu para que abrissem o placar logo no início, após trabalhada da defesa adversária. Depois, segundo ele, souberam jogar sem medo de uma eventual eliminação precoce.

"Houve alguns momentos da partida nos quais o Catar começou a manter a posse da bola, típico do sistema que eles usam. Estamos satisfeitos porque a equipe jogou bem por alguns momentos. Logicamente, há coisas a serem melhoradas", analisou.

O rival da Argentina nas quartas de final da Copa América será a Venezuela. As seleções se enfrentarão na sexta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Na opinião do treinador, a 'Vinotinto' será "um oponente difícil, por ser uma equipe interessante que tem ideias claras e vem trabalhando bem há muito tempo". EFE

Mais Esporte