Topo

Esporte


Série de televisão aborda lado obscuro do mundo do futebol

21/07/2019 06h03

Waldheim García Montoya.

São Paulo, 21 jul (EFE).- A compra de resultados pela máfia russa, a ingerência religiosa, o "autoboicote" dos jogadores e a conflituosa vida familiar são alguns dos temas abordados em "Chuteira Preta", nova série de televisão que procura mostrar o lado obscuro do mundo do futebol.

A primeira temporada da série, que conta com atores brasileiros e estrangeiros e é dirigida por Paulo Nascimento, começou a ser emitida no último dia 13 pelo canal "Prime Box Brazil", da TV por assinatura, e em streaming através das plataformas Amazon Prime e TeleUP.

"Eu era um torcedor de ir ao estádio, apaixonado pelo futebol como torcedor, mas me intrigava que a dramaturgia no Brasil não utilizava o futebol", comentou Nascimento em entrevista à Agência Efe.

O diretor decidiu contar na telinha a história de um jogador e do que definiu como "submundo muito maior" do que o que é visto nos campos. Na trama, ele retrata, quase como um psicanalista, o drama de Kadu, um jogador que aos 29 anos de idade vive a luta interior e particular com a família, mas também enfrenta o desafio de se manter dentro em um esporte tomado pela corrupção e com a igreja dominando os vestiários.

Kadu reúne perfis de vários jogadores verdadeiros, e no seu entorno aparecem também personagens nefastos para o esporte que existem no mundo real. No entanto, na visão de Nascimento, essas pessoas dificilmente demonstrarão resistência à série. "Eles evitarão se manifestar contra o projeto porque não querem ser comparados", declarou.

"É um drama que pode ser familiar para muitos jogadores, porque vai mais pelo lado humano que pelo futebol. É uma história com prostitutas, com drogas, e criamos um limite. Tem um lado negativo, de choque, mas o que queremos é mostrar os dois lados do futebol", explicou.

O diretor revelou já ter em mente outros projetos polêmicos e adiantou que a segunda temporada de "Chuteira Preta", em março, será mais latino-americana. Netal, terá um papel especial o ator uruguaio César Troncoso, que personificará um presidente corrupto de uma federação de um país sul-americano ainda a ser revelado.

No cinema, o último filme de Nascimento foi "A oeste do fim do mundo" (2014), que representou o Brasil em diversos festivais internacionais.

O personagem principal de "Chuteira Preta", Kadu, é interpretado por Márcio Kieling, ator de 41 anos que personifica um jogador de sucesso, surgido nas favelas e que não vem sendo mais convocado pela seleção brasileira, mas a promessa de persistir feita à sua falecida mãe o leva a enfrentar desafios que vão além dos gramados.

"Conhecia o trabalho de Paulo Nascimento e sempre quis trabalhar com ele. Sou gaúcho também e, além de ser ator, sou jogador, passei pela base do Internacional e do Grêmio", comentou Kieling, ator marcado pelas atuações em "Malhação", como Perereca, e "Dois Filhos de Francisco", como Zezé di Camargo.

O ator, que já defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo dos Artistas, disse que ter sido atacante e ter amigos no meio do futebol o ajudou a construir o personagem.

"Gosto de ir à realidade do futebol. O futebol movimenta paixões, mas o próprio futebol tem um lado obscuro, um lado 'B'. Nem tudo é ganhar dinheiro como Messi ou Neymar", destacou em entrevista à Efe.

Para o protagonista, a série faz com que as pessoas vejam que, além do glamour, "existe um submundo, uma realidade do futebol, com manipulação de resultados, religião e mulheres que se aproveitam da situação".

Kieling lembrou casos como o de Adriano, que, em sua visão, aos 26 anos, poderia estar jogando e não conseguiu mais. "Queria que Kadu fosse uma referência para muitos, porque todos os jogadores passam por dificuldades", acrescentou.

O consagrado ator Nuno Leal Maia, que foi jogador e técnico profissional, interpreta Jair, um ídolo dos anos 70 e tio de Kadu. Irmão da mãe do personagem principal, ele se interpõe entre o sobrinho e o pai dele, Ceder, interpretado por Kadu Moliterno.

Flavia (Karin Roepke), a desequilibrada ex-mulher de Kadu, e o doutor Sangaletti (Ze Víctor Castiel), o corrupto presidente do clube, são outros dos personagens da trama, na qual o argentino Juan Manuel Tellategui da vida a um árbitro desonesto, e o italiano Nicola Siri interpreta o representante do protagonista.

Renato Falcao, das bem-sucedidas animações "A Era do Gelo", e "O Touro Ferdinando", assina a fotografia da série, toda feita com luz ambiente. EFE

Mais Esporte