Topo

Vôlei

Parceira da seleção de vôlei fala em eliminar camisas da CBF dos ginásios

Sean M. Haffey/Getty Images
Imagem da torcida brasileira na arena de vôlei de praia da Rio-2016; camisa da CBF é item frequente Imagem: Sean M. Haffey/Getty Images

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

27/05/2017 04h00

Na última sexta-feira, a Confederação Brasileira de Vôlei e a Asics apresentaram os novos uniformes das seleções brasileira. Além de prometer inovação nos produtos, a marca japonesa afirmou que vai “enfrentar” a concorrência nos ginásios.

A idéia dos executivos é a de diminuir a sombra do futebol no ambiente do vôlei. Há o entendimento de que as camisas da seleção brasileira de futebol, da americana Nike, ocupam muito espaço nas arquibancadas em jogos das equipes nacionais.

Leo Burlá/UOL Esporte
Lançamento da nova camisa da seleção brasileira de vôlei; Asics quer "eliminar" rival Imagem: Leo Burlá/UOL Esporte

“Há detalhes que enriquecem a camisa e que dão vontade para que o consumidor use no dia a dia. Queremos que ele [consumidor] deixe de achar que a camisa da CBF, a camisa do futebol é a camisa oficial do Brasil. Queremos que ele tenha uma possibilidade”, disse Maurício Busin, diretor de marketing da multinacional.

O desafio da empresa é dos grandes. Para facilitar o acesso aos uniformes, a marca planeja implementar ações que incluem a instalação de estandes nos ginásios, para que a venda seja massificada em dias de grandes jogos. Mas o executivo afirma que os planos podem ser mais ambiciosos:

“Por enquanto não teremos nenhuma loja física, mas estamos avaliando. Ainda precisamos entender aonde essa loja faz mais sentido”.

A retomada da parceria acontece após 19 anos de relacionamento entre a CBV e a Olympikus. O evento de lançamento foi na Praça Mauá, ao lado do Museu do Amanhã. Uma quadra foi montada no local e o lançamento contou com a presença de 22 jogadores. 

A escolha pela Asics tem um fundo estratégico: além de já ter sido fornecedora da seleção e ser uma marca muito associada ao vôlei, a empresa é apoiadora dos jogos de Tóquio 2020. O contrato entre as partes termina após a Olimpíada do Japão, podendo ser renovado por mais um ciclo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!