Topo

Esporte

ANÁLISE-Neymar pode ser seu maior inimigo na Copa do Mundo

22/06/2018 13h57

FUT-COPA-NEYMAR-ATITUDE:ANÁLISE-Neymar pode ser seu maior inimigo na Copa do Mundo

Por Brian Homewood

MOSCOU (Reuters) - Quando Neymar chorou em campo ao final da vitória do Brasil por 2 x 0 contra a Costa Rica nesta sexta-feira, ficou claro o peso sobre os ombros do camisa 10 do Brasil, e as lágrimas mostraram o quanto a vitória significou para ele.

Mas foi difícil não se irritar com seu comportamento durante a partida do Grupo E em que o Brasil precisou esperar até os acréscimos para furar o bloqueio da Costa Rica, com o próprio Neymar marcando o segundo gol da seleção.

Durante o jogo, Neymar se jogou no chão em alguns lances e reclamou constantemente com o árbitro Bjorn Kuipers.

Em certo momento, o árbitro holandês fez um sinal de silêncio antes de perder a paciência e dar um cartão amarelo para Neymar quando o atacante jogou a bola no chão, irritado com outra decisão com a qual não concordou.

Minutos antes do cartão amarelo, Neymar achou que havia sofrido um pênalti quando caiu dramaticamente no chão após um leve toque de Giancarlo González.

Mas, após uso exemplar do sistema de árbitro de vídeo (VAR), o juiz decidiu que o contato não justificou a queda de Neymar e mudou de ideia. Se Neymar não tivesse se jogado, poderia ter tido uma chance clara de gol.

Esse é um aspecto que tem marcado sua carreira, possivelmente por influência de um incidente em 2010 quando ainda estava jogando pelo Santos.

Após brigar publicamente com o técnico Dorival Junior, que se recusou a deixá-lo cobrar um pênalti, Neymar foi afastado do time.

Mas, ao invés de apoiar o técnico, o clube demitiu Dorival, e o jogador de 18 anos foi rapidamente chamado de volta.

De maneira semelhante, Neymar se acostumou com árbitros marcando faltas sobre ele a cada pequeno contato e queda.

Entretanto, com árbitros da Copa do Mundo menos propensos a ceder aos atos de Neymar, ele pode se tornar seu pior inimigo.

Ele frequentemente desperdiça boas chances de ataque se jogando no chão e, em um momento crucial no segundo tempo contra a Costa Rica, seu comportamento influenciou os outros jogadores, que se distraíram com a confusão que ele criou.

Os técnicos do Brasil nas duas últimas Copas do Mundo, Dunga e Luiz Felipe Scolari, tinham a tendência de encorajar discussões com os árbitros, mas Tite tem uma presença muito mais calma e é surpreendente que ainda não tenha tentado reduzir os exageros de Neymar.

Neymar tem mostrado o quanto a Copa do Mundo é importante para ele e nunca desistiu nesta sexta-feira, mesmo quando a bola se recusava a entrar no gol.

Ao justificar o choro ao final da partida desta sexta-feira, Neymar disse que as lágrimas dentro de campo após a sofrida vitória do Brasil foram de "alegria, de superação, de garra e vontade de vencer", e reforçou o objetivo de conquistar o título mundial pela seleção brasileira na Rússia.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte