Topo

Vôlei

Cimed se recupera, vira sobre o Al-Arabi e respira no Mundial de clubes

Do UOL Esporte<br>Em São Paulo

04/11/2009 15h37Atualizada em 10/11/2009 17h46

A derrota para o Payakan na terça-feira, no jogo de estreia do Mundial de clubes disputado em Doha, no Catar, parecia ter mexido com a Cimed nesta quarta quando os comandados do técnico Marcos Pacheco entraram em quadra. Mas, após perder o primeiro set para o Al-Arabi, a equipe brasileira se recuperou, virou o jogo e fechou com 3 a 1, parciais de 18-25, 25-17, 25-17 e 25-22.

Com a vitória, o time de Florianópolis se manteve vivo na competição. Agora, a Cimed tem três pontos e ocupa a segunda colocação na tabela, atrás apenas do Belchatow, que venceu o Payakan por 3 sets a 0 (25-22, 25-18 e 25-17) e assegurou vaga na semifinal. Amanhã, a equipe catarinense encara justamente o time polonês pela terceira rodada da primeira fase, em busca da segunda vaga na semi.

“Nossa primeira decisão é amanhã”, avaliou o técnico Marcos Pacheco, em entrevista ao Sportv. O treinador reconheceu que sua equipe ainda não está adaptada à nova regra, a Golden Formula, que permite que o primeiro ataque após o saque venha detrás da linha dos três metros, mas viu uma ponta de evolução no time. “Estamos tendo dificuldade com essa nova realidade. Ainda não achamos as melhores opções, mas após a derrota de ontem, nós não tínhamos outra alternativa hoje senão a vitória. O time demorou, se ajustou, taticamente melhorou e nós conseguimos uma vitória importantíssima”.

A Cimed entrou em quadra com Bruninho e Bob, Renato e Thiago Alves, Èder e Lucão, além do líbero Mario Jr. Entraram ainda Ialisson, Jamelão e Guilherme.

O início da partida desta quarta foi um trecho de jogo a ser esquecido pela Cimed. Graças a dois aces, dois contra-ataques perfeitos e dois erros dos adversários, o Al-Arabi, time da casa, abriu nada menos do que 6-0. Ao longo da parcial, os anfitriões apresentaram um bom volume de jogo, não desperdiçando os contra-ataques, enquanto os brasileiros demonstraram claro nervosismo, até mesmo com discussões em quadra. O central Lucão, um dos mais irritados, chegou a ser substituído. Com o clima ruim do outro lado da quadra, o Al-Arabi não demorou para fechar com 25-18.

No segundo set, a equipe catarinense voltou para a quadra com uma postura completamente diferente. Apesar de cometer muitos erros no saque, o time brasileiro teve uma clara evolução no bloqueio e soube conter melhor os ânimos dentro do jogo. Após uma disputa parelha no placar, a Cimed deslanchou a partir do primeiro intervalo técnico (8-5), chegando ao segundo com vantagem ainda maior (16-11). Depois, bastou administrar a liderança, pressionar o adversário e fechar a parcial com 25-17.

Depois da vitória na segunda etapa, os catarinenses ficaram mais tranquilos em quadra e passaram a ter o controle total do jogo. No terceiro set, os anfitriões tiveram alguns rompantes e chegaram a virar no placar (13-12) após estarem quatro pontos atrás. A reação, porém, parou por aí. A Cimed retomou a concentração e o domínio da partida, revertendo o marcador e fechando com 25-17.

O quarto e último set foi o mais equilibrado de todos. Principalmente por conta dos erros do time brasileiro, sobretudo no saque e nos contra-ataques. O Al-Arabi chegou a abrir quatro pontos de vantagem (12-8), mas, comandada por Jamelão, no saque, e Thiago Alves, na rede, a Cimed tirou a diferença e virou (15-14). As duas equipes passaram a se revezar na dianteira do placar, mas no final deu Cimed, com 25-22 e vitória por 3 sets a 1.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!