Topo

Vôlei

Campeão mundial, líbero Alan encerra desemprego no lançamento da Superliga

Alexandre Arruda/CBV/Divulgação
Campeão mundial, líbero Alan assina contrato com o Londrina no lançamento oficial da Superliga Imagem: Alexandre Arruda/CBV/Divulgação

Roberta Nomura

Em São Paulo

26/10/2010 19h55

Alan viveu momentos conturbados nos últimos dois anos. Em dezembro de 2008, ele foi submetido à cirurgia no tornozelo esquerdo. Cinco meses depois, a mesma lesão o fez operar pela segunda vez. Desde então, o líbero ficou quase todo o período inativo e passou por uma situação inusitada recentemente: foi campeão mundial com a seleção brasileira, mas estava sem clube. O desemprego foi encerrado nesta terça-feira no lançamento oficial da Superliga masculina 2010/2011.

“Fechei tudo aqui. Ontem eu fui lá conhecer toda a estrutura, mas assinei o contrato aqui”, revelou Alan, novo reforço do Londrina/Sercomtel. Enquanto esteve na Itália com a seleção brasileira na campanha que rendeu o tricampeonato mundial, o líbero recebeu sondagens de clubes europeus. Mas optou por ficar no Brasil, assim como outros dez jogadores do time verde-amarelo.

“Tinha uns convites da França. Mas o pessoal da seleção pediu para ficar no Brasil. Agora, a Superliga vai ter eu, Mário Júnior e Escadinha. Vai ser legal”, disse. Dos 14 campeões mundiais em 2010, somente três estão fora do país: Dante (Rússia), João Paulo Bravo (Turquia) e Théo (Japão).

Alan recebeu outras sondagens para jogar fora do país. “Eu tinha proposta de ir para a Rússia, que é onde tive minha lesão e cirurgia. Fiquei com receio de ir para lá e voltar para lugar onde machuquei. Hoje o que eu preciso é ter ritmo de treino e voltar a treinar em alto nível, não adianta ir para fora do Brasil e voltar a zero de novo. Estou feliz. É um projeto novo. Um desafio e eu gosto de desafios”.

Em dezembro de 2008, Alan foi submetido a primeira cirurgia no tendão calcâneo quando ainda defendia o Dínamo Moscow, da Rússia. Cinco meses depois, o líbero iria retornar às quadras, mas sofreu a mesma lesão e passou pela segunda operação no tornozelo esquerdo. O líbero foi contratado pelo Pinheiros, mas pouco atuou pelo clube. Mesmo assim, foi convidado para treinar em Saquarema (RJ) e correspondeu.

Com o corte de Escadinha por lesão nas costas, Mário Júnior herdou a vaga de titular e Alan foi para o Mundial da Itália como reserva. “Para quem ficou parado dois anos, jogar três partidas em Curitiba [amistosos de preparação] não é fácil. Ter sido chamado, ter conseguido a vaga e, depois, ser campeão mundial é demais. Apesar de não ter jogado, não fui lá para passear. Todo mundo que está lá dentro ajuda”, falou.

Alan também foi alvo do Volta Redonda, mas optou pelo Londrina para voltar a trabalhar com o técnico Carlos Augusto Oliveira de Almeida, o Chiquita. "Eu conheço ele desde 1997 e fomos campeões juntos da Superliga pela Unisul [em 2003/2004]. Isso pesou. A Superliga é a chave para eu ter um ano melhor ainda", finalizou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!