Topo

Vôlei

Osasco vence Pinheiros, fecha série e vai à final da Superliga pela 9ª vez seguida

Do UOL Esporte

Em São Paulo

06/04/2010 20h28

Depois de vencer o primeiro jogo da série melhor de três em casa no último sábado, o Sollys/Osasco veio à capital nesta terça-feira disposto a fechar a semifinal da Superliga feminina de vôlei logo na segunda partida. E foi o que aconteceu. Apesar de tropeçar no terceiro set, o time da Grande São Paulo venceu por 3 sets a 1 (25-19, 25-20, 19-25 e 25-15) e assegurou um vaga na final da competição pela nona vez consecutiva.

O Osasco esteve nas últimas oito decisões, tendo vencido três delas e perdendo quatro para a Unilever (antigo Rexona) e uma para o Minas. O time ainda disputou as finais das duas primeiras edições da Superliga, mas caiu em ambas diante do estrelado Leites Nestlé.

Para chegar a mais uma decisão, o Osasco, que nas quartas de final havia eliminado o Praia Clube, deixou para trás agora o Pinheiros. A série melhor de três prometia um alto equilíbrio, motivado, principalmente, pelos encontros recentes entre as duas equipes. Apesar de ter vencido os dois jogos entre os times na fase classificatória da Superliga, a equipe comandada pelo técnico Luizomar de Moura ainda não havia digerido completamente as duas derrotas nas finais do Campeonato Paulista, quando o tradicional time da Capital encerrou um jejum de 11 anos e ficou com o título.

Mas responsável pela queda do Osasco pela primeira vez em cinco anos no Estadual, o Pinheiros não repetiu sua força nesta Superliga, sobretudo nas semifinais, perdendo os dois jogos por 3 a 1.

Após Jaqueline ser o grande destaque da primeira partida, Sassá foi quem brilhou neste segundo encontro. Sempre impecável no passe, a ponteira também foi uma boa opção de ataque para a levantadora Carol Albuquerque, rodando quase todas as bolas que recebeu ao longo do duelo. Sassá fez 16 pontos, um a menos do que Jaque. Fernanda Garay, do Pinheiros, foi a maior pontuadora do confronto com 20 acertos.

"A gente sabia que essa partida ia ser dificl, por causa da pressão da torcida, e que elas iam entrar mordidas. Então nossa  equipe se preparou bem, e eu também tive uma preparação particular muito boa, com uma noite tranquila. Cheguei descansada para entrar forte no jogo", declarou Sassá, explicando sua boa atuação.

ILHADAS, JOGADORAS DA UNILEVER DORMEM NO GINÁSIO DO MARACANÃZINHO

  • Divulgação/Twitter

    As fortes chuvas que atingiram o Rio de Janeiro na segunda-feira deixaram comissão técnica e jogadoras da Unilever ilhadas no Maracanãzinho. A equipe foi obrigada a passar a noite no ginásio. Quatro jogadoras conseguiram deixar o local na noite de segunda, mas só chegaram em suas casas na manhã desta terça. A maioria do time, no entanto, assim como o treinador Bernardinho, passou a noite no ginásio.

O adversário do Osasco na final da Superliga 2009/2010 sairá do vencedor do duelo entre Unilever e Blausiegel/São Caetano. Na primeira partida, as paulistas atropelaram as cariocas e venceram por 3 a 0. O segundo jogo seria disputado nesta terça-feira, mas em razão das fortes chuvas no Rio de Janeiro, foi transferido para a próxima quinta-feira, no Ginásio da Tijuca (seria no Maracanãzinho, mas o ginásio ficou alagado). Se o São Caetano vencer, encerrará a série e ficará com a vaga. Uma vitória da Unilever forçará a realização de uma terceira e última partida, no sábado, também no Tijuca Tênis Clube.

O jogo

O Pinheiros começou bem o jogo e esteve no encalço do Osasco durante toda a primeira metade do primeiro set. As visitantes mantiveram um ponto de diferença até o segundo tempo técnico. O Pinheiros virou em um erro de ataque de Natália (17-16), mas o Osasco retomou a vantagem e deslanchou no placar, abrindo três pontos em um ataque de Jaqueline (20-17). A diferença só aumentou, até que Jaqueline fechou o set com 25-19.

A segunda parcial também começou equilibrada, mas não demorou para que o Osasco assumisse a dianteira no placar e abrisse espaço. Primeiro, foram três pontos em um bloqueio em cima de Lia (7-4). Depois, quatro em um ataque de Sassá (15-11). O Pinheiros chegou a ensaiar uma reação e, com a entrada de Lígia no lugar de Marina, derrubou a vantagem das visitantes de seis para três pontos (23-20). O Osasco, porém, não se perdeu na partida e, em um ataque de Sassá, fechou a segunda etapa com 25-20.

O terceiro set teve desenho completamente diferente em relação aos dois primeiros. Após abrir três pontos de vantagem logo de casa (4-1), o Osasco viu o Pinheiros crescer, empatar (5-5) e virar o placar (12-11). Depois disso, a equipe só abriu vantagem, contando com bom desempenho da oposta Lia, que foi sacada no segundo set mas voltou para o terceiro. Foi dela o ataque que levou o set para o segundo tempo técnico (16-11). A diferença só cresceu (19-12), até que o Pinheiros fechou em 25-19 com um bloqueio de Lígia.

Para a quarta parcial, o Pinheiros voltou com a mesma fome de bola do terceiro set, fazendo 3-1. Mas inspirado por Sassá no ataque e Thaísa no bloqueio, o Osasco não se entregou e voltou a crescer em quadra. Depois de empatar em 4-4 e 5-5, o time fez quatro pontos consecutivos (9-5) e não parou mais de abrir. Apático em quadra, o Pinheiros caiu muito de rendimento na recepção, facilitando os bloqueios e contra-ataques do Osasco, que deslanchou e fechou o set com incríveis 25-15.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!