Topo

Esporte


Equipes da F1 planejam homenagem para Lauda no GP de Mônaco

2019-05-22T17:24:50

22/05/2019 17h24

Por Alan Baldwin

MÔNACO (Reuters) - A Fórmula 1 vai homenagear Niki Lauda no Grande Prêmio de Mônaco nesse fim de semana, com equipes e pilotos na quarta-feira ainda tentando assimilar a morte do tricampeão mundial.

O austríaco, que morreu na segunda-feira aos 70 anos, venceu em Mônaco com a Ferrari em 1975 e 1976, e depois se tornou o presidente do conselho e acionista do time da Mercedes com o diretor Toto Wolff.

Um porta-voz da Fórmula 1 disse que um tributo está sendo organizado, com os detalhes ainda a serem confirmados. Outros disseram que um minuto de silêncio está previsto para antes da corrida.

O pentacampeão mundial Lewis Hamilton, que prestou uma homenagem emotiva ao austríaco no Instagram, fez uma aparição no paddock, mas não teve que participar de uma coletiva de imprensa que estava marcada.

Um porta-voz da equipe disse que foi pedido que Hamilton fosse autorizado a não participar por ter "perdido um amigo muito próximo que era Niki".

O colega de equipe finlandês Valtteri Bottas assumiu o lugar do inglês e disse que Hamilton parecia bem quando ele havia o visto mais cedo.

"Ele (Lauda) significou muito para mim, mas foi um membro fundamental da equipe de corrida e fábrica, uma grande parte da família Mercedes e era uma grande motivação para todos, inclusive para mim", disse Bottas a repórteres.

A Mercedes disse que membros da equipe vestirão braçadeiras pretas a partir de quinta-feira e que haverá um tributo, até o momento indefinido, nos carros.

A Ferrari disse também que homenageará o seu campeão, que venceu dois de seus títulos com a escuderia italiana na década de 1970 e se recuperou de graves queimaduras após um acidente quase fatal em 1976.

A McLaren, com quem o austríaco venceu seu terceiro título em 1984, disse que eles também terão algo em seus carros.

Mais Esporte