O que Alex e Ana Moser têm em comum? A resposta está no passado

por Carlos Padeiro e Giuliano Zanelato

10/06/2017 04h00

Alex e Ana Moser têm algumas características em comum: foram craques entre as quatro linhas e tinham um perfil de liderança quando jogavam. Fora dos campos e das quadras, se engajaram em movimentos que lutam pela melhoria do esporte. Ele foi um dos expoentes do Bom Senso F.C., movimento que ganhou força entre 2014 e 2015, na busca por melhorias de governança no futebol brasileiro. Ela trabalha em projetos para promoção do esporte como ferramenta educacional, como a Caravana do Esporte e a Atletas pelo Brasil.

Para além disso, Alex e Ana Moser têm a mesma resposta para a pergunta "Qual foi o maior momento que você viu no esporte?".

Em 9 de agosto de 1992, prestes a completar 24 anos, Ana Moser era um dos principais nomes do vôlei brasileiro e estava em Barcelona, vivenciando a segunda Olimpíada de sua carreira. Já Alex tinha 15 anos, morava em Curitiba e sonhava ser um jogador de futebol.

Naquele dia, um fato histórico para o esporte brasileiro foi marcante para os dois: o saque de Marcelo Negrão, que garantiu à seleção brasileira masculina de vôlei a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona.

“O jogo da final foi um 3 a 0 muito rápido. A imagem mais forte é a do último ponto, que foi um saque direto do Marcelo Negrão”, comenta Ana Moser.

Um dia antes, a seleção feminina perdera para os Estados Unidos a partida que valia a medalha de bronze. De folga no domingo, a atacante aproveitou para ir ao Ginásio de Montjuic torcer pelo time comandado por José Roberto Guimarães na final contra a Holanda.

ANA MOSER E A SELEÇÃO MASCULINA DE VÔLEI DE 1992

Alex acompanhou tudo pela televisão. “Tenho uma imagem do Marcelo Negrão sacando, que é quando acaba e o Brasil é ouro. O Mauricio sai correndo da quadra, pula a placa e se joga na torcida, provavelmente tinha alguém da família dele ali. Eu tinha 15 anos e me imaginava numa Olimpíada, me imaginava numa situação parecida, e aquele time do Zé Roberto me marcou bastante”, revela o ídolo de Coritiba, Palmeiras e Cruzeiro.

No vídeo, Alex conta também que, anos depois, quando ele defendia o Palmeiras, uma palestra motivacional de Zé Roberto Guimarães, com detalhes da conquista em 1992, também está guardada em suas lembranças. Ana Moser faz um comentário mais técnico sobre a seleção de 92 e a opção do treinador de escalar três atacantes.

Era a segunda vez que o vôlei brasileiro disputava uma final olímpica – em 1984, os Estados Unidos ganharam o ouro e o Brasil ficou com a prata, em Los Angeles. A vitória por 3 sets a 0 diante da Holanda garantiu o primeiro ouro olímpico ao Brasil em esportes coletivos.

As entrevistas com Alex e Ana Moser foram realizadas pelo ESPORTE(ponto final), um canal produzido a partir de depoimentos de ídolos sobre os grandes momentos do esporte.

A cada semana, episódios inéditos serão lançados na página especial do ESPORTE(ponto final). E você também pode acompanhar nas mídias sociais: youtube.com/esportepontofinal e facebook.com/esportepontofinal.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Topo