Topo

Esporte

"O que a minha equipe fez é uma tristeza", diz Massa após violência no kart

Do UOL, em São Paulo

17/12/2017 10h45

O piloto Felipe Massa reagiu com indignação diante das cenas de violência protagonizadas por um piloto de sua equipe durante uma prova amistosa de kart em São Paulo no último sábado (16). Após um acidente, Rodrigo Dantas, companheiro de Massa, e Tuka Rocha saíram de seus veículos e se engalfinharam na pista enquanto a prova acontecia.

“O sentimento é de tristeza”, disse Massa ao SporTV, que fazia a transmissão oficial do evento. “O que fizeram com a gente no começo era para ter desclassificado os caras. Eu estava acenando para desclassificar. É totalmente correto me desclassificar porque o que a minha equipe fez é tristeza. Não acredito que a gente venha aqui para fazer uma brincadeira e a corrida vira dessa maneira.” O piloto, que se aposentou da Fórmula 1 esse ano, disse que nunca tinha vista uma cena parecida em sua carreira.

Na hora do acidente que ocasionou a briga, Dantas era retardatário e tentava impedir que Tuka Rocha se aproximasse de Massa. Tuka e Massa brigavam pela ponta. Dantas acabou fechando a passagem e os dois carros colidiram com os pneus de proteção. Dantas então começou a aplaudir ironicamente o rival, que foi tomar satisfação.

Os dois se atracaram e trocaram socos, indo ao chão.

Miguel Costa Jr./MS2
Imagem: Miguel Costa Jr./MS2

Tuka Rocha, experiente piloto com vários títulos de campeonatos de kart e participante da Stock Car desde 2011, também comentou as agressões.

“Foi a coisa mais feia que eu já vi no automobilismo”, disse ele, também ao SporTV. "A disputa devia ser entre mim e o Massa. Tenho certeza de que não foi ele que mandou fazer isso. Os pilotos entraram no meio e começou uma pancadaria. O cara começou a frear e jogou o kart em cima de mim, enganchou atrás. Fui falar para ele que ele era um covarde e o cara veio bater em mim. Era só disputar a corrida eu e ele [Massa], os outros eram retardatários.”

Antijogo rende desclassificação para as duas equipes

Na corrida de 500 milhas de kart, as equipes formadas por vários pilotos ficaram 12 horas na pista. Os times de Massa e Tuka acabaram se envolvendo em uma disputa feroz, com seus pilotos tentando tirar os outros da pista de maneira ilegal. Os dois times acabaram desclassificados.

“Começou a bater os pilotos dele em mim, e os meus começaram a bater também. Eu nunca faria um negócio desse na minha vida. Vergonhoso o que aconteceu. Tenho certeza de que o Felipe não deve saber, ele nunca faria um negócio desses. É coisa de amador o que aconteceu.”

Felipe Giaffone, organizador das 500 milhas de kart, lamentou a troca de agressões entre Rodrigo Dantas e Tuka Rocha. “Vamos tomar as devidas providências para banir os culpados por estas cenas lamentáveis”, disse ele. “O espírito desta corrida é de confraternização e não é assim que queremos que o evento termine.”

Com a desclassificação dos dois times, a vitória acabou ficando com a equipe de Rubens Barrichello, que subiu ao pódio ao lado do filho Dudu. “Foi um final estranho, uma coisa que eu realmente nunca tinha visto acontecer na pista, mas estou muito feliz pela vitória e por ter subido lá no pódio em primeiro com o meu pai", disse o filho de Rubinho.

CBA cobra punição

A Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), em nota emitida neste domingo (17) e assinada por seu presidente, Waldner Bernardo, o Dadai, lamentou o fato e cobrou punição aos pilotos envolvidos na briga que manchou as 500 Milhas de Kart Granja Viana.

"Atitudes assim não podem, sob nenhuma hipótese, passar incólumes. Pelo bem da nossa modalidade, exigimos que a Liga Paulista de Automobilismo [LPA] e seu tribunal tomem atitudes enérgicas contra os personagens que geraram tão inqualificável episódio", diz a nota da CBA.

"Ainda que o evento tenha sido realizado por uma instituição independente, ou seja, não subordinada às instâncias jurídicas da CBA, nós, como entidade máxima do automobilismo, daremos todo o apoio necessário para que a LPA possa fazer justiça junto aos envolvidos. Já nesta próxima segunda, 18, enviaremos um ofício a sua diretoria solicitando que sejam aplicadas todas as medidas cabíveis. Por fim, qualquer que seja a punição aplicada, esperamos que todos os profissionais envolvidos possam enxergar e compreender o desserviço que prestaram ao nosso esporte e que fatos como esse nunca mais voltem a ocorrer em nossas pistas", completa o presidente da confederação.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte