Dia do amigo! Veja 10 parcerias que deram muito certo no esporte brasileiro

20/07/2017 04h00

Em 20 de julho celebra-se o Dia do Amigo. A data comemorativa foi adotada primeiramente na Argentina e depois se espalhou para outros países, inclusive o Brasil.

O ESPORTE(ponto final) apresenta uma lista de dez parcerias que fizeram história no esporte brasileiro. É verdade que, em alguns casos, os atletas nem viraram amigos no dia a dia. Mas, nas competições, a sinergia entre eles foi um diferencial.

1 - Romário e Bebeto

Antônio Gaudério/Folhapress
Imagem: Antônio Gaudério/Folhapress

Os dois atacantes começaram a fazer sucesso juntos na seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de 1988, quando o Brasil conquistou a medalha de prata. No ano seguinte, ganharam a Copa América, disputada no Brasil. O auge da dupla aconteceu em 1994, quando Romário foi o artilheiro do Brasil e craque da Copa do Mundo e Bebeto marcou gols importantes. “A gente se conhecia muito. Nem precisava olhar onde estava o outro, porque já sabia. Bebeto foi o melhor [parceiro] de todos”, diz Romário, no vídeo acima.

2 - Hortência e Paula

Sergio Andrade/Folhapress
Imagem: Sergio Andrade/Folhapress

Embora rivais nos clubes que defenderam, quando travaram duelos homéricos, Hortência e Paula formaram um dupla perfeita na seleção brasileira. Foi o auge do basquete feminino no Brasil. Ao lado de Janeth, Marta, Alessandra e outras talentosas jogadoras daquela geração, a dupla faturou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 1991, em Havana, e a prata nos Jogos Olímpicos de 96, em Atlanta. O auge foi o título mundial, conquistado na Austrália, em 1994. A rainha Hortência foi a cestinha brasileira no torneio, com 221 pontos, enquanto que Magic Paula anotou 181. 

3 - Oscar Schmidt e Marcel

REUTERS/Steve Dipaola
Imagem: REUTERS/Steve Dipaola

Oscar e Marcel começaram a jogar juntos pela seleção na categoria juvenil, no Sul-Americano de 1973. Em 78, eles foram os cestinhas do Brasil no Mundial das Filipinas, quando faturaram a medalha de bronze pela seleção principal. Em 79, comandaram, ao lado de Marquinhos Abdalla, o histórico time do Sírio na inédita conquista do Mundial Interclubes, disputado em São Paulo.

O feito mais marcante ocorreu na final do Pan-Americano de 87, quando o Brasil foi a primeira seleção de basquete na história a derrotar os norte-americanos nos Estados Unidos – Oscar foi o cestinha daquela partida, com 46 pontos, e Marcel anotou 31. O "Mão Santa" costuma dizer que Marcel foi o melhor jogador que ele viu atuar.

4 - Jackie Silva e Sandra Pires

Ormuzd Alves/Folhapress
Imagem: Ormuzd Alves/Folhapress

Elas foram as primeiras mulheres brasileiras a ganhar uma medalha de ouro nas Olimpíadas. Em 1996, o vôlei de praia se tornou um esporte olímpico, e a final no feminino foi entre duas duplas brasileiras: Jackie Silva/Sandra Pires x Adriana/Mônica. Jackie e Sandra levaram a melhor e subiram ao topo do pódio. “Na dupla, eu era a líder, dava a direção pra onde a gente iria. A Sandra era uma aprendiz, mas com uma personalidade forte. Ela respondia as coisas, aceitava, mas a gente brigava um pouco, não era uma coisa simples”, diz Jackie, que disputava em 96 a sua terceira Olimpíada.

5 - Torben Grael e Marcelo Ferreira

AFP PHOTO/MENAHEM KAHANA
Imagem: AFP PHOTO/MENAHEM KAHANA

A vela é a modalidade que mais deu medalhas olímpicas ao esporte brasileiro. São 18 no total. A dupla recordista é Torben Grael e Marcelo Ferreira. Juntos, eles ganharam três: duas de ouro, em Atlanta-1996 e Atenas-2004, e uma de bronze, em Sydney-2000. Torben faturou mais duas e, ao lado de Robert Scheidt, é o brasileiro com mais medalhas olímpicas na história – cinco, no total. E deixou uma sucessora: sua filha Martine Grael ganhou, em parceria com Kahena Kunze, o ouro nos Jogos do Rio-2016.

6 - Pelé e Garrincha

Divulgação/CBF
Imagem: Divulgação/CBF

Quando escalados lado a lado, Pelé e Garrincha jamais perderam uma partida com a camisa da seleção brasileira.

O primeiro jogo da dupla de craques ocorreu em maio de 1958 – vitória por 3 a 1 diante da Bulgária, no Pacaembu, com dois gols de Pelé e um de Pepe. O último foi na Copa de 1966 – 2 a 0 sobre a mesma Bulgária, um gol de Pelé e outro de Garrincha.

No total, os camisas 10 e 7 atuaram juntos em 40 partidas, com 36 triunfos do Brasil e quatro empates. Marcaram 55 gols: Pelé, 44, e Garrincha, 11. E ganharam duas Copas do Mundo, a de 1958 e 62. Sem Garrincha, o "rei do futebol" ainda faturou o Mundial de 70.  

7 - Ricardinho e Giba

FIVb/Divulgação
Imagem: FIVb/Divulgação

A seleção comandada por Bernardinho fez história. Foram 28 títulos relevantes em 16 anos. Durante esse período de glórias, diferentes gerações brilharam em quadra. Uma parceria que pode representar bem essa era vitoriosa do vôlei nacional é Ricardinho e Giba. Eles foram protagonistas no ouro conquistado nos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 e nos títulos do Mundial de 2002 e 2006. Em Atenas, Giba foi eleito o melhor jogador do torneio. Servido por Ricardinho para finalizar os pontos. 

8 - Ricardo e Emanuel

Robert Laberge/Getty Images
Imagem: Robert Laberge/Getty Images

A dupla de vôlei de praia Ricardo e Emanuel faturou mais de 60 títulos, sendo o ponto alto a medalha olímpica de ouro em Atenas-2004. Eles também conquistaram o bronze em Pequim-2008. Sem Emanuel, Ricardo ganhou a prata em Sydney-2000, ao lado de Zé Marco; e sem Ricardo, Emanuel se juntou a Alison para ficar com a prata em Londres-2012. Os triunfos brasileiros na areia seguiram nos Jogos do Rio-2016, com o ouro de Alison e Bruno Schmidt.

9 - Amaury Pasos e Wlamir Marques

Acervo UH/Folhapress
Imagem: Acervo UH/Folhapress

Amaury Pasos e Wlamir Marques (os camisas 4 e 5 na foto) podem ser considerados os protagonistas da era de ouro do basquete masculino brasileiro. Foram duas vezes campeões mundiais, em 1959 e 63, e ganharam duas medalhas de bronze nas Olimpíadas de 1960 e 64. O auge ocorreu no Mundial de 63. O Maracanãzinho ficou lotado para ver o Brasil conquistar o bicampeonato de forma invicta. Na decisão, vitória por 85 a 81 sobre os Estados Unidos. Segundo a Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Wlamir e Amaury marcaram 108 e 106 pontos no torneio, respectivamente. Outros nomes de destaque naquele time foram Rosa Branca, Ubiratan e Mosquito.
 

10 - Afrânio e Guilherme Paraense

Acervo COB
Imagem: Acervo COB

Por último na lista, os primeiros heróis olímpicos do Brasil. Afrânio da Costa foi o primeiro brasileiro a ganhar uma medalha olímpica – a prata, numa prova de tiro, nos Jogos da Antuérpia, em 1920. Um dia depois, Guilherme Paraense (foto ao lado), também no tiro, conquistou o ouro.

Os dois se uniram e, ao lado de mais três atiradores, ficaram com o bronze na prova de pistola livre por equipe.

Como atletas, Afrânio e Guilherme Paraense defenderam o Fluminense, no Rio de Janeiro.

ESPORTE(ponto final)

A entrevista com Romário foi realizada pelo ESPORTE(ponto final), um canal produzido a partir de depoimentos de ídolos sobre os grandes momentos do esporte.

A cada semana, novos episódios serão lançados na página especial do ESPORTE(ponto final). E você também pode acompanhar nas mídias sociais: youtube.com/esportepontofinal e facebook.com/esportepontofinal.

Obs. 1: A lista está numa ordem aleatória, não em ordem de importância.

Obs. 2: O Dia do Amigo ou o Dia da Amizade também pode ser comemorado em 18 de abril ou 30 de julho.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Topo