Popó elege os 5 maiores do boxe, com brasileiro na lista e sem Muhammad Ali

11/11/2017 04h00

Tetracampeão mundial em duas categorias diferentes, Acelino Popó Freitas pendurou as luvas aos 42 anos com o status de ter sido um dos maiores nomes da história do boxe brasileiro - acumulou 41 vitórias (34 por nocaute e sete por decisão de pontos) e apenas duas derrotas.

Nascido em Salvador, em 1975, iniciou no esporte aos 14 anos e acompanhou a carreira de muitos boxeadores. Ele elege os cinco maiores da modalidade.

O primeiro nome citado por Popó é o brasileiro Eder Jofre. “É o nosso galinho de ouro, o primeiro campeão mundial que o Brasil teve, em duas categorias, super galo e peso pena”, descreve.

Na sequência, fala sobre Julio César Chávez. “Um mexicano muito bom, fez quase 100 lutas como profissional e foi campeão mundial. Tinha uma qualidade técnica perfeita”.

Três norte-americanos fecham o top 5. “O Sugar Ray Leonard foi fenomenal, ele tinha a tal da manivela, que marcou muito. O Mike Tyson foi o maior nocauteador peso-pesado e o Floyd Mayweather é o cara das bolsas milionárias, campeão mundial em sete categorias”. Na verdade, Mayweather foi campeão mundial em cinco categorias.

Popó não citou Muhammad Ali, lendário boxeador que marcou época nos anos 1960 e 70. Primeiro peso-pesado a ganhar o título mundial em três ocasiões diferentes, Ali foi coroado o "Esportista do Século" pela Sports Ilustrated e a "Personalidade Esportiva do Século" pela BBC.

Para justificar a ausência de Ali no seu top 5, Popó disse que não viu o boxeador norte-americano em ação. Sobre Eder Jofre, também não o viu lutar, mas elegeu o Galinho de Ouro por ele ser brasileiro - Jofre entrou para o Hall da Fama do Boxe em 1992.

O 1° TÍTULO MUNDIAL DE POPÓ E A CHANCE DE PAGAR DÍVIDA NA BAHIA

Um título para pagar "fiado"

“O Anatoly só levantou no dia seguinte no hospital. Até hoje ele procura o caminhão que o atropelou. E eu tava lá, com o caminhão carregado”.

Com essa frase, Popó resume o final daquela que considera a vitória mais importante da sua carreira. Ao nocautear Anatoly Alexandrov, do Cazaquistão, no 1º round, o pugilista baiano despontou para o boxe mundial e conquistou o título na categoria superpenas (até 58,967 kg), pela Organização Mundial de Boxe.

AP Photo/Showtime, Tom Casino
Popó exibe cinturões unificados em 2002 Imagem: AP Photo/Showtime, Tom Casino
Popó tinha 23 anos e estava invicto no boxe profissional, com 20 vitórias em 20 lutas. Desembarcou na França, local do duelo com Alexandrov, como coadjuvante.

“Quando cheguei à França, eu era só mais um. Não tinha minha foto no cartaz da luta, só tinha a foto do cara e o meu nome embaixo”, lembra.

A vitória em 95 segundos não só alavancou a carreira de Popó como permitiu que ele pagasse uma dívida.

“Eu tinha uma casa para pagar fiado, então tinha que ganhar a luta. Não era só o título mundial, era um débito que eu tinha de pagar pela casa que dei pra minha mãe. Foi um desabafo muito grande, porque tinha muita coisa envolvida: meus filhos, minha mãe, uma casa fiado, meus irmãos, minha equipe toda".

O Brasil não faturava um mundial de boxe desde 1975, quando Miguel de Oliveira ganhou o cinturão dos médios-ligeiros pelo Conselho Mundial de Boxe.

Popó não se limitou a quebrar esse tabu. Em 2002, o pugilista soteropolitano venceu por pontos o cubano naturalizado norte-americano Joel Casamayor, em Las Vegas, e ergueu o seu segundo cinturão, dessa vez pela Associação Mundial de Boxe (AMB), principal entidade da modalidade. Unificou, na ocasião, os títulos dos superpenas.

Popó migrou para a categoria peso levo e foi campeão mundial em 2003. No ano seguinte, sofreu sua primeira derrota como profissional. Em 2006, ganhou um cinturão pela quarta vez, pela OMB.

VEJA A VITÓRIA POR NOCAUTE DE POPÓ. FORAM 95 SEGUNDOS DE LUTA

ESPORTE(ponto final)

A entrevista com Acelino Freitas, o Popó, foi realizada pelo ESPORTE(ponto final), um canal produzido a partir de depoimentos de ídolos sobre os grandes momentos do esporte.

A cada semana, novos episódios serão lançados na página especial do ESPORTE(ponto final). E você também pode acompanhar nas mídias sociais: youtube.com/esportepontofinal e facebook.com/esportepontofinal.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Esporte Ponto Final
Topo