Topo

Esporte


Seleção pega carrasco Paraguai e tenta voltar às semifinais após 12 anos

2019-06-26T21:47:00

26/06/2019 21h47

(Atualiza com confirmação de Allan como titular do Brasil).

Porto Alegre, 26 jun (EFE).- A seleção brasileira enfrentará nesta quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), o Paraguai, com três importantes - e simultâneas - missões: vencer sem ter o volante Casemiro, derrubar o algoz de duas eliminações recentes e retornar às semifinais da Copa América pela primeira vez desde 2007.

A partida, que abrirá a fase de quartas de final da competição continental, será disputada na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. O estádio vem sendo muito criticado pela qualidade do gramado, que foi preservado nos dias que antecedem o encontro, com as seleções não puderam fazer treinos de reconhecimento.

No duelo eliminatório, o técnico Tite já sabe que não contará com Casemiro, que está suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos. Na teoria, a ausência do jogador do Real Madrid tem que ser motivo de muita preocupação, pois sem ele, aconteceram as últimas derrotas nos 39 jogos da passagem do comandante.

Em junho de 2017, com o volante fora da lista de convocados, o Brasil perdeu amistoso para a Argentina por 1 a 0, na Austrália. Pouco mais de um ano depois, o camisa 5 também estava fora por gancho disciplinar e veio os companheiros caírem diante da Bélgica por 2 a 1, pelas quartas de final da Copa do Mundo, na Rússia.

Nas duas ocasiões, o substituto de Casemiro foi o mesmo, Fernandinho. No entanto, o jogador do Manchester City, contestado pela torcida e imprensa após a convocação, não se recuperou de um problema no joelho direito, e o escolhido para exercer a função foi Allan, como confirmado por Tite nesta quarta.

O restante da escalação da seleção será a mesma da goleada sobre a 'Blanqirroja' por 5 a 0, aplicada na Arena Corinthians, com Alisson no gol; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís na defesa; Arthur e Philippe Coutinho no meio; Everton, Roberto Firmino e Gabriel Jesus no ataque.

Nesta quinta-feira, o Brasil encarará o vilão de duas eliminações recentes no torneio. Em 2011, em La Plata, na Argentina, após empate em 0 a 0, os paraguaios ganharam nos pênaltis por 2 a 0. Quatro anos depois, em Concepción, no Chile, o placar ficou igual em um gol, e a derrota dos pentacampeões nos tiros da marca fatal foi por 4 a 3.

Com essas quedas, justamente, nas quartas de final, além do fiasco da participação na edição de centenário da Copa América, em 2016, nos Estados Unidos, com adeus ainda na fase de grupos, a seleção não consegue ficar entre os quatro melhores desde 2007, quando conquistou o título na Venezuela.

Os paraguaios alcançaram classificação de maneira dramática, já que só marcaram dois pontos, ao empatar com Catar e Argentina, e perder para a Colômbia. A vaga só veio depois do encerramento de todos os grupos, como a segunda melhor terceira colocada.

A situação é parecida com a vivida oito anos atrás, quando avançaram sem ganhar um jogo sequer, depois de empatar com Equador, Brasil e Venezuela. Na sequência, veio a vitória nos pênaltis sobre os então comandados por Dunga; da mesma forma sobre os venezuelanos, e a derrota para o Uruguai, na decisão do título, por 3 a 0.

Curiosamente, na atual edição da Copa América, o Paraguai demonstrou pouca capacidade de segurar resultados, já que chegou a abrir 2 a 0 no Catar, mas cedeu empate, e pulou na frente da Argentina, mas acabou ficando na igualdade em 1 a 1. Contra a Colômbia, perdeu por 1 a 0.

Apesar dos gols sofridos, um dos destaques do elenco comandado pelo argentino Eduardo Berizzo é um velho conhecido do futebol brasileiro, o goleiro Gatito Fernández, atualmente no Botafogo, que foi eleito o melhor em campo nos três jogos disputados pelos 'Guaraníes'.

A principal dúvida no Paraguai para a partida, pelo que ficou indicado nos últimos treinos é no lado direito do setor ofensivo, entre Derlis González, do Santos, que foi titular contra argentinos e colombianos, e Hernán Pérez, que atuou na estreia contra os catarianos.

Uma mudança considerada quase certa é no comando de ataque, com o veterano Óscar Cardozo indo para o banco de reservas. Diferente do que aconteceu contra a Argentina, em que Federico Santander atuou, Miguel Almirón deve ser avançado, para jogar como "falso 9".

Prováveis escalações:

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luís; Allan, Arthur e Philippe Coutinho; Everton, Roberto Firmino e Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Paraguai: Roberto Fernández; Piris, Gómez, Alonso e Arzamendia; Sánchez, González (Pérez), Ortíz, Matías Rojas e Romero; Almirón.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Christian Schiemann e Claudio Ríos.

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre. EFE

Mais Esporte