Topo

Vôlei

Após briga com Giba por pensão, Pirv recomeça vida na Europa com os filhos

Reprodução
Pirv, ex-mulher de Giba Imagem: Reprodução

Lara Mota

Colaboração para UOL, em Curitiba

20/08/2018 04h00

O número do Brasil não existe mais. Agora, a vida de Cristina Pirv é longe do país. A ex-jogadora de vôlei, eleita duas vezes a melhor da Europa e campeã da Superliga pelo MRV Minas, deixou o país no começo do mês acompanhada dos filhos, Nicoll e Patrick, fruto do relacionamento com o campeão olímpico Giba."Há muito tempo eu queria ter ido embora. Depois que me separei eu tentei ficar, trabalhar, mas preciso voltar para a minha terra, para perto da minha família", afirma.

A vontade de sair do Brasil aumentou depois que sua vida particular se tornou assunto público. Algumas discussões com o marido na imprensa e nas redes sociais após atraso na pensão foi o auge da exposição. "Me incomodava muito expor essa situação, mas eu engoli muita coisa calada porque a história só tinha um lado. Eu jamais quis expor, nunca quis essa guerra social", desabafa. "Não é fácil ser estrangeira, mulher, fiquei sozinha, sem amigos, e foi difícil administrar minhas emoções e as das crianças", diz Pirv, que apesar de tudo permaneceu aqui para que os filhos ficassem perto do pai.

Giba e Cristina Pirv se casaram em 2003. Ao vir para o Brasil em 2009, ela abriu mão da carreira, da história que tinha no vôlei europeu e da própria identidade. Passou a ser "a esposa do Giba". O apoio dos filhos foi fundamental para que a ex-jogadora superasse os momentos difíceis que viveu no Brasil. "As crianças foram maravilhosas, elas foram parceiras e entenderam a mudança, porque nós conversamos muito", revela.

A mudança de país não foi tão simples. O ex-marido barrou a ida dos filhos ao velho continente em outras oportunidades. Agora a situação mudou porque o ex-camisa 7 do Brasil também está morando na Europa, mais precisamente na Polônia, onde as crianças estão neste momento curtindo as férias com o pai. De lá, Nicoll (14 anos) e Patrick (10 anos) vão ao encontro da mãe na Romênia. Mas esse não será o novo endereço da família. Pirv escolheu a cidade de Athus, na Bélgica, para começar a nova vida.

"Para as crianças será ótimo, é um país bem desenvolvido. Eles vão se adaptar fácil, conhecem a cultura e falam a minha língua. Agora vamos aprender francês. Depois, eles podem escolher onde querem morar".

A volta ao vôlei internacional

No Brasil Pirv comandou recentemente o time da cidade de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, e agora deve retomar a rotina no voleibol na cidade natal, Turda. A ideia é divulgar o vôlei romeno e fazer com que o esporte cresça no país. Cristina Pirv é um ídolo nacional. Foram 22 anos na seleção, 15 deles como capitã. É essa história que ela quer retomar.

Apesar do recente período de turbulência, Pirv não tem mágoas do Brasil. Deixou amigos, os cachorros (que vai levar para a Europa em breve) e histórias felizes também. "Não quero esquecer o Brasil, é a minha segunda casa. Fui feliz apesar de tudo. Amo o Brasil, amo o povo brasileiro", afirma. O português vai ser usado com menos frequência agora, mas ela revela a palavra preferida no nosso idioma: perseverança. "Chorei muitas noites, muitos dias, mas chega o momento de vir o retorno. As mulheres que passam por situações ruins, têm que confiar, persistir e nunca desistir. Perseverança é a minha palavra".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!