Topo

Esporte


Ex-jogadores do Atlético de Madrid são investigados por fraude no futebol

17/07/2019 11h28

Madri, 17 jul (EFE).- Os ex-jogadores do Atlético de Madrid Juan Manuel López e Mariano Aguilar são os principais investigados na trama que poderia ter sonegado mais de 5 milhões de euros através de um fundo de investimento do qual são representantes e que se dedicava à compra de direitos de jogadores e empréstimos a clubes.

Juanma López foi jogador dos 'Colchoneros' de 1990 a 2001 e conquistou o ouro olímpico pela Espanha nos Jogos de 1992, em Barcelona, além de ter disputado a Eurocopa de 1996. Já Aguilar teve uma carreira mais modesta e rodou por clubes menores após ter saído do Atlético.

Fontes ligadas à investigação e à Audiência Nacional espanhola informaram em comunicado que a operação batizada como Dean têm como alvo o fundo de investimentos Doyen Sports Investment Limited e investiga o administrador do grupo, o português Nélio Freire Lucas, por crime contra a Fazenda.

Já os ex-jogadores são alvo da justiça também por crime contra a Fazenda e por lavagem de dinheiro pela ação no braço espanhol da Doyen. Outros investigados são a mulher de López, Rocío del Carmen Sánchez, e o irmão de Aguilar, Miguel.

Os cinco são acusados de não tributarem na Espanha os rendimentos derivados de operações de compra de direitos econômicos de jogadores de futebol e da concessão de empréstimos a vários clubes. Eles foram convocados para depor como investigados nesta quinta e nesta sexta-feira ao juiz da Audiência Nacional José de la Mata.

Segundo De la Mata, na denúncia do Ministério Público são apontadas irregularidades nas operações de aquisição de direitos de Josuha Guilavogui e repasse ao Atlético de Madrid; venda de direitos econômicos de Falcao García e assistência financeira aos 'Colchoneros'; compra de direitos econômicos de jogadores do Sporting Gijón; compra de 50% dos direitos econômicos de Miroslav Stepanovic e Geoffrey Kondogbia e de 20% de Baba Diawara, entre outros.

Também há problemas em empréstimo de 2,5 milhões de euros ao Atlético e ao Gijón; 3,65 milhões ao Sevilla; 3,5 milhões ao Getafe e 500 mil euros ao ex-presidente do Sevilla José María del Nido. EFE

Mais Esporte